Semana Santa sem fiéis nas igrejas da região de Rio PretoÍcone de fechar Fechar

FÉ E CORONAVÍRUS

Semana Santa sem fiéis nas igrejas da região de Rio Preto

Missas serão transmitidas pelas redes sociais das paróquias da região


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A Semana Santa, que reúne as principais celebrações da Igreja Católica, será diferente neste ano. Com a pandemia de coronavírus, fiéis deverão ficar longe das igrejas e padres celebrarão as missas com portas fechadas. Até as habituais encenações da Paixão de Cristo estão canceladas.

Maria Aparecida Girandelli faz parte do coral da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Bálsamo. Ela é uma fiéis que têm acompanhado as missas pelas redes sociais, mas sente falta de frequentar as celebrações na igreja. "Ficamos muito chateados de não poder ir, mas temos que colaborar. O que a gente pode fazer é rezar nesse momento, por todos que sofrem. A Semana Santa é muito forte, vai ser muito diferente".

Acostumada a participar há mais de 25 anos da tradicional encenação da Paixão de Cristo em Bálsamo, ela conta que estava tudo pronto. "Estávamos ensaiando desde janeiro. Será o primeiro ano que não vai acontecer a encenação e a caminhada", afirmou.

Segundo a organizadora da encenação, Mariana Delfino, depois de reuniões, o grupo optou por adiar a encenação para o dia 11 de outubro, com a festa da padroeira da cidade. "Para nós não é certo cancelar a encenação e a caminhada, pois, além dos integrantes e dos colaboradores que estão envolvidos diretamente com a encenação, tem também as pessoas que pagam promessas durante a caminhada", destacou Mariana. Em Rio Preto, a encenação na Basílica de Nossa Senhora Aparecida também foi cancelada devido à pandemia.

Quem também teve que alterar a rotina e o modo de celebrações são os padres. É através das redes sociais que agora eles se comunicam com os fiéis. "Na minha paróquia cabem 700 pessoas sentadas. Eu estou sempre acostumado a ver a igreja lotada, e de repente me vejo sozinho. A gente sente um vazio, muito embora a confiança e a esperança que essa pandemia vai passar seja maior, dá um aperto no coração", afirmou o padre Alexandre Ferreira dos Santos, da paróquia São Francisco de Assis, de Rio Preto.

Diferentemente dos outros anos, neste ano, o tradicional rito de lava-pés e a procissão também serão omitidos da missa da quinta-feira santa. "Pedimos para as pessoas rezarem das suas casas. Vai estar na igreja apenas uma pequena equipe de celebração: o padre, uma pessoa para ajudar o padre, outra para sustentar o canto e uma para fazer as leituras", explicou o bispo da Diocese de Catanduva, dom Valdir Mamede.

Ramos

Em algumas paróquias de cidades do Noroeste paulista, os padres comunicaram aos fiéis para colocarem os ramos na porta de casa, que eles e ministros da comunidade passarão abençoando. Porém, na maior parte a benção será dada através das redes sociais. "Nesses casos, pedimos para que o fiéis rezem as missas pelos meios de comunicação e coloquem os ramos em casa para a bênção, respeitando as orientações do Ministério da Saúde", pontuou o padre Gilmar Margotto, da Diocese de Votuporanga.