X

Diário da Região

30/05/2015 - 01h20min

Cartas do leitor

Máfias

Cartas do leitor

O brasileiro está cercado de mafiosos, gente gananciosa que não mede esforços para espoliar, explorar e subir na vida através de falcatruas, roubalheiras. Não importa o setor, seja na saúde, fraudando a Previdência, na economia, metendo a mão no dinheiro da Petrobrás, do BNDES, não respeitam nem um dos tipos de lazer mais querido do brasileiro: o futebol. E até na hora da morte, a máfia das funerárias não dá trégua. A cada dia ficamos mais indignados e revoltados, gente querendo levar vantagem e meter a mão no dinheiro da gente, a moral o respeito, o temor a Deus, e ao próximo, estão caindo em desuso. Parece que tudo isto que nossos pais ensinaram, não valeu de nada. Pessoas de cabelos brancos, que supostamente antes era sinal de respeito, pela sua vivência e bons exemplos, passaram a ser vilões. Usam terno e gravata e cometem crimes descaradamente, pior que muitos meliantes, pois essa gente ainda usa o poder para se acovardar e sair impune dos crimes. Belos exemplos para seus filhos, netos, e para a sociedade como um todo. Muita gente já começa achar isto normal, e isso é muito perigoso, para não dizer, desastroso. Propina, lavagem de dinheiro, corrupção são doenças que vêm desde a velha República, mas nunca estiveram tão evidentes quanto agora, ou seja esta doença endêmica está se tornando epidêmica, e deve ser erradicada, como várias outras foram. Nós temos força e podemos combater tudo isto sim, é só sermos mais participativos, vigilantes críticos e exigentes, assim como a imprensa, temos o dever de investigar e denunciar sempre .

Alceu Signorini Junior, Rio Preto

 

Trânsito

Nosso dia de trabalho começa cedo com problemas individuais e coletivos de locomoção no espaço urbano no qual vamos transitar para cumprir obrigações diárias. Como formigas operárias em ordem instintiva, formamos filas, aprendemos atalhos e quando algo nos impede o caminho nos desorganizamos em conjunto, pois de alguma forma nosso plano de chegar em certa hora é alterado, gerando um efeito dominó nos compromissos. Pagamos para ter ruas sem buracos, viadutos que melhorem trajetos, obras antienchentes, ruas e avenidas largas sinalizadas, estacionamentos regularizados, sentidos obrigatórios e mãos duplas estabelecidos com logística, enfim tudo o que precisamos para circular com respeito e a rapidez. Estamos usando as rodovias que circundam a cidade indevidamente como se fossem avenidas, confundindo a nossa vida de cidadão com a dos viajantes usuários de rodovias, aumentando as estatísticas de acidentes rodoviários. É com saudável expectativa que nós colaboramos quando vemos a realização de obras públicas necessárias, operários trabalhando em suas jornadas diárias, mas contamos os dias para a sua eficaz finalização. Mas tempo vai passando, o caos no trânsito vai se instalando, por diversos motivos, e nós cidadãos, lemos as placas: "desculpe o transtorno, ou estamos trabalhando para melhor servi-lo". Então, nós também que estamos trabalhando, precisaríamos que estas obras fossem contínuas, sábados, domingos, turnos diários e noturnos planejados, operários legalizados e especializados para fazer o que precisa ser feito, uma evolução no andamento da obra condizente com a velocidade do século 21, pois todos estamos trabalhando, precisamos fluir no cotidiano. É, mas alguém diria: e dinheiro para contratar esses operários para horários alternativos, apoiado em qual lei? Ora, ora, dinheiro tem sim, é só administrar pensando no coletivo, ora, leis existem para serem redefinidas e implementadas para o bem comum.

Célia Augusta Bernardo, Rio Preto

 

Acidente 

Eu como cidadão enviei à Câmara pedido de liberação da avenida Otacílio Alves de Almeida, onde um motociclista faleceu. O que ocorre lá é que tem duas faixas e apenas uma está liberada para uso. A outra está pronta e ninguém usa devido a uns cones de concreto existentes na entrada da avenida. Se a tal pista estivesse liberada nada disso estaria acontecendo. Pedido foi protocolocado junto à Câmara que, pelo jeito, nada fez para adiantar. Creio que estão lá a passeio. Na próxima seção estarei lá para mostrar a eles a falta de competência deles. Quantos mais pais de família irão morrer até aquele circo resolver fazer algo? Queria também pedir o apoio do Diário da Região para publicar algo. Geralmente as prefeituras desse Brasil só acatam o que vai à mídia.

Renan de Oliveira, Rio Preto

 


Loteamentos 

É verdade que Rio Preto foi uma das primeiras cidades a promover a regularização de loteamentos irregulares e nesse processo promoveu o bem-estar de muitas famílias. Mas ao promover este bem-estar com a Lei 10547/2009, discriminou todos os moradores dos novos bairros, pois no artigo 34 da lei fala que após a aprovação não pode haver mais desmembramento ou unificação de lotes. Agora se faz tanta propaganda que são novos bairros e que são iguais perante aos outros e se discrimina no desmembramento e unificação. Qual o problema de se fazer um desmembramento regular? Qual o problema de se unificar de forma regular um terreno? A própria Prefeitura em seu preconceito discrimina a população dos loteamentos novos e provoca inúmeros outros loteamentos clandestinos. Esse artigo absurdo deveria ser exposto para a população poder lutar contra e para que os loteamentos permaneçam regulares.

Fernando Oliveira, Rio Preto

 

Cartas: 

As correspondências enviadas para esta seção devem ter o nome legível do autor, RG, foto, profissão, idade e endereço e telefone para confirmação prévia. Para dar oportunidade a um maior número de leitores, as cartas poderão ser resumidas. Os originais não serão devolvidos. As cartas podem ser enviadas da seguinte forma:

1) Pelo correio, endereçadas à avenida Feliciano Salles Cunha, 1.515 - CEP 15035-000, São José do Rio Preto-SP
2) Entregues pessoalmente no endereço acima
3) Por fax - (0xx17) 2139-2090
4) Por e-mail, no seguinte endereço eletrônico: leitores@diariodaregiao.com.br

 

 

>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso