Colágeno: por que consumir?Ícone de fechar Fechar

SAÚDE

Colágeno: por que consumir?

A suplementação da proteína em pó ou cápsulas faz muito bem para o corpo e deve ter orientação de especialista


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O isolamento social pode ser um bom motivo para criar novos hábitos a fim de prevenir o envelhecimento da pele. Pessoas com 30 anos já começam a observar as marcas de expressão. Isso tem relação com o envelhecimento natural, afinal produzimos menos colágeno, a partir dos 25 anos. Algumas pessoas ainda notam rugas mais profundas, pele mais seca e flacidez mais aparentes causadas por hábitos ruins.

Mário Farinazzo, cirurgião plástico, afirma que, com cuidados diários como hidratação, proteção solar e hábitos saudáveis, como alimentação correta, é possível postergar em cinco a dez anos a evolução de rugas. É preciso ainda manter o equilíbrio emocional. Segundo o especialista, um influenciador do envelhecimento da pele é o estresse.

Uma medida para manter a elasticidade e firmeza da pele, assim como recuperar a sua textura saudável, é a suplementação de colágeno em pó, em bala ou em cápsulas.

A endocrinologista Tânia Mara Olmedo explica que o colágeno é um dos componentes principais do corpo humano. Cerca de 30% de toda proteína do corpo é constituída por colágeno, ou seja, mais ou menos 6% do nosso peso. A sua função é garantir mobilidade das articulações, estabilidade nos ossos, saúde do músculo, do ligamento e dos tendões, assim como manter a pele sem rugas, o cabelo com brilho e a unha bonita.

Fatores como o envelhecimento, uma alimentação não saudável, a exposição excessiva ao sol, o consumo de álcool e cigarro, o sedentarismo e até a parte genética influenciam na queda do colágeno do organismo. Tanto homem, quanto mulher podem fazer a suplementação. O público feminino, em especial, acaba consumindo mais o suplemento específico para regenerar a elasticidade da pele e diminuir a formação de celulite e flacidez.

Tânia Mara Olmedo explica que existem, hoje, suplementos de colágeno para a parte muscular. "É usado por pessoas com perda de massa muscular por causa de problema imunológico, artrite reumatoide e sarcopenia. O consumo pode restaurar uma perda de massa magra e, se a pessoa fizer alguma atividade física de forma paralela, pode até resgatar uma volta de músculo perdido de até dez anos."

Os atletas que estão com as cartilagens das articulações desgastadas também são beneficiados. A suplementação atua no tratamento de doenças articulares e na prevenção de lesões. A ingestão diária dos suplementos pode ajudar no tratamento da deficiência de cálcio e aumentar a densidade óssea.

A endocrinologista Tânia afirma que é importante buscar orientação médica na hora de escolher o colágeno ideal porque existe, hoje, uma variação grande de produtos. "É preciso fazer uma investigação de perfil e pedir exames para descobrir as necessidades de cada pessoa. É preciso, por exemplo, estar com os índices corretos de vitamina C para absorção do colágeno."

A cirurgiã plástica Beatriz Lassance afirma que o exercício físico atua na produção de colágeno. A atividade consome energia e consegue, com isso, neutralizar os radicais livres, moléculas envolvidas no processo de envelhecimento, melhorando assim o que chamamos de estresse oxidativo. "O exercício físico é capaz de melhorar a produção de colágeno e o fluxo sanguíneo para a pele, além de favorecer a renovação, fortalecimento e regeneração das estruturas que conferem tonicidade ao tecido cutâneo, reduzindo o surgimento de rugas e flacidez."

A suplementação é benéfica e precisa estar aliada com o consumo de alimentos que são ricos em colágeno como peixes, carne e ovos, gelatina, frutas cítricas e vermelhas e vegetais de cor verde escura

Consuma alimentos ricos em vitamina C, como laranja, kiwi e abacaxi, que é responsável por permitir a absorção do colágeno pelo organismo