Bolsonaro defende 'volta à normalidade' Diário da Região - Nacional

Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 31 min 17
25/03/2020 - 00h30min

NA CONTRAMÃO

Bolsonaro defende 'volta à normalidade'

Para ele, o vírus "brevemente passará" e a vida "tem que continuar"

Divulgação/Isac Nóbrega/PR Presidente Jair Bolsonaro durante coletiva de imprensa que ele concedeu na sexta-feira, 20
Presidente Jair Bolsonaro durante coletiva de imprensa que ele concedeu na sexta-feira, 20

Em pronunciamento em rede nacional de televisão e rádio exibido na noite desta terça-feira, 24, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a reabertura do comércio e da escolas e o fim do que chamou de "confinamento em massa". As medidas têm sido utilizadas no combate ao novo coronavírus, que já deixou 46 mortos no país. Este foi o terceiro pronunciamento sobre o tema em menos de 20 dias e novamente gerou protestos em forma de panelaços pelo País.

"Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas?", questionou. Para ele, o vírus "brevemente passará" e a vida "tem que continuar", apesar do que definiu como 'gripezinha' ou 'resfriadinho'. "O vírus chegou. Está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade."

Bolsonaro criticou a imprensa, responsabilizando-a por "espalhar a sensação de pavor" ao divulgar o número de vítimas na Itália, "país que "tem grande número de idosos e clima diferente do Brasil". Em seguida, parabenizou a mídia por, "de ontem para hoje", pedir calma à população, uma vez que "raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos de idade".

Reação

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu ao pronunciamento de Bolsonaro e cobrou uma liderança "séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população". Ele definiu a posição do presidente da República como grave, de ataque às medidas de contenção à Covid-19. "Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS)".

Ligação para Xi

Também nesta terça, Bolsonaro e o presidente da China, Xi Jinping, conversaram por telefone. O contato ocorre seis dias após uma crise diplomática causada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), acusando a China de ter escondido informações sobre o início da pandemia. Segundo embaixador chinês Yan Wanming, "os dois presidentes afirmaram o compromisso conjunto de dar continuidade ao estreito diálogo a favor do desenvolvimento saudável, estável e constante da Parceria Estratégica Global numa base forte e mais durável".

Lei de Acesso

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) divulgou nota nesta terça, 24, criticando a medida provisória que prevê suspensão dos prazos da Lei de Acesso à Informação (LAI). Segundo a entidade, nas situações atuais, o governo deveria ser ainda mais transparente e ágil. "Em situações de calamidade, a informação pública deve ser ainda mais transparente, abrangente e ágil, e não menos, como define a MP", diz a ANJ.

A entidade diz lamentar a edição do ato na segunda, 23, pelo governo. Além da ANJ, nota coletiva da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e mais de 50 entidades criticam a medida. Segundo as organizações, as propostas de mudanças na LAI são "vagas, contraditórias e sem exposição de motivos". Outros pontos criticados são os que impedem a possibilidade de recorrer de pedidos suspensos sob justificativa de servidor em home office ou em atividade de combate ao vírus, e o que deixa o ônus ao cidadão de procurar o órgão novamente para ter a resposta atendida quando o período de estado de calamidade pública acabar.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.