Saia da bolhaÍcone de fechar Fechar

Saúde Emocional

Saia da bolha

Quando viver na ilusão é mais cômodo do que encarar uma triste realidade


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Quem nunca passou por uma ilusão na vida? A ilusão nada mais é do que um conceito que surge na sua imaginação, um erro nos sentidos, em que você acredita que determinada coisa é real, mas não é. Você cria uma realidade que não existe, a coloca como se fosse e vai se enganando com isso. É como se criasse uma bolha e vivesse nela.

"Às vezes, viver na ilusão pode ser mais cômodo do que encarar uma triste realidade. Aliás, é exatamente por isso que nos deixamos enganar. Porque muitas verdades doem na alma, esmagam o coração e nos jogam no chão. Então, mesmo sem se dar conta, a pessoa finge que não vê o que está bem claro, nega aquilo que é evidente e se deixa enganar até por si mesma", diz Luciano Cazz, autor do livro "A Tempestade Depois do Arco-Íris".

Constantemente criamos fantasias em nossa mente, bloqueamos nossa consciência e nos recusamos a aceitar a verdade. Não queremos enxergar o que está na nossa frente e usamos os mais variados mecanismos de defesa, seja de forma consciente, seja de forma inconsciente. Isso tudo para evitar ou reduzir os eventos, os fatos, os acontecimentos da nossa vida que nos são inadmissíveis por questões nossas, pelo contexto em que vivemos ou mesmo por medo.

"A sensação de que podemos controlar a nossa vida, a vida dos outros e o mundo a nossa volta é uma das mais frequentes ilusões. Nem sempre é fácil diferenciar a ilusão de controlar e a realidade de amar e de compreender", explica a terapeuta psicanalista integrativa, filósofa e escritora Ana Matos.

A consciência humana está quase sempre envolvida por ilusões que impossibilitam, por um lado, a capacidade de autopercepção; por outro, dificultam o contato com a realidade das coisas e pessoas. "Quanto menor a intensidade do que sentimos, quanto menos sentimos, mais fácil o controle da situação e mais sob controle estamos no sentido das nossas expectativas. Temos a falsa ilusão de que podemos controlar ou que o mundo externo está sob o nosso controle, mesmo nesse caso", diz ainda Ana.

Não se engane com as pessoas erradas: No fundo, todo mundo sabe quem é quem e dá para sentir quando alguém nos trai. Você percebe pela forma como uma pessoa trata as outras, mas prefere crer que com você será diferente. Apesar de uma sensação desconfortável, você insiste no relacionamento por carência, solidão, como se uma falsa amizade fosse capaz de fechar um buraco na alma. Saia dessa bolha;

Não se engane com suas escolhas: Todos temos motivos para nos enganar com algo que parece ser sempre o melhor. Muitas vezes os argumentos fazem todo sentido, mas não convencem o coração. Você opta pelo emprego que paga melhor salário, pelos amigos que oferecem mais vantagens, casa com a pessoa que acha a certa, não com a que ama. Segue os valores determinados pela sociedade, não os próprios e genuínos. Passa a viver uma vida de ilusão, onde finge que é feliz, mas não é;

Não se engane com ideias erradas: Muitas vezes, nos deixamos enganar por aquilo que sabemos não ser real. Os motivos são os mais variados. Mas mesmo concordando, dentro de você sente que está errado. Frequentemente, mesmo se sentindo equivocado, discute por uma causa que não faz sentido, que não é sua. Então, fica estagnado em ideias ilusórias, que nos tiram a noção da realidade. Ninguém pode ser feliz se relacionando com a pessoa de que não gosta, trabalhando em um lugar que não faz sentido ou cercada de pessoas falsas.

Fonte: Luciano Cazz