Especialistas falam como tratar e evitar as olheirasÍcone de fechar Fechar

PREVENÇÃO

Especialistas falam como tratar e evitar as olheiras

O corretivo não é a única forma para disfarçar as desagradáveis manchas no rosto. Descubra como prevenir e tratar as sombras escuras embaixo dos olhos


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

As olheiras são frequentemente associadas a noites mal dormidas, entretanto, de acordo com especialistas, suas causas podem estar relacionadas a vários fatores. Mas, afinal, o que são as olheiras e quais são as soluções para tratá-las? Há vários tipos de olheiras; de um modo geral, são caracterizadas por manchas escuras ou levemente escuras embaixo dos olhos, podendo, também, apresentar bolsas avantajadas de gordura na região.

Sabe-se que as pessoas podem ter predisposição a determinados tipos de doença, como também as cores dos olhos e tipos de cabelo, justamente porque têm relação com o fator genético. Já no caso das olheiras, segundo a dermatologista Silvia Strazzi, a herança genética é um fator determinante para o surgimento dessa condição, entretanto, hábitos no dia a dia também podem originar e/ou intensificar o problema. "As olheiras pigmentares, por exemplo, têm origem genética, mas o excesso de sol ou a fricção da região (coçar) podem favorecer o depósito de melanina no local", explica.

Ao longo dos anos, o debate sobre o estilo de vida vem ganhando força, isso porque o ritmo acelerado se tornou cada vez mais frequente e fez com que os indivíduos desenvolvessem doenças causadas por esse fator. Para a dermatologista e tricologista Angélica Pimenta, alguns aspectos que influenciam no aparecimento das olheiras, como noites mal dormidas, fadiga, fumo, estresse e alergias, são algumas causas mais comuns do problema.

Além disso, bolsas de gordura, flacidez, aumento da vascularização do local e hiperpigmentação também contribuem para o seu aparecimento. "Esses sinais geralmente ocorrem a partir dos 30 anos, quando existe um 'envelhecimento' da região. Vale lembrar que pessoas com alergias como: rinite, sinusite, entre outras, estão mais predispostas a terem olheiras mais profundas, independentemente da idade", explica a dermatologista Angélica.

Usar métodos de prevenção sempre será uma boa alternativa para não desenvolver problemas, para a especialista Silvia, nem sempre é possível prevenir as olheiras, uma vez que o fator genético é determinante para a condição, porém existem alguns cuidados diários que ajudam a atenuar os sinais. "Não fumar, usar protetor solar diariamente, hidratar a pele com produtos específicos para a região dos olhos, não coçar os olhos e dormir bem são hábitos preventivos", diz.

A dermatologista Angélica complementa dizendo que a principal prevenção é adotar hábitos saudáveis, além de amenizar o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarros. A alimentação e produtos para os olhos podem auxiliar e aliviar a aparência das olheiras. A vitamina K, presente na couve, as amêndoas, que possuem vitamina E, além das carnes, que são fontes de ferro, ajudam. Já as frutas cítricas, ricas em vitamina C, bem como a batata-doce, que possui vitamina A, também contribuem para amenizar os efeitos das olheiras. "Ao passar os cremes e hidratantes para a região dos olhos, é importante fazer movimentos circulares para ajudar a circulação do local e melhor absorção dos produtos", orienta.

Para as pessoas que possuem a condição, o indicado é buscar ajuda profissional de um dermatologista, que avaliará a área e orientará qual o melhor tratamento para o tipo de olheiras presente. "Os cuidados preventivos e o uso de clareadores são indicados para a maioria dos casos (tratamentos). Nos casos das olheiras estruturais, causadas em virtude do formato do rosto e falta de gordura na região abaixo dos olhos, o preenchimento com ácido hialurônico pode ser indicado", explica a profissional Silvia Strazzi.

(Colaborou: Beatriz Moreira)

Javier Sánchez Mingorance
  • Olheiras pigmentadas: possuem cor amarronzada, sendo mais comum em peles morenas e negras, devido ao excesso de melanina e exposição ao sol sem proteção;
  • Olheiras vasculares: são de cores arroxeadas e/ou azuladas, essas são causadas pelos finos vasinhos que ficam nessa região;
  • Olheiras estruturais: caracterizadas por cores mais escuras e acinzentadas, devido a flacidez e pele mais fina embaixo dos olhos, dando a impressão de sombra profunda na região;
  • Olheiras mistas: esse tipo são causadas por mais de um fator, como, por exemplo, excesso de melanina e vascularização.

Fonte: Silvia Strazzi, dermatologista

Um fato que muitas pessoas desconhecem é que o médico oftalmologista, especializado em cirurgia plástica ocular, também pode resolver os problemas de olheiras. O especialista avaliará a condição do paciente e verá se há necessidade de remoção das bolsas de gordura presentes nas pálpebras inferiores ou, até mesmo, a aplicação de preenchedores, como o ácido hialurônico no sulco profundo.

O médico oftalmologista, especialista em plástica ocular, vias lacrimais e orbita, Sérgio Grecca, afirma que existem vários tratamentos, desde os mais comuns para atenuar as olheiras, como compressas frias, até os tratamentos mais complexos, como o laser com luz intensa pulsada, peeling ou radiofrequência.

"Muitos apresentam bolsas de gordura que melhoram com sua retirada através da blefaroplastia. Ela pode ser por via externa, onde pode associar a retirada da pele flácida no mesmo ato, e a cicatriz fica imperceptível abaixo da linha dos cílios das pálpebras inferiores. Ou pode ser feita por via interna, onde a gordura é removida por dentro e não deixa cicatriz (indicada nos casos em que não haja indicação da retirada da pele)", explica o médico.

O oftalmologista ainda ressalta que as olheiras têm um cunho mais estético, já que não interferem na visão do paciente, além de não provocar sintomas externos.