X
X

Diário da Região

05/08/2015 - 00h00min

artigo

Lei de Cotas nas empresas

artigo

O artigo 93 da chamada Lei de Cotas (lei nº 8.213/1991) estabelece que empresas com 100 ou mais empregados devem reservar 2% a 5% do seu quadro para contratação de pessoas com algum tipo de deficiência. O objetivo é trazer o reabilitado ou portador de deficiência ao convívio social, evitando a sua exclusão e marginalização. Para se adequar à lei, o primeiro desafio enfrentado pelas empresas é definir quais funções se adaptam aos tipos de deficiências, além de, em alguns casos, providenciar a adaptação dos ambientes de trabalho (estrutura física), facilitando a acessibilidade.

Além disso, há necessidade de treinamento específico para o profissional portador de deficiência. No entanto, passadas mais de duas décadas de vigência da Lei de Cotas, ainda é possível encontrar muitas organizações com dificuldades para cumprir com as suas exigências. A principal queixa das empresas é a falta de interessados nas vagas disponibilizadas. Isto ocorre porque geralmente as vagas oferecidas são para funções operacionais, ou seja, que não exigem qualificação profissional, com salários pouco atrativos. Além disso, há portadores de deficiência que não demonstram interesse em trabalhar, pois contam com o suporte financeiro da família ou porque, infelizmente, não se sentem capazes, ou ainda por receberem benefício previdenciário.

Aliás, cumpre mencionar que eventual contrato de trabalho faz com que cesse a percepção do benefício previdenciário, o que pode ser fator de desestímulo. Há ainda tipos e graus de deficiências que não permitem o exercício de qualquer atividade laboral, além da dificuldade de locomoção urbana. Alguns candidatos acabam sendo eliminados do processo seletivo, pois como em qualquer seleção de emprego, certos critérios devem ser observados sem que isto configure discriminação. A notícia boa é que, cientes da dificuldade que as empresas vêm enfrentando para cumprirem com as exigências estabelecidas na Lei nº 8.213/91, os Tribunais têm anulado as multas aplicadas pelo descumprimento da cota, desde que as empresas comprovem que tentaram atender à determinação legal.

A 2ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho anulou auto de infração e dispensou uma companhia de pagar multa por não cumprir a cota de empregados com deficiência ao reconhecer que a empresa tentou atender ao comando de reserva de 5% de seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência, mas houve carência de profissionais habilitados. Portanto, a orientação àquelas empresas que estão submetidas à Lei de Cotas, e que estão tendo dificuldade na contratação de empregados portadores de deficiências, é que arquivem farta documentação que demonstre as tentativas de atendimento da norma legal, a fim de postular anulação de eventual auto de infração. Por fim, não se pode esquecer que o objetivo da lei é a inserção social dos deficientes. Assim, se as empresas contratarem os deficientes apenas com o intuito de preencher a cota, sem providenciar a integração destes ao ambiente de trabalho, acabará contribuindo para a discriminação e a marginalização destes trabalhadores.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso