Gato mais seguroÍcone de fechar Fechar

Pets

Gato mais seguro

Alguns cuidados garantem a segurança do seu gato dentro de casa


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O número de gatos no Brasil é maior do que a média mundial e as razões que levam alguém a ter um gato são as mais variadas. Enquanto a população mundial de felinos soma 12% dos animais domésticos, no Brasil esse número alcançou 17%, ou 23,9 milhões de animais. São mais de 139 milhões de bichinhos entre cães, gatos, peixes e aves ornamentais. Os dados do IBGE atualizados pelo Instituto Pet Brasil e Euromonitor International revelam, ainda, que o País é o quarto no mundo em número total de animais de estimação e o segundo em número de cães e gatos.

Motivos para as pessoas se apaixonarem pelos gatos não faltam. Eles são inteligentes, amorosos, independentes, e estudos mostram, inclusive, que proporcionam relaxamento, já que o ronronar deles pode ajudar a reduzir o estresse em humanos. A verdade é que existem tantas razões para amar gatos quanto existem gatos no mundo.

É o que aponta um estudo realizado com 4.500 pessoas durante 20 anos por cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos. Segundo o trabalho, os participantes que não criavam felinos tinham 40% mais chances de morrer de ataque cardíaco. Os pesquisadores acreditam que isso possa estar relacionado com o efeito relaxante de ter um bichinho desses em casa. Em um outro estudo, Karen Allen, pesquisadora da Universidade Estadual de Nova Iorque descobriu que corretores com hipertensão que adotaram um gato tiveram menores leituras de pressão arterial em situações estressantes do que aqueles que não possuem o animal.

Por conta disso, tutores de gatos aumentam a cada dia, e esse movimento já é pauta de pesquisas que buscam entender o perfil destas pessoas. Uma recente pesquisa realizada pela Mars Petcare, maior empresa de alimentos para pets do mundo e líder global no segmento, com 1 mil tutores de gatos, observou as principais características dos donos. Os resultados mostraram que as pessoas que gostam de gatos têm mais propensão a serem criativas, com mais chances de trabalhar com áreas que envolvem inovação e criação. Esses tutores também são mais propensos a assistirem a documentários, musicais e filmes alternativos, assim como são mais propensos a desfrutar de hobbies mais leves, gostam de ler, escrever e realizar trabalhos manuais.

Outra pesquisa mostra que as pessoas que apreciam mais os felinos também tendem a ser não conformistas. Em alguns testes de inteligência, os amantes de gatos pontuaram mais. Mas talvez tudo tenha a ver com os ambientes em que estas pessoas estão. Segundo a pesquisadora Denise Guastello, professora de psicologia da Carroll University, nos Estados Unidos, parte da razão para as diferenças de personalidade pode estar relacionada com os tipos de ambientes onde essas pessoas convivem com seus animais. Ela diz ainda que, se você é mais introvertido e sensível, talvez seja propenso a ser uma pessoa mais caseira, que goste de ficar lendo um livro, enquanto seu gato fica por perto.

Fique atento

Embora eles sejam independentes, o tutor deve ficar de olho e garantir a segurança deles. "Os animais de companhia adoram brincar com tudo que veem pela frente, por isso, a família precisa estar atenta", explica o veterinário Jorge Morais. "Os acidentes mais comuns são os traumas, a ingestão acidental de corpos estranhos e choques elétricos devido a mordedura", explica veterinário Eduardo Nelson da Silva Pacheco, do Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo.

Fique de olho nos fios elétricos que podem despertar a curiosidade dos felinos e causar acidentes, como choques. Caso os aparelhos não estejam em uso, devem ser retirados da tomada;

Mantenha fechados possíveis buracos e saídas como portas e janelas, impedindo que eles fujam. Coloque telas nas janelas e sacadas. Previna para que não se escondam em locais como máquinas de lavar, geladeiras ou mobílias que possuam algum vão;

Retire do alcance dos gatos objetos da casa com potencial de quebra, a fim de protegê-los de ferimentos com cacos ou pontas afiadas;

Redobre a atenção com os produtos de limpeza regulares e as plantas cultivadas no ambiente, que muitas vezes são tóxicas para os gatos, como os lírios e as azaleias;

Tenha brinquedos adequados para os gatos, de preferência que não possuam detalhes pequenos que podem ser facilmente engolidos;

Tenha o contato do veterinário em um lugar de fácil acesso, pois caso ocorra alguma emergência você sabe a quem recorrer rapidamente.