Vamos dar um play?Ícone de fechar Fechar

SAÚDE EMOCIONAL

Vamos dar um play?

Filmes inesquecíveis dos anos 80 e até algumas novidades dessa década para assistir e refletir na sala de casa


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Em tempos de coronavírus, uma das medidas de prevenção indicadas pela Organização Mundial da Saúde é o isolamento social. E quarentena é sinônimo de ter mais tempo para maratonar séries e filmes, numa tentativa de distrair a mente diante de tantas notícias ruins. Neste momento, nada mais interessante que sentar no sofá ao lado da pessoa amada ou da família toda e fazer uma sessão de cinema em casa com filmes que valem a pena serem vistos e revistos.

A psicóloga Vanilda L. Souza Tanios, que realiza o projeto "Incontros", que são rodas de conversas que reúnem psicologia, arte, cultura, ciência e filosofia para promover o bem-estar físico e mental, em Rio Preto, afirma que um bom filme proporciona, além de conversas interessantes, muita reflexão, aprofundamento, novas conexões e socialização. Antes da pandemia do coronavírus, o grupo coordenado por Vanilda se reuniu e debateu o filme "A Rosa Púrpura do Cairo", um clássico de 1985 de Woody Allen.

Vencedor do Oscar e do Globo de Ouro de 1986, o longa, classificado como preferido pelo cineasta, instiga reflexões como a realização do impossível, a alienação da realidade e as dificuldades de enfrentá-la. "'A Rosa Púrpura do Cairo' é um filme lançado há 30 anos e ainda assim se revela tão atual. O filme nos propõe uma interessante discussão entre realidade e fantasia, o fim dos limites entre o virtual e o concreto e muitas vezes as fugas para enfrentar cada situação difícil. Parece ser apenas mais uma comédia romântica, mas o que se tem é muito mais do que isso."

Assistir a um filme, segundo Vanilda, possibilita muito além da distração. "Nos conecta conosco mesmo, amplia nosso olhar para novas possibilidades de vida e é altamente eficaz para o nosso crescimento e autoconhecimento. Enfim, nos humaniza e cuida da nossa saúde."

O diretor de cinema Alexandre Estevanato, de Rio Preto, que lançou curtas-metragens como "Minha Mãe, Minha Filha", com Eva Wilma e Helena Ranaldi, afirma que, como a quarentena é tempo de renovação e redescobertas, um bom filme para assistir é o indiano "The Sky is Pink (O céu é rosa)", baseado na história de amor de um casal de 25 anos, contada através das lentes de sua filha adolescente. O longa mostra a força de uma mãe que trava uma guerra para salvar a filha doente. "É um filme de superação e determinação para encher o coração de emoção e esperança."

A extensa jornada de trabalho, pouca diversão e quase nenhum tempo com a família são alguns pontos explorados no longa "Click", com Adam Sandler, cujo personagem, o arquiteto Michael Newman, compra um controle remoto mágico para solucionar os seus problemas pessoais e profissionais. Estevanato afirma que, nos primeiros minutos, o filme se mostra uma comédia, mas depois revela o drama da vida real. "O longa reflete sobre a valorização da família e da importância do tempo."

"Diário de Uma Paixão", primeiro filme adaptado da obra de Nicholas Sparks, também merece ser assistido neste momento em que as relações são vistas como superficiais por algumas pessoas. Alexandre Estevanato afirma que o romance de 2004, com Ryan Gosling e Rachel McAdams, está disponível na Netflix. Na trama, um casal separado ainda jovem, na terceira idade, recorda momentos intensos e turbulentos de um romance na juventude. "A história cativa, emociona e faz repensar a relação com o outro."

União em família

Na casa da personal organizer Fernanda Logarolto, assistir filme em família é um hábito independente da quarentena. A rio-pretense cita alguns filmes que merecem ser assistidos por contar histórias surpreendentes, que emocionam e instigam reflexões. A primeira opção é

"Mãos Talentosas - A História de Ben Carson", que conta a história de um jovem que supera grandes obstáculos para estudar medicina e salvar vidas no Hospital Johns Hopkins. A segunda dica é "Milagres do Paraíso", que mostra um milagre extraordinário, que deixa médicos e familiares de uma garotinha inspirados. A terceira sugestão é "Lion: Uma Jornada para Casa", que traz uma história real de um homem em busca de suas origens.

"As Irmãs Brontë" (Drama, 2016)

Filme sobre a família de escritoras Brontë é uma viagem pela literatura inglesa

  • Onde assistir: Looke, Now, Google e iTunes

"Moonlight - Sob a Luz do Luar" (Drama, 2016)

Vencedor do Oscar em 2017, longa mostra as três fases da vida de um jovem negro

  • Onde assistir: Netflix

"O Menino Que Descobriu O Vento" (Drama, 2019)

Jovem de Malawi começa a desenvolver uma inovadora turbina de vento

  • Onde assistir: Netflix

"Nise - O Coração da Loucura" (Drama, 2015)

Doutora Nise da Silveira propõe uma nova forma de tratamento aos pacientes

  • Onde assistir: Netflix

"Extraordinário" (Drama, 2017)

História de Auggie Pullman, um garoto que nasceu com uma deformação facial

Onde assistir: Amazon Prime

"Comer, Rezar e Amar" (Drama, 2010)

Elizabeth vive novas experiências em lugares diferentes e mostra a coragem e a força feminina

  • Onde assistir: Globo Play e Netflix

"Bohemian Rhapsody" (Drama, 2018)

Longa conta a história da banda Queen e a trajetória do cantor Freddie Mercury

  • Onde assistir: Net Now

"A História Verdadeira" (Drama, 2015)

Uma investigação longa que engloba assassinato, amor, engano e redenção

  • Onde assistir: Netflix