Marcondes recua e fala em tentar reeleiçãoÍcone de fechar Fechar

COLUNA DO DIÁRIO

Marcondes recua e fala em tentar reeleição

Atual cenário político em Rio Preto indica que vereador Fábio Marcondes deverá permanecer no atual partido


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Após passar meses repetindo como um mantra que não disputaria a reeleição em outubro, o vereador Fábio Marcondes (PL) mudou de postura e não tem mais convicção de sua decisão e, pela primeira vez, admitiu que pode recuar da sua decisão. E o atual cenário impõe ao parlamentar mais um revés, ou seja, de permanecer na sua legenda atual e abandonar a ideia de migrar para o DEM capitaneado pelo vice-governador Rodrigo Garcia. "Diante do atual cenário existe a possibilidade de sair a vereador", disse à Coluna na segunda-feira, 23.

Marcondes recebeu aval para permanecer na Câmara em mensagens do grupo de WhatsApp que reúne os pré-candidatos a vereador do PL. A intenção inicial dele, no entanto, era disputar a Prefeitura de Rio Preto pelo DEM com o apoio de Rodrigo.

O vereador do PL não conseguiu fazer decolar o seu projeto pessoal e, agora, é obrigado a recuar para tentar, eventualmente, viabilizar o seu nome como vice em chapa a ser encabeçada pelo ex-deputado estadual Orlando Bolçone, que deve deixar o PSB do ex-prefeito Valdomiro Lopes , e se filiar no DEM.

O partidário de Marcondes no Legislativo, Anderson Branco (PL), acredita que a mudança de plano reforça a legenda na disputa por cadeiras na Casa. Ele, inclusive, acredita que o PL pode eleger ao menos três parlamentares.

"Creio que ele pode ajudar a nossa chapa. Não sei se terá a mesma votação da última eleição, mas nos ajudaria", disse Branco.

Na eleição de 2016, Marcondes registrou 8.096 votos, quando foi acusado de manter um suposto esquema de compra de votos. A Justiça, no entanto, suspendeu as provas colhidas na investigação da Polícia Federal.

Nesta terça-feira, 24, Marcondes disse que não comentaria "estratégia política". Em nota, ele disse que Rodrigo Garcia busca "resolução para soluções em atendimento de saúde e respaldo econômico, apaziguando a situação no Estado de São Paulo".

 

Precoce

Bombardeada por questionamentos sobre adiamento da eleição prevista para outubro, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, divulgou comunicado do órgão. Segundo a ministra do TSE, é "precoce" falar sobre adiamento da eleição. "Entendo cuidar-se de debate precoce". A ministra lembrou ainda que as datas são previstas em lei. Ou seja, por ora, para alterar datas é preciso que o Congresso aprove lei que prorroga os mandatos.

Redução

O deputado estadual Arthur do Val, conhecido como "Mamãe falei", fez ao governador João Doria (PSDB) indicação para que se reduza momentaneamente a até R$ 5 mil o salário de todos os funcionários públicos do Estado, incluindo políticos. Os recursos provenientes da economia seriam destinados ao combate da pandemia da Covid-19.

Isenção

O vereador Jean Dornelas (sem partido) solicitou ao prefeito Edinho Araújo isenção do IPTU para contribuintes que recebem até dois salários mínimos.

Aposta alta - O vereador Marco Rillo ao justificar a sua saída do PT afirmou que a militância do partido está "meio envelhecida". Agora no PSOL comandado pelo seu filho ex-deputado estadual João Paulo , Rillo disse que os petistas não vão conseguir montar uma chapa de vereadores competitiva. O PT diz que vai dar a volta por cima. Já o vereador afirma que a sua nova legenda vai eleger ao menos dois parlamentares na eleição de outubro.

Em casa - Tanto a Justiça quanto o Ministério Público baixaram novas normas de atendimento em meio à pandemia do coronavírus. Nova portaria do Tribunal de Justiça determina que juízes e todos funcionários de fóruns realizem serviço em casa. As decisões de magistrados agora adotam este modelo. Na última semana, o judiciário já havia determinado sistema de plantão, com revezamento de juízes e promotores para casos de urgência.