X
X

Diário da Região

27/03/2016 - 00h00min

Cartas do Leitor

Caixa

Cartas do Leitor

Volto a criticar a Caixa Econômica Federal e o meu desabafo, servirá com certeza de alerta para muitos clientes desse banco. Na quarta-feira (09/03), estive em São Paulo para realizar um negócio. Porém, no dia anterior, estive na agência da rua Marechal buscando informações sobre pagamento via TED (Transferência Eletrônica Disponível) e fui informado que na Caixa, o limite é de até R$ 60 mil, por conta.

Fui despreocupado, em companhia de meu filho, mas para minha surpresa, quando fui até a agência da Caixa, em Barueri (Alphaville), na Alameda Rio Negro, para efetuar a TED, veio à decepção: a funcionaria que me atendeu disse que seria impossível realizar a transferência, por falta da tal “ficha de autógrafo”. Fiquei furioso... Liguei para duas gerentes da Caixa, no telefone fixo da agência e nos celulares (horário de expediente), mas não tive a sorte desejada...

Só não perdi o negócio, pois já beirava às 16 horas, porque utilizei o plano “B”, qual seja, a TED teve que ser feita por meu filho, numa agência do banco Itaú, que fica ao lado da Caixa (em Barueri). E tem mais: a transferência foi feita de uma única conta, sem maiores problemas. Por que na Caixa o limite máximo é de R$ 60 mil?

Mas a decepção não morreu aí. No dia seguinte, já em Rio Preto, dirigi-me a agência da rua Marechal para fazer a transferência do numerário da minha conta para a conta do meu filho, no Itaú. E um novo problema surge: a caixa que me atendeu, pediu meu documento, consultou meu saldo, mas não efetuou a transferência. Fui encaminhado a uma gerente, para que ela procedesse à liberação.

Tenha a santa paciência, isso é uma verdadeira ladainha, uma gozação, falta de respeito. Parece que o gerente esta te fazendo favor. Diante desse episódio, apresento uma sugestão para facilitar a vida de todos os clientes: ou se elimina a figura do gerente e todos viram caixa, ou vice-versa.

Depois dessa ladainha, uma coisa e certa: tô caindo fora da Caixa, com minhas modestas contas. E volto a repetir: enquanto não se colocar gente do ramo, que entenda do riscado para administrar, dispensando os aloprados políticos, dotados de “QI” (quem indica), a coisa continuará bagunçada, sem solução.

Com relação ao cartão de débito que solicitei no dia 15 de janeiro, pasmem, continuo esperando. Foi emitido um cartão, mas devidos as tantas trapalhadas cometidas pela Caixa, ele chegou cancelado. Todo esse episódio, tá mais pra cenas de humor, de um conhecido grupo humorístico conhecido de todos os brasileiros.

Walter Prata, Rio Preto.

 

Páscoa

O período da Páscoa representa para nós católicos do mundo inteiro um tempo para refletirmos o que acontece no nosso interior e entender a forma com que as demais pessoas vivenciam cotidianamente suas ações e posturas perante os fatos e acontecimentos.

A Páscoa do Senhor é um momento culminante, um encontro de ideias e ideais com nossos familiares, comunidade em que vivemos, modo como enxergamos os fatos que acontecem na sociedade contemporânea e tudo que nos cerca, nos protege e nos cerceia.

O Papa Francisco nos diz que a “misericórdia” com que agimos frente a tudo e a todos é o caminho que devemos escolher para vivenciar nossa fé. Se nós, simples mortais e principalmente os líderes das Nações do mundo todo não tivermos esse discernimento, essa paixão misericordiosa que nos conduz em direção aos irmãos, de nada valerá nossa passagem por essa vida porque não teremos plantando e não teremos colhido aquilo que há de melhor e mais intrínseco no ser humano: o mistério de conhecer almas e pessoas.

Vejam por exemplo a visita do presidente Barack Obama a Cuba, a intenção está guardada dentro do coração desse homem que o mundo aprendeu a admirar mas o gesto, ficará eternizado por todos os que sem pré-julgamentos assistiram esse seu ato de misericórdia. Não precisamos ir tão longe para praticar a Páscoa do Senhor, basta que façamos uma análise minuciosa dentro de nós mesmos, sempre acharemos algo a melhorar e como cita Antoine de Sant-Exupéry em sua obra O Pequeno Príncipe...“só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”

Angela Perozin, Rio Preto.

 

Escárnio

Assumir o cargo de ministro para fugir das investigações da operação Lava Jato, configura bem o perfil de Lula e Dilma Rousseff. Essa incompetente cometeu crime de favorecimento pessoal ao Lula, para que ele fuja da competência do juiz Sergio Moro.

Lula esbanja indiferença e desprezo, sem receio de mostrar que se considera acima da lei e se acha ultrajado simplesmente por lhe perguntarem sobre os escândalos em que se enredou. Dilma não apenas renunciou na prática ao cargo para o qual foi eleita, como também reconhece a sua incapacidade para governar o Brasil, agredindo a sociedade brasileira com um tapa na cara.

A nomeação de Lula para compor o governo não deixa de ser um ato de escárnio para com o Judiciário Brasileiro. Sua conduta, seu palavreado vulgar com Dilma mostra cenas explícitas de baixaria, uma tentativa de obstrução da Justiça. Vergonhoso!

Luiz Fernando Carneiro, Rio Preto.

 

Parcialidade

Seja para o Lula, Dilma, Alckmin, Serra, Aécio ou qualquer outro, que não haja espaço para shows midiáticos e que insuflam os segmentos sociais. Que prevaleçam a constitucionalidade e a legalidade em tudo e com celeridade processual, sem tergiversar ou transgredir ao contraditório.

Também, inadmissível a parcialidade onde não possa haver, na imprensa, já que esta seria a última instância de vanguarda no País, mas que vem ocorrendo em parte do setor, na de abrangência nacional e televisiva.

João Batista da Silva, Rio Preto.

 

Crise

Em tempo de crise devemos pensar que é tempo favorável para fazermos uma reflexão encima de nossas vidas financeiras. Rever o que está certo e o que devemos mudar drasticamente. Sempre acredito que, nessas fases, devemos trabalhar mais e gastar menos. Existem tantos caminhos para todos, desde os mais até os de menos condições. Não existe ninguém na face da terra que tem tudo ou os que não tem nada.

A crise vem para repensarmos numa vida mais saudável ,mais equilibrada, voltando-nos mais para a família, reunindo todos e atualizando a situação diária. Quando isso acontece, a união da família faz milagres que até nós não acreditamos. Acredite, a crise passa e deixa tudo melhor, graças a Deus.

Cidinha Cury Antonio, Rio Preto.

 

Cartas

As correspondências enviadas para esta seção devem ter o nome legível do autor, RG, foto, profissão, idade e endereço e telefone para confirmação prévia. Para dar oportunidade a um maior número de leitores, as cartas poderão ser resumidas. Os originais não serão devolvidos. As cartas podem ser enviadas da seguinte forma:

1) Pelo correio, endereçadas à avenida Feliciano Salles Cunha, 1.515 - CEP 15035-000, São José do Rio Preto-SP
2) Entregues pessoalmente no endereço acima
3) Por fax - (0xx17) 2139-2090
4) Por e-mail, no seguinte endereço eletrônico: leitores@diariodaregiao.com.br

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso