X
X

Diário da Região

28/12/2016 - 00h00min

Cartas do Leitor

Lava Jato

Cartas do Leitor

Devemos agradecer muito à operação Lava Jato por ter deixado em 2016 o Brasil um pouco menos indecente e que ela continue em 2017 nesse ritmo de passar a limpo nosso país. No entanto, muita coisa ainda está por vir. O ano de 2016 será um ano como 1968: nunca terminará, parodiando o jornalista e escritor brasileiro Zuenir Ventura (1931), que escreveu "1968: o ano que não terminou".

Que saibamos escolher nossos próximos presidente, governador, senadores, deputados federais e deputados estaduais. Sabendo escolher novos e bons políticos será um grande passo para melhorarmos a educação, a saúde, a segurança pública e , por via de consequência, o progresso econômico e social do cidadão.

Assim, talvez em 2017 comecemos a praticar aquele ditado, cuja autoria desconheço, que proclama que a felicidade não é aquela que procuramos e sim aquela que sabemos a cada dia apreciar.

Wander Cortezzi, Rio Preto.

 

Medidas

O presidente Michel Temer acabou por anunciar uma série de mudanças na legislação trabalhista, um pacote relativamente modesto e que possa surtir efeitos positivos como encerramento do exercício de 2.016.

A principal medida foi a possibilidade de acordos entre empresas e sindicatos, no sentido de que possam estabelecer algumas regras diferentes daquelas previstas em lei, que é o chamado "negociado sobre o legislado", uma das novidades para conhecimento dos leitores.

Importante salientar, que essa flexibilização, no entanto, ficou restrita a 12 pontos e não irão atingir os direitos garantidos na Constituição Federal como décimo terceiro salário, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço e seguro contra acidentes do trabalho.

Vale acrescentar a esta oportunidade, que especialistas ouvidos se dividiram em suas opiniões sobre o sucesso ou insucesso das medidas, que são para empresários e trabalhadores. Por outro lado, concordaram que as mudanças não devem ter impacto relevante na recuperação do mercado de trabalho.

Segundo eles, a queda do emprego está intimamente ligada à falta de investidores, mormente se houver falta de estímulo para se investir em postos de trabalho de um modo geral e nas indústrias, as principais geradoras de emprego e um dos principais sustentáculos da economia.

O economista José Pastore, professor da USP, especialista em mercado de trabalho, vê pouco impacto das medidas na geração de emprego, considerada bastante positiva, que as negociações entre trabalhadores e empresas possam flexibilizar leis trabalhistas com toda a sua eficácia.

Alessio Canonice, Ibirá.

 

Homem do campo

Ha trinta e dois anos, quando cheguei de São Paulo amava conversar com as pessoas, era uma cultura totalmente diferente, via as pessoas como se cada uma fosse um professor. Moradores do interior têm dentro deles uma “ciência caipira”, uma sabedoria popular que passa de pai para filho. A formação do homem do campo o faz observar a natureza e saber quando vai chover ou olhar para céu conforme a posição do sol ele sabe prever as horas.

Em seu cotidiano, nos últimos anos, o assunto que dominou foi a seca. Hoje as expectativas já são melhores, projetam até antecipação da colheita do café para março de 2017, mas longe ainda dos tempos de fartura e facilidade de bons ganhos no campo.

O êxodo para as cidades já abarrotadas em busca de vida e dias melhores estão mergulhando o homem do campo no caos da modernidade. Abatidos e sem brilho, faltando perspectivas de dias melhores, o que os mantém em pé tocando a vida é a fé cabocla que as “coisas passam”.

Conversando com um velho caboclo, para mim um sábio e vislumbrador que há trinta anos foi um dos primeiros a implantar um sistema de irrigação por gotejamento em sua propriedade de café: como acha que será a agricultura para 2017, senhor Pedro Taliba?

“Você me deixa sem resposta, não dá para ter previsão, como é possível acreditar nesses homens que dirigem nosso país e não pensam no povo? O café demora quatro anos para produzir e só dá uma vez por ano, os preços estavam muito baixo desestimulando a cultura, o abandono da agricultura foi tão grande que só temos cana e seringueira por aqui. Cerveja vale mais que o café, se fizer café com água mineral a água é mais cara que o pó. A água está na natureza, no subsolo e no ar e hoje tem mais valor que o trabalho e a produção”.

Obrigado ao homem do campo pela verdadeira riqueza do Brasil o trabalho, um 2017 de prosperidade a todos.

Audinei Lopes Bonfanti, Bálsamo.

 

Conselhos

Pra viver melhor, não se preocupe, se ocupe. Ocupe seu tempo, ocupe seu espaço, ocupe sua mente. Não se desespere, espere. Espere a poeira baixar, espere o tempo passar, espere a raiva desmanchar. Não se indisponha, disponha. Disponha boas palavras, disponha boas vibrações, disponha sempre.

Não se canse, descanse. Descanse sua mente, descanse suas pernas, descanse de tudo. Não menospreze, preze. Preze por qualidade, preze por valores, preze por virtudes. Não se incomode, acomode. Acomode seu corpo, acomode seu espírito, acomode sua vida. Não desconfie, confie. Confie no seu sexto sentido, confie em você, confie em Deus. Não se torture, ature. Ature com paciência, ature com resignação, ature com tolerância.

Não pressione, impressione. Impressione pela humildade, impressione pela simplicidade, impressione pela elegância. Não crie discórdia, crie concórdia. Concórdia entre nações, concórdia entre pessoas, concórdia pessoal. Não maltrate, trate bem. Trate bem as pessoas, trate bem os animais, trate bem o planeta.

Não se sobrecarregue, recarregue. Recarregue suas forças, recarregue sua coragem, recarregue sua esperança. Não atrapalhe, trabalhe. Trabalhe sua humanidade, trabalhe suas frustrações, trabalhe suas virtudes. Não conspire, inspire. Inspire pessoas, inspire talentos, inspire saúde.

Não se apavore, ore. Ore a Deus! Somente assim viveremos dias melhores. Um ótimo final de ano e um excelente 2017 com Deus no controle.

Antonio Carlos Del Nero, Rio Preto.

 

Boas Festas

O Diário da Região agradece e retribui os votos de Boas Festas de Edinho Araújo (deputado federal), Chafic Balura (presidente da Apae Rio Preto).

 

Cartas

As correspondências enviadas para esta seção devem ter o nome legível do autor, RG, foto, profissão, idade e endereço e telefone para confirmação prévia. Para dar oportunidade a um maior número de leitores, as cartas poderão ser resumidas. Os originais não serão devolvidos. As cartas podem ser enviadas da seguinte forma:

1) Pelo correio, endereçadas à avenida Feliciano Salles Cunha, 1.515 - CEP 15035-000, São José do Rio Preto-SP
2) Entregues pessoalmente no endereço acima
3) Por fax - (0xx17) 2139-2090
4) Por e-mail, no seguinte endereço eletrônico: leitores@diariodaregiao.com.br

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso