Domingo Marcolino BraileÍcone de fechar Fechar

Domingo Marcolino Braile


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18
  • Nascimento - 8 de abril de 1938 (Nova Aliança)
  • Morte - 22 de março de 2020 (São José do Rio Preto)
  • Esposa - Maria Cecilia Braga Braile
  • Filhas - Patricia Braile Verdi e Valéria Braile Sternieri
  • Genros - Luis Antônio Verdi e Walter Sternieri Jr.
  • Netos - Rafael, Sofia, Giovanni e Luiza
  • Pai - Lino Braile
  • Mãe - Maria Neviane Braile
  • Profissão - médico, aviador e escritor

Formação e atuações - Cirurgião cardiovascular com graduação pela Faculdade de Medicina pela Universidade de São Paulo (FMUSP), em 1962; pós-graduação Stricto Sensu; doutorado pela EPM em 1990; livre-docência em Cirurgia Cardíaca pela Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, em 1994; professor titular livre docente em Cirurgia Cardíaca e pró-reitor da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp); pesquisador do CNPQ e orientador da Famerp e da Unicamp (onde chefiou o Serviço de Cirurgia Cardíaca do Hospital das Clínicas); professor e orientador do curso de pós-graduação em Cirurgia Cardiovascular da Escola Paulista de Medicina (EPM); professor na Faculdade de Medicina de Catanduva; delegado da Union de Sociedad de Cardiologia de America del Sur-Uscas desde 1992; editor-chefe do Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery (BJCVS), órgão oficial de divulgação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV); autor de dois livros ("Millenium", lançado em 2000 pela Editora Rio-pretense, e "Crônicas de Um Médico do Sertão", pela THS Editora, em 2009); condecorado com a mais elevada honraria de São Paulo, a Ordem do Ipiranga; membro da Academia Rio-pretense de Letras e Cultura; membro da Academia de Medicina de São Paulo; membro honorário da Academia Nacional de Medicina; 1º lugar do Prêmio Nacional de Inovação Tecnológica da Finep.

1963 - Torna-se pioneiro da cirurgia em sua área, em Rio Preto, com a realização de cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea no Hospital Santa Helena, do qual é um dos criadores do Serviço de Cirurgia Cardíaca; chefe dos Serviços de Clínica Cardiológica e Cirurgia Cardíaca do Hospital Nossa Senhora da Paz

1966 a 1972 - Um dos criadores dos Serviços de Cirurgia Cardíaca, de Hemodinâmica, de Tratamento Intensivo e Angiologia da Santa Casa, chefiando vários destes serviços

1967 - Um dos líderes do grupo de médicos fundadores do Instituto de Moléstias Cardiovasculares (IMC), onde chefiou vários serviços, incluindo a residência médica de 1967 a 1991

1968 a 1986 - Diretor-clínico do Hospital Infante Dom Henrique da Sociedade de Beneficência Portuguesa de Rio Preto, do qual foi membro da equipe fundadora e chefe do Serviço de Cirurgia cardíaca em 1968

1971 - Um dos fundadores da Unimed Rio Preto

1977 - Funda a Braile Biomédica, centro de excelência da indústria médica brasileira criado com objetivo de viabilizar a cirurgia cardíaca para toda a população. Empresa inicia suas atividades com o desenvolvimento e a produção de válvulas biológicas cardíacas e enxertos de pericárdio bovino, produtos pioneiros no Brasil e um dos pilares que fez com que o Brasil fosse um dos dos primeiros países no ranking de cirurgias cardíacas

1981 - Início da Cirurgia Experimental, com implantação do laboratório de Cirurgia Experimental no IMC-Biomédica

1991 - Funda o "Instituto Domingo Braile", pelo qual já foram realizadas mais de 6,3 mil operações com Circulação Extracorpórea, 650 sem circulação extracorpórea; e implantes de 5760 marca-passos; neste mesmo ano, cria o Serviço de Cirurgia Cardíaca no Hospital de Base, em Rio Preto

2019 - Lançamento do livro "A Céu Aberto - A História de Domingo Braile, o Consertador de Corações" (Editora Serifa), escrito pela jornalista Elma Eneida Bassan Mendes

2020 - Na madrugada de domingo, dia 20 de março, acamado há mais de três anos por conta de sequelas de uma cirurgia na coluna vertebral, doutor Braile perde a luta contra recorrentes pneumonias e morre aos 81 anos

Um dos mais importantes cardiologistas do Brasil, Braile dedicou a sua vida para que o brasileiro comum, do interior, pudesse ter acesso a cirurgia do coração. Ele tinha no sangue o desejo e a paixão em cuidar de gente. Apaixonado pelo desenvolvimento de Rio Preto, trabalhou em várias frentes para que isto se concretizasse. Confira abaixo os números do médico cirurgião cardiovascular, pesquisador e empreendedor:

  • Preceptor de 250 residentes
  • Realizou mais de 30 mil cirurgias cardíacas
  • Participou de mais de 200 bancas examinadoras de orientação
  • Orientou mais de 50 dissertações e teses
  • Proferiu mais de 1000 conferências
  • Fez apresentação de mais de 700 trabalhos
  • Conquistou mais de 50 prêmios
  • Teve mais de 300 artigos publicados em revistas nacionais e internacionais da especialidade
  • Apresentou 568 trabalhos em eventos científicos
  • Em jornais, teve mais de 1000 artigos publicados
  • Foi membro de 25 Conselhos Editoriais
  • Atuou por 18 anos editor chefe da revista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
  • Piloto privado IFR de avião e planador desde 1955, o cirurgião contabilizava mais de 20 milhoras de voo em 52 anos de aviação
  • Foi presidente do AeroClube de Rio Preto por 12 anos e vice-presidente por 18 anos