SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 06 DE JULHO DE 2022
Saúde

Desgaste no quadril

Problemas costumam se agravar com o envelhecimento da população

Gisele Bortoleto
Publicado em 29/03/2020 às 00:30Atualizado em 07/06/2021 às 04:44

Dor ao sentar ou levantar e dificuldade de locomoção são sintomas comuns às pessoas que sofrem com artrose, doença que atinge cerca de 15 milhões de brasileiros, segundo o Ministério da Saúde. Entre os problemas que afetam a qualidade de vida causados pela doença, o desgaste no quadril está entre os mais frequentes. Segundo o ortopedista Marco Aurélio Neves, esta é uma das principais queixas dos pacientes, devido à dor e impacto na realização de atividades diárias.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que até 2050, a quantidade de idosos vai duplicar no mundo. No Brasil, a expectativa é que o número de pessoas com mais de 60 anos aumente mais do que a média mundial, passando dos atuais 12,5% para 30%, até a metade do século. Entre as consequências do envelhecimento, está o aumento de doenças degenerativas do corpo, como a artrose (osteoartrose).

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 9,6% dos homens e 18% das mulheres com idade superior a 60 anos sofrem com o problema. Cerca de 80% das pessoas com osteoartrose têm limitações de movimento e 25% não podem executar as principais atividades da vida diária como abrir uma caixa de alimento, dirigir, caminhar, subir escadas, levantar e segurar objetos.

A artrose causa degeneração das cartilagens, sendo mais comum em pessoas com idade acima de 45 anos. "Embora também possa acontecer com os jovens, a doença tende a aparecer e aumentar com o avanço da idade e acomete as articulações em geral, sendo mais evidente no quadril por ser uma base de sustentação do corpo e dos movimentos das pernas", explica Neves.

Quando há desgaste na cartilagem do quadril, os principais movimentos que fazemos com as pernas e com a coluna se restringem aos poucos. Os ossos do fêmur e da bacia começam a raspar. "Muitos pacientes contam que sentem esse atrito e, muitas vezes, um estalo a cada passo", diz ainda o ortopedista.

Quanto mais a doença se agrava, mais restritos se tornam os movimentos, é aí que começam as dores e limitações. O paciente passa a ter dificuldade para andar, ficar de pé por muito tempo e realizar atividades simples do dia a dia, como calçar os sapatos ou dirigir.

Outras causas

Além da artrose, outras causas de dor no quadril são bastante comuns: necrose, falta de anatomia perfeita (fato que impede pelo menos 15% da população de praticar exercícios de repetição) e sequelas de traumas - neste caso, atletas profissionais e amadores são as principais vítimas. "Mas as estruturas do quadril, em especial a cabeça do fêmur, também são bastante suscetíveis aos efeitos do alcoolismo e ao uso de corticoides (empregados para tratar alergias e doenças autoimunes), podendo facilmente sofrer um infarto - conhecido como osteonecrose da cabeça do fêmur", explica o ortopedista Lafayette Lage.

Com o passar do tempo, a pessoa começa a sentir tanta dor que acaba restringindo seus movimentos e comprometendo sua qualidade de vida. Em grande parte dos casos, a cirurgia é o tratamento mais indicado para aliviar a dor e restaurar funções.

Principais sintomas

Dor no quadril, que piora ao andar ou ao passar muito tempo sentado; Mancar ao andar; Formigamento ou dormência nas pernas; Dor que percorre a perna na parte interna, do quadril até o joelho;Queimação na batata da perna; Mais dificuldade de movimentar a perna ao acordar; Sensação de ter osso raspando ao se movimentar; Dificuldade de calçar os sapatos ou levantar uma cadeira.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por