Prefeitura de Rio Preto põe 2,8 mil servidores em casa Diário da Região - Rio Preto e região

Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 31 min 17
25/03/2020 - 00h30min

De longe

Prefeitura de Rio Preto põe 2,8 mil servidores em casa

Estimativa do município é que 30% estão em sistema home office

Guilherme Baffi 24/3/2020 Movimentação da entrada do prédio da Prefeitura na manhã desta terça-feira, com faixas que restringem acesso ao local, na avenida Alberto Andaló
Movimentação da entrada do prédio da Prefeitura na manhã desta terça-feira, com faixas que restringem acesso ao local, na avenida Alberto Andaló

A Prefeitura de Rio Preto autorizou trabalho em casa para servidores, estagiários e até secretários numa escala que só aumenta a cada a dia, com publicações de novos decretos e regras para evitar ao máximo atendimento presencial em prédios do Executivo devido à pandemia do coronavírus a Covid-19.

De acordo com estimativas da assessoria do governo de Edinho Araújo (MDB), são cerca de 8,5 mil funcionários, em lista que inclui Prefeitura, Serviço Municipal Autônomo de Água de Esgoto (Semae), Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb), Empresa Municipal de Processamento de Dados (Empro), Empresa Municipal de Construções Populares (Emcop) e Riopretoprev.

Segundo a Prefeitura, em torno de 30% estão em serviço em casa atualmente. Isso representa cerca de 2,8 mil funcionários e a lista aumenta. Estagiários foram dispensados do trabalho enquanto perdurarem as medidas de restrições de trabalho em função da pandemia.

Cada secretaria agora tem autonomia para definir afastamentos, conforme critérios de cada pasta. O primeiro decreto de Edinho foi baixado na terça, 17. As regras eram de afastamento por 14 dias de pessoas que vieram de regiões consideradas endêmicas da doença, assim como serviço em casa para gestantes e pessoas com mais de 60 anos, ou servidor com doença respiratória ou crônica.

A lista aumentou com publicações de novos decretos, como suspensão de atividades na Área Azul e subiu ainda mais nesta terça, 24, com novo pacote publicado no diário oficial do município, com regramentos para servidores do Semae, secretarias da Habitação e Assistência Social e Procuradoria-Geral do Município foram incluídos.

"A meta é reduzir ao máximo de circulação. Quem pode hoje está em sistema home office", disse nesta terça o secretário de Administração, Luís Roberto Thiesi.

A entrada da sede do Executivo, na avenida Alberto Andaló, tem faixas para evitar acesso e funcionários que ainda circulam pelo local estão liberados de colocar a digital para controle de entrada e saída. Servidores devem acessar sistema da Empro para ter acesso aos serviços realizados por eles. A ficha de controle de frequência deve ser assinada por cada funcionário.

Até parte do secretariado de Edinho adota esse sistema de trabalho. O prefeito realiza videoconferências com titulares das pastas.

Um dos decretos publicados nesta terça, por exemplo, determina que reuniões administrativas no âmbito da Procuradoria-Geral do Município serão preferencialmente "não presenciais (virtuais), utilizando-se dos meios tecnológicos de informação e de comunicação disponíveis".

Na Riopretoprev foi adotado também sistema de rodízio e o horário de trabalho foi alterado. Servidores que utilizam transporte coletivo atuam das 10h às 16h. Foi estabelecido sistema de rodízio para o atendimento na autarquia.

As medidas podem ser revogadas dependendo da evolução da pandemia.

Nesta segunda, 23, o sindicato dos servidores protocolou na Prefeitura ampliação de medidas com relação aos funcionários. Um dos pedidos ao prefeito foi de mudanças no Serviço Especializado de Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho (Seesmet), "pois o local que atende os servidores hoje fica em um local sem circulação de ar e sem janelas".

 

Obras não alteram ritmo

Enquanto a Prefeitura de Rio Preto suspende atividades e dispensa funcionários, as obras do setor público continuam sem alterações. De acordo com o secretário de Administração, a manutenção da obras foi definida pelo governo inclusive para agilizar as empreitadas e seguir com movimentação de parte do setor econômico.

O mesmo vale para obras particulares em andamento. Nesta quarta, por exemplo, a Prefeitura homologou licitação para construção de ciclovia na avenida Bady Bassitt, no valor de R$ 1,9 milhão.

Já empresas terceirizadas que prestam serviços receberam recomendação para afastar pessoas de grupos de risco. Há funcionários que reclamam de atuar de forma diferente da determinada no município. A prefeitura afirma que a responsabilidade é da empresa. (VM)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.