X
X

Diário da Região

28/02/2015 - 22h45min

 

Estado avestruz

 

Sintomáticas as circunstâncias que envolveram diferentes momentos das agressões de um aluno de 15 anos na escola estadual José Felício Miziara, em Rio Preto. São reações autoexplicativas, da operação abafa ainda dentro da instituição de ensino, com a direção simplesmente preferindo se omitir, à patética insistência da Secretaria de Estado da Educação em minimizar a barbárie, que começou dentro da escola e piorou do lado de fora. Um curto vídeo feito com celular por um dos colegas, publicado na internet e divulgado pelo Diário, mostra o garoto sendo pisoteado até na cabeça. O caso aconteceu dia 23, segunda-feira, mas os pais só registraram queixa na polícia sexta-feira. Não sem antes temer uma punição interna, já que a direção da escola costuma simplesmente suspender envolvidos em briga, "seja vítima, seja agressor", como afirma o pai do menino. Enquanto isso, a Secretaria da Educação - que põe mordaça nos diretores e professores - prefere usar a sua já manjada e preferida estratégia: a do avestruz, que enfia a cabeça na terra para não ver o que todo mundo está vendo. A primeira preocupação da assessoria de comunicação do Estado, ao ser questionada pelo Diário, foi tentar convencer que tudo se passou "apenas" do lado de fora, ignorando o início da confusão dentro do estabelecimento, após uma brincadeira da vítima sobre o novo par de tênis do seu algoz.


Como o argumento não colou, a assessoria passou a afirmar que os pais da vítima pediram "desculpas" à direção, dizendo que tinham se equivocado sobre o local da barbaridade. Obviamente, foi desmentida pelos familiares do adolescente. "Em nenhum momento pedimos desculpa, meu filho levou um soco no pátio da escola", disse o pai. Na sexta-feira, aliás, o agressor frequentava a aula normalmente, desfilando a certeza da impunidade. Apenas depois de muita lorota a secretaria lembrou o projeto do tal "professor mediador", escalado nas escolas para desenvolver "trabalho de cultura de paz" com os alunos e familiares. Na prática, só mais uma pirotecnia. Não se deve, é claro, desconsiderar a parcela de responsabilidade dos pais, desde o berço. Mas essa dissimulação só potencializa a desconfiança e revela o fracasso do Estado numa área absolutamente estratégica, que deveria funcionar como base para o desenvolvimento de todos os outros segmentos sociais. Aluno de 15 anos foi agredido dentro de escola, mas Estado insiste em minimizar a barbárie


>> Leia aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso