Esportistas têm cancelamentos Ícone de fechar Fechar

CORONAVÍRUS

Esportistas têm cancelamentos

Coronavírus cancela provas de rua e afeta rotina de grupos de corredores; planilhas online e locais abertos são recomendados


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Esporte mais democrático do planeta e que ganhou popularidade nas últimas décadas, a corrida de rua, foi afetada pela pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, assim como outras modalidades. Em Rio Preto, uma prova foi cancelada no último sábado e outras estão sendo adiadas pelos organizadores. Em Novo Horizonte, a 32ª Corrida de São José, que seria neste domingo, 22, foi suspensa. Mas além das provas, a rotina de treinamento de quem pratica a corrida de rua mudou. Treinos de grupos de corrida e assessorias já não estão acontecendo mais para evitar aglomerações e contato, seguindo recomendação do Conselho Regional de Educação Física (Cref) da 4ª Região.

"Começamos pelos nossos colaboradores e treinadores, substituindo a reunião para elaborar planilhas de treino pelo trabalho home office, cada um fez da sua casa e enviou os treinos online", conta Marcelo Lopes, educador físico da Outdoor Assessoria Esportiva. "Resolvemos cancelar todos os treinos de corrida e ciclismo presencial, onde a gente montava estrutura para os alunos se encontrarem. Não paramos as atividades outdoor, pois não é recomendado parar de treinar. Estudos mostram que quem pratica atividade física em intensidade e volumes adequados mantém o sistema imunológico mais eficiente, isso é excelente em caso do Covid-19, manifesta menos doença e se cura mais rápido."

Várias academias de Rio Preto já funcionam com menos alunos por sessão e algumas já estão fechando suas portas. "O treino de musculação que a gente fazia personal foi interrompido e orientei que não frequentassem as academias. Já teve a notificação do [governador João] Doria pra capital, academias e shoppings devem fechar. O ambiente é suscetível à contaminação, pois põe a mão para regular peso, fazer as séries", emendou Lopes.

A TR3 Assessoria Esportiva, que possui academia, diminuiu seu fluxo e estuda suspender as atividades na próxima semana. "Acredito que no mais tardar segunda-feira devem fechar academias. Estamos com grupos só de sábados, está confuso isso em relação a número de pessoas pela aglomeração, tem de respeitar uma distância, os eventos estão sendo cancelados por isso. Acredito numa parada geral como futebol", disse o educador físico Ronaldo Parra. "A gente abriu a academia, como trabalha com personal e pilates, consegue controlar o fluxo, limitando um número de pessoas por hora. Vai de cada um fazer sua parte, se higienizar, não tocar o rosto de forma alguma e se tiver sintoma de ficar e casa e se isolar. Todo mundo tem de estar junto, abraçar a causa e sair rápido dessa."

Carlos Henrique Nunes, da CH Runners, também suspendeu os treinamentos em grupos de sua equipe e parou de fazer o trabalho de personal trainer com pessoas com mais de 60 anos. "A gente vai parar por no mínimo 15 dias. Ainda fizemos treinos no início da semana ao ar livre, mas com grupos de oito a 12 pessoas e muito rápido. Mantendo as distâncias de segurança de dois metros cada um, usando o álcool em gel que a gente disponibiliza, não se cumprimentando, cada um leva sua água. Muitos já não estão indo e a gente envia as planilhas", disse Nunes.

A RP Move também adotou as planilhas online para treinos sem a aglomeração de pessoas. "Praticamente todas as provas do primeiro semestre foram canceladas. Iríamos para Maratona de Porto Alegre em 40 atletas mas por conta de tudo cancelaram. O Cref mandou orientações sobre treinos e ao ar livre está liberado. Enviamos aos nossos alunos para optarem pela planilha. E em grupo não fazer contato físico, usar álcool gel, se estiver doente ficar em casa", disse Rafael Santos. "Com todas recomendações e liberações vejo que grande parte está se precavendo, não tivemos nem 10% de alunos no treino presencial do que costuma ter em grupo", emendou.

 

Mesmo o treinamento individual por planilhas pode oferecer riscos aos amantes das corridas de rua. Locais abertos populares em Rio Preto para a realização desta atividade podem ter um grande fluxo de pessoas em diversos horários do dia. As pistas da Represa Municipal, de avenidas, praças e do Quinta do Golfe sempre foram os pontos de encontro para caminhantes e corredores.

"Se todos forem para os mesmos lugares treinar, vai aglomerar também, o risco segue da mesma forma. Se tem aglomeração, o contato e risco de transmissão existe. A orientação é que se respeite dois metros de distância, não ter contato com outras pessoas, se encontrar um amigo, não cumprimentar, falar de longe, levar sua água e álcool em gel em caso de tocar em alguma superfície, pois o vírus sai da boca e fica nas superfícies", afirmou o médico infectologista Samuel Noah Scamardi, da Santa Casa de Rio Preto.

O novo coronavírus pode se propagar nestes ambientes mesmo no ar em caso de uma pessoa com vírus expelir gotículas com espirros ou tosse em uma distância menor que a indicada. "Se sair de casa, o risco de contaminação aumenta, mas se tomarem cuidados é menor. Se está correndo atrás e a pessoa tosse ou espirra, pode ter a contaminação por partículas também", emendou o especialista.

A pessoa que pratica atividade física com regularidade tende a ser mais saudável e ter uma imunidade mais alta em relação a outras, porém, não significa que os cuidados não precisam ser tomados. "Isso não pode servir de desculpa para não se proteger, mesmo saudáveis, tem risco, menor mas tem. Mesmo se pegasse o coronavírus a chance é menor de ter a doença grave, mas pode transmitir da mesma forma. Vai ser mais leve para ele, mas vai continuar transmitindo", disse Scamardi.

A palavra de ordem é evitar sair de casa, pois assim se diminui o risco de contágio e propagação do Covid-19. "Pânico não ajuda ninguém, mas cuidados precisam ter, sim, o sistema de saúde de vários países estão quebrados por esse vírus, a população inteira precisando de cuidado ao mesmo tempo. Apesar da mortalidade não ser alta, atinge uma parcela maior de pessoas e tem chances de ter mais pessoas com quadro grave", disse o médico. "Quem puder fica em casa, vai ajudar, evitar mortes por isso. Se for treinar é dentro de casa ou ao ar livre, procurar ruas do bairro, evitar praças e aglomeração." (OJ)

  • Quando possível, suspendam ou substituam aulas coletivas
  • Limitem a quantidade de pessoas simultâneas no espaço
  • Prestem orientação especial a pessoas do grupo de risco
  • Evitem que pessoas com sintomas de gripe permaneçam no local
  • Suspendam a utilização de leitores biométricos para marcação de ponto ou acesso
  • Interditem os bebedouros coletivos
  • Quando possível, aumentem a distância dos equipamentos de exercícios
  • Intensifiquem os procedimentos de higienização dos equipamentos
  • Disponibilizem antissépticos, nas áreas de prática e nos vestiários
  • Realizem a manutenção dos aparelhos condicionadores de ar, trocando com maior frequência os filtros