Para reduzir risco, empresas de Rio Preto recorrem ao home office Diário da Região - Rio Preto e região

Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 33 min 21
18/03/2020 - 00h30min

TRABALHO EM CASA

Para reduzir risco, empresas de Rio Preto recorrem ao home office

Empresas de Rio Preto adotam estratégia de deixar os trabalhadores fazendo suas atividades profissionais de casa para conter a disseminação do coronavírus; veja como funciona

Johnny Torres 17/3/2020 Daniel Machado, gerente de operações da Mercatus Tecnologia: trabalho home office mantém produção e atendimento aos clientes
Daniel Machado, gerente de operações da Mercatus Tecnologia: trabalho home office mantém produção e atendimento aos clientes

Por precaução, as empresas de Rio Preto estão começando a instituir o esquema de home office. Quem ainda não mandou toda a equipe ou pelo menos parte dos trabalhadores para casa, adotou medidas para tentar conter a disseminação do coronavírus. Entram no pacote a disponibilização de álcool em gel, orientações para maior higienização das mãos e estações de trabalho e até alternativas para que não seja necessário fechar a empresa e se possa manter a economia girando.

Em Rio Preto, o setor mais forte é o de serviços. São cerca de 42,2 mil empresas e cerca de 65,3 mil empregos. Esse é um segmento que se destaca por alguma resiliência em tempos de crise e agora leva vantagem porque muitas empresas podem manter suas atividades feitas remotamente, de casa. É o caso de empresas de tecnologia da informação, comunicação, consórcios, educação corporativa, entre outros, além de profissionais liberais.

A decisão de atuar de maneira preventiva foi tomada por empresas de diferentes tamanhos de Rio Preto, desde um escritório com quatro ou cinco funcionários até uma empresa de médio a grande porte, com mais de mil funcionários. Por aqui, a maior parte das empresas emprega entre 20 e 50 pessoas: são cerca de 23,8 mil unidades.

"Em razão dos efeitos da pandemia, o home office pode ser uma boa opção para que as empresas consigam minimizar os riscos de contágio e continuem a ter sua produção sem muitos prejuízos. Se não for possível para a atividade, a empresa terá que buscar outras formas para tentar minimizar seus prejuízos decorrentes da paralisação, tais como a concessão de férias coletivas, compensação de horas, licenças remuneradas", explica o advogado e professor Luís Carlos Mello dos Santos.

A empresa APP Sistemas, de desenvolvimento de software para o mercado de hospitalidade (hotéis e similares) tem 50 funcionários e decidiu começar o trabalho remoto nesta terça-feira, 17. Diversos departamentos já estão 100% em home office e a tendência é que as reuniões presenciais ocorram quando estritamente necessário e as viagens sejam eliminadas. A medida vai durar, inicialmente, duas semanas. "Como somos uma empresa nativamente do mercado de tecnologia, possuímos as ferramentas que possibilitam o trabalho remoto quase que de forma natural, com pequenas adaptações nas atividades em alguns casos", afirmou Gerson Pedrinho, diretor de tecnologia da empresa.

A Rodobens adotará, a partir desta quarta-feira, 18, como medida preventiva, a prática de rodízio e também o home office para atividades que permitem tal alternativa. Para funções que demandam presença física no ambiente de trabalho, a Rodobens abonará as folgas como forma de garantir o rodízio dos funcionários.

A empresa também criou um canal interno exclusivo para orientações via WhatsApp, reforçou a disponibilidade de álcool em gel em todos os setores e cancelou todas as viagens internacionais por motivo de trabalho. Para os funcionários que estão voltando de destinos considerados de alto risco, a empresa determinou quarentena de 14 dias.

Na Didáctica/Tudo sobre Aprender, de educação corporativa, o esquema de home office também começou nesta terça-feira, 17, principalmente para as funcionárias gestantes e que tenham acima de 55 anos. Para executar as funções, os funcionários estão levando os notebooks para casa e alguns já têm celulares corporativos. Ao todo, a empresa emprega 22 trabalhadores. Além disso, houve alteração na jornada para funcionários que usam o transporte público, buscando horários de menor fluxo.

Na semana que vem, entra o revezamento de atendimento ao público. "Não haverá prejuízo considerando que empresas estão adotando recursos que nós oferecemos como, por exemplo, ensino à distância, canal de webconferência, cursos prontos etc. Estamos promovendo, inclusive, ações que impulsionem ainda mais teleconferências e encontros remotos com interação por áudio e vídeo", afirmou Daniela Luiz, sócia e diretora de educação. As ações internas e externas estão previstas até 30 de abril.

Flexibilização

Na Unimed de Rio Preto, que reúne perto de 1,2 mil trabalhadores, uma série de medidas também foi adotada. A equipe do setor administrativo, 559 pessoas, está em esquema de trabalho flexível. Além disso, viagens domésticas e internacionais estão suspensas e quem retornou de férias em locais com exposição ao vírus está sendo convidado a fazer trabalho flexível (em casa) durante 30 dias. O plano inclui ainda avaliar a antecipação de férias, alteração na marcação de ponto com a digital para manual, deixar o ambiente sempre ventilado, com janelas abertas, estimular uso de roupas confortáveis etc.

"A Unimed Rio Preto criou um plano de contingência e uma maior flexibilidade para que os colaboradores possam realizar seu trabalho em casa. A empresa entende que o trabalho flexível resulta em diversos benefícios em função da prestação de serviços remota, tanto para a produtividade e qualidade de vida de seus funcionários e familiares quanto para a cidade e meio ambiente. As áreas assistenciais (médicos profissionais de enfermagem e atendentes), devido sua importância ao tratamento da doença, não participam deste programa com objetivo de realizar o melhor atendimento possível", afirmou Felipe Augusto Marim, coordenador de gestão de pessoas.

Na Mercatus Tecnologia, que trabalha com soluções tecnológicas para atacadistas e distribuidores de alimentos de todo o Brasil, o trabalho flexível foi adotado desde segunda-feira, 16, para os 21 funcionários da empresa. "Iniciamos o home office com todos os colaboradores para evitar a possibilidade de contaminação dos colaboradores e familiares, pois temos colaboradores que viajam para vários estados do país de avião", afirmou o diretor da empresa, Luís Cláudio Souza. A medida é por tempo indeterminado.

Para Daniel Machado, gerente de operações da empresa, o trabalho home office é perfeitamente possível de ser executado no segmento, inclusive é adotado com um colaborador que mora em Recife e em esquema de rodízio semanal para atendimento em horário alternativo. "Usando este modelo, podemos manter nossa atividade produtiva e conseguir manter o atendimento aos nossos clientes, que são parte fundamental para que as pessoas possam passar por esse momento difícil, já que ajudamos os alimentos a chegarem até a mesa de todos os brasileiros", afirmou.

Tempo de adaptação e aprendizado

análise

No momento, é bom evitar aglomeração, exposição. Portanto, o home office é uma medida extremamente importante e que mostra a responsabilidade da empresa. Estamos em fase de mudança, com uma nova configuração de trabalho. Muitas empresas vão se adaptar a esse novo modelo e pode haver também a otimização do trabalho presencial porque a empresa terá redução de custos. Também é uma melhoria na qualidade de vida da pessoa, que vai estar mais próxima da família e ter a possibilidade de se alimentar de maneira mais saudável.

Com relação ao trabalhador, é importante que ele tenha uma postura proativa, comprometimento e responsabilidade. Apesar das vantagens da flexibilidade, exige-se uma série de responsabilidades. É um momento de trabalho, que deve ser encarado como tal, não como folga.

Porém, tudo que é novo gera uma resistência e o medo excessivo faz com que a gente paralise. Vejo muitas pessoas procrastinando o trabalho, tendo menos iniciativa e ficando mais na sua área de segurança. Com isso: menos criatividade para solução de problemas.

O importante é ter o medo adequado porque ele ajuda no planejamento e a buscar informações corretas e precisas. Essa pandemia vem também para refletirmos sobre a importância das relações humanas, a importância de termos empatia, colaboração e senso de respeito ao próximo.

Juliana Ferrari

Especialista em recursos humanos

Regime de trabalho previsto em lei

O trabalho home office é um regime especial que contempla a execução dos serviços referentes ao contrato de trabalho fora das dependências do empregador. Foi regulamentado na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) pela Reforma Trabalhista, implementada no Brasil em 2017.

Isso quer dizer que deve haver um contrato individual de trabalho que conterá a especificação das atividades que serão executadas pelo empregado. Mas, para os empregados contratados em regime presencial, a alteração para o de teletrabalho será possível e legal, desde que haja consentimento em aditivo contratual.

De acordo com o advogado Luís Carlos Mello dos Santos, a legislação não impõe limitações quanto ao tipo de empregador, mas obviamente nem todo setor tem as condições para tal. "Devem ser estabelecidas as regras relacionadas à responsabilidade pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto, além das questões referentes ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado na execução dos referidos labores", afirma. Em termos práticos, as opções são o empregador pagar a internet do funcionário, em outro, os equipamentos serão disponibilizados, mas não serão pagas despesas de internet, energia etc.

O advogado Bruno Fioravante ressalta que o trabalhador deve entender que o desenvolvimento do trabalho equivale a como se ele estivesse exercendo as atividades dentro da própria empresa. Entretanto, não está, necessariamente, sujeito à jornada de trabalho convencional. "Em comum acordo com o empregador, o trabalhador pode flexibilizar seus horários de trabalho, desde que desempenhe sua função, cumprindo as metas estabelecidas. Porém, também não haverá recebimento de horas extras caso ultrapasse essa jornada. No entanto, o empregador pode estabelecer o controle de ponto com horário de entrada e saída", disse.

Durante esse período, não haverá nenhuma redução salarial. "Não haverá redução ou supressão de direitos para o trabalhador, no entanto, o que pode haver nesta modalidade são algumas alterações com relação ao pagamento de despesas ou reembolsos ocasionados em razão do teletrabalho, porém tais regras deverão ser ajustadas entre o empregador e o trabalhador", afirma.

A dica do advogado para os líderes é estabelecer prioridades e atribuir papéis claros, criar rotinas e responsabilidade para a equipe para que se tenha o mesmo rendimento profissional, como se estivesse nas dependências de empresa. "Para os colaboradores, assegurar em ter todas as ferramentas necessárias para realizar o trabalho remoto, manter sua rotina de trabalho como se estivesse na própria empresa, estabelecer nesse momento a confiança de seus líderes e não tão menos importante, utilizar suas ferramentas corporativas apenas para os assuntos relativos ao trabalho, mantendo o sigilo profissional para que não se tenha vazamento de informação", disse. (LM)

Lojas criam estratégias

Empresas que não adotaram o trabalho remoto estão procurando estratégias para fazer a economia continuar a rodar. Afinal, o primeiro impacto se dá no faturamento e, consequentemente, nos compromissos financeiros assumidos e na geração de emprego.

Quem decidiu manter as lojas abertas reforçou a higienização dos ambientes. Muito álcool em gel para funcionários e clientes, além de procedimentos mais rigorosos na limpeza dos ambientes.

Na Chocolates Lugano, por exemplo, o ambiente está sendo constantemente higienizado, assim como objetos e superfícies como cardápios, maçanetas etc. A empresa tem estimulado o pagamento com cartão e não dinheiro e também implantou a opção delivery em algumas de suas lojas.

Algumas lojas de confecção, como a Pollo do Jeans e a Bem Vestida, também criaram o sistema de entrega. Na primeira, o cliente pode fazer a negociação pelo WhatsApp. Na Bem Vestida, para compras acima de R$ 50, a entrega é gratuita. (LM)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.