X
X

Diário da Região

05/08/2016 - 00h00min

PROTEJA-SE

O que fazer em caso de desaparecimento de crianças

PROTEJA-SE

Orlandeli NULL
NULL

Veicula-se que a estimativa do Governo Federal é de 40 mil crianças desaparecidas todo ano, mas sabemos que o número é muito maior porque não há registros oficiais de todos os casos e isto ocorre devido à falta de informação sobre o assunto. Não existem campanhas esclarecedoras que ensinem os pais como agir no momento em que o seu filho desaparece, e esta falta de conhecimento piora ainda mais a recuperação da criança num tempo hábil.

Por que desaparecem? Vários podem ser os motivos: tráfico de crianças por quadrilhas que atuam em território nacional e internacional, que aliciam ou sequestram crianças para fins de venda de órgãos; trabalho escravo infantil; prostituição infantil e adoção ilegal; crimes de pedofilia; fuga de casa devido a maus tratos dos pais; mendicância; dependência química e outros.

O que fazer no desaparecimento? A primeira coisa a se fazer é manter a calma e identificar os locais onde ela poderá estar. Comunique imediatamente amigos e parentes e vá até a delegacia mais próxima de sua casa fazer um boletim de ocorrência. Não é preciso esperar 24 horas. A família tem o direito de exigir o B.O imediatamente. Descreva a situação em que ocorreu o desaparecimento e a aparência da pessoa. Forneça sempre o máximo de detalhes e leve fotos e documentos da pessoa desaparecida.

Prevenção: Nunca tire os olhos de seu filho em locais de grande movimento; em locais públicos, sempre saiba onde seu filho está e informe a ele onde você está; faça questão de levar e buscar seu filho em festinhas e outros programas; mantenha atualizados na escola e outras instituições que ele frequenta o endereço, os telefones da família e o nome das pessoas que devem ser procuradas em alguma necessidade ou emergência; oriente a escola, no caso de algum estranho aparecer para pegar seu filho, que jamais o libere sem que você tenha autorizado; ao chegar em um evento, mostre ao seu filho quem são as pessoas que fazem a segurança (os policiais, os vigias ou os seguranças) para que ele peça ajuda, caso necessite; combine pontos de encontro para o caso de vocês se perderem; aconselhe seu filho a nunca falar com estranhos, mesmo se a pessoa o chamar pelo nome; faça com que seu filho memorize o endereço e o telefone de casa (se seu filho tiver uma deficiência que impossibilite a sua comunicação, faça um cartão com estes dados).

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso