X

Diário da Região

12/07/2015 - 00h00min

artigo

Pirajá, um sonho de menino

artigo

Pirajá é um bairro rural encravado entre Neves Paulista e Vila Costa, banhado pelo rio Jacaré. Em tupi-guarani, significa local de chuvas rápidas com ventanias. Diz a história que o fazendeiro Manoel Afonso Moralez tinha na época muitas terras e resolveu doar uma gleba ao patrimônio para construção da igrejinha, na década de 1920. Seu Izidoro Pinotti, antigo “farmacêtico” de Neves, hoje aposentado, começou no ofício aos 9 anos na farmácia Santo Antônio, lavando vidros; anos depois comprou o estabelecimento. Contou-me que certa feita, em companhia do dr. Célio Garcia Pereira, de saudosa memória, recebeu em sua farmácia um caboclo de pés descalços, de calças arregaçadas nas canelas, montado numa égua em pelo, pedindo desesperado para que fossem socorrer sua esposa, que tinha “adoecido” lá pros lados do Pirajá. Os três cavalgaram até deparar com uma casinha humilde de pau-a-pique. Desceram e encontraram a parturiente sobre uma cama de varas, gemendo de dor. A pobrezinha sofria havia horas sem que a criança viesse ao mundo. O médico e o farmacêutico enfrentaram o desafio. Depois de algum tempo nasceu um casal de gêmeos. Os pais eram tão pobres que seu Izidoro e dr Célio nada cobraram pelo serviço.

Durante toda a vida, eu ouvia meus pais, tios e amigos contarem fatos relacionados ao lugarejo. Eu não o conhecia, mas existia um desejo enorme sem que houvesse oportunidade. Em julho passado, lancei o livro “Clara, um romance caipira”, que conta o drama de um casal de namorados, ela, filha de fazendeiros, e ele, um violeiro. Aliás, tudo começou aqui nesse espaço do Diário, quando escrevi as crônicas “Clara”, “Clara 2” e “Cartas de Clara”. Após publicação do romance, outro já estava a caminho. Será apresentado ao público em meados desse semestre. Com o livro no prelo, o terceiro romance começou a surgir, com história ambientada em parte na região do Pirajá. Comentei com os amigos nevenses João Alfredo e Fernando Mendes sobre a história e de imediato se prontificaram a me levar ao bairro. Seguimos pela velha estrada boiadeira.

João Alfredo e Fernando me apontavam antigas casas abandonadas, perdidas em meio aos canaviais. Foram testemunhas de um tempo de muita fartura, quando os cafeeiros imperavam absolutos. Não se vê mais o vaivém das carroças puxadas por juntas de burros levando para as sedes das fazendas as sacas dos preciosos grãos para ser secadas ao sol nos terreirões. É possível ver marcas de alicerces enfileirados, testemunhando que ali, outrora, fora uma colônia. Marcas de um passado glorioso, cheio de conquistas. Pela estrada, a uma boa distância, a emoção bateu forte ao avistar, por entre as árvores, a torre da capela. O bairro asfaltado é puro encantamento. Algumas casas antigas do tempo dos carros de bois parecem chorar de saudades. Ao nos aproximarmos, vi com tristeza o grupo escolar em ruínas. Ali, estudou o ilustre advogado, hoje morando em Rio Preto, Clemente Pezzarini. Um sonho de menino foi realizado. Eu não podia morrer sem que meus olhos pousassem sobre Pirajá, lugarejo que me encantou a vida inteira. Lembrando Gonçalves Dias: “Não permita Deus que eu morra, sem que eu volte para lá!”

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso