IMG-LOGO
Home Moda
Cora Soares

Todo mundo tem um xadrez para chamar de seu!

Cora Soares - 04/04/2020 00:14

Eles estão de volta às passarelas em diversas versões. Os xadrezes retornam por meio das 'it girls' às ruas e causam frisson. Para quem achava que somente o guarda-roupa masculino estava disposto às padronagens, basta ver desfiles e vitrines com modelos que levam diversos tipos de xadrez em composições pra lá de inusitadas. Mas você conhece cada tipo de xadrez? A gente separou os principais. Confira:

Príncipe de Gales: tecido xadrez com riscos irregulares; sua obtenção se dá pelo ponto sarja com fios cardados ou penteados. A padronagem é tipicamente confeccionada em lã, mas hoje conseguimos encontrar no mercado como em malha de algodão e lona. Ideal para um blazer ou conjunto.

Xadrez Tartan: com trama de tecido quadriculado provém dos 'kilts escoceses' (um tipo de saia) e é composto por linhas de diferentes cores e espessura. Originalmente na lã, hoje também pode ser visto em tecidos mais leves. Arrase com conjuntos, ou looks monocromáticos que levem o xadrez.

Xadrez Vichy: a popular estampa picnic chegou nos anos 1950 e entrou para quebrar barreiras da moda antigamente padronizadas por gênero. Tornando os looks mais despojados, o vichy é um curinga e pode vir em diversas tonalidades.

Xadrez Madras: em composição mais divertida e misturando cores, o madras, que surgiu na cidade homônima, atualmente chamada Chennai, utiliza uma técnica manual usando tecido de algodão leve e corantes naturais. Hoje pode ser visto em diversas propostas especialmente na camisaria feminina.

Xadrez Grid: um dos mais democráticos; estampa quadriculada minimalista, urbana e de fácil combinação. Suas linhas quase sempre são finas e as cores predominantes são o preto em fundo branco e também o contrário. Looks executivos estão no topo da lista dos preferidos para a padronagem.

Pied de poule e pied de coq: do francês pés de galinha e de galo, ambas são praticamente iguais, diferenciando-se pelo tamanho. Invadiram os armários femininos na década de 1930 e não saíram mais. Para todo novo inverno eles estão lá marcando presença em blazeres, saias e calças alfaiataria. Um luxo!

Editorias:
Moda
Compartilhe: