X
X

Diário da Região

18/05/2016 - 00h00min

Artigo

O trânsito e as redes sociais

Artigo

NULL NULL
NULL

O que há em comum entre trânsito e redes sociais para além daqueles que dirigem online no celular e offline no trânsito? São terrenos diferentes o território da internet, das redes sociais, das páginas de comentários, e o território das vias terrestres abertas à circulação regidas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Mas uma coisa se vê em comum por parte de muitos: a intolerância, a arrogância, o desrespeito e a agressividade. Isso faz com que, seja pelo que lemos nas redes sociais, seja pelo que testemunhamos no trânsito nosso de cada dia, sinceramente, nos cause certo medo da raça humana. Estamos atingindo e vivenciando níveis de agressividade e violência gratuita como nunca se viu antes.

No trânsito são as “fechadas”, as buzinadas e um palavrão. É a pressa de quem se acha no direito de exclusividade em via pública, no direito de acelerar mais que os outros, no direito de agredir quem não dá a vez para Vossa Majestade passar, e de tantas outras obrigações editadas pela lei pessoal de cada um e que ignora as leis oficiais vigentes.

Considerando que somos dentro do carro o que somos na vida; que ao dirigir refletimos e extravasamos o nosso estado de espírito, de ânimo, de humor e até a nossa agressividade e educação, não fica difícil tentar compreender o comportamento, a agressividade das pessoas no trânsito, o que causa acidentes e o que consegue piorar as coisas e evolui para feridos e até mortos em brigas de trânsito.

Se as pessoas já são capazes de brigar, agredir, ofender e até incitar o ódio e a violência em postagens em redes sociais, se conseguem pregar e fazer a violência pelas palavras, imaginem no trânsito, um espaço permeado de agentes estressores.

O século 21 veio carregado de inovações, de mudanças rápidas, de novidades tecnológicas, de celulares de última geração em que se faz de tudo com eles, até ligação telefônica. As pessoas estão perdendo a humanidade, estão mais individualistas, egoístas, mais agressivas, valorizam mais o ter do que o ser e basta um olhar atravessado para que se meçam, se agridam gratuitamente e se ataquem com muito mais adrenalina do que qualquer animal de rinha. Seja pelas redes sociais, atrás da telinha do computador ou do smartphone. Virtudes próprias do ser humano como o respeito ao outro, a tolerância, a educação e a própria humanidade estão cada vez mais em falta. Seja naquela que atropela e sai carregando o corpo em cima do capô, no parabrisas ou arrastando pelo asfalto, seja por aqueles que pregam toda a forma de violência, intolerância, xenofobia, racismo e agressões gratuitas pelas redes sociais.

É por essas e outras que a questão da violência no trânsito está para muito além das infrações, autuações e pontos na carteira ou da explicação simples e linear de que a violência no trânsito é feita e pode ser explicada somente pelos comportamentos de quem infringe algum tipo de lei de trânsito.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso