Supermercados estão abastecidos Diário da Região - Economize

Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 33 min 22
19/03/2020 - 00h30min

ECONOMIZE

Supermercados estão abastecidos

Redes de Rio Preto registram aumento no movimento, mas têm estoque suficiente para atender clientela

Leonardo Lino 17/3/2020 Antônio Carlos Gonçalves de Souza comprou o necessário, sem fazer estoque
Antônio Carlos Gonçalves de Souza comprou o necessário, sem fazer estoque

Em meio à pandemia do coronavírus e aos temores que ela provoca, os supermercados garantem que estão com os estoques abastecidos para atender aos consumidores neste momento delicado. Em Rio Preto, o movimento começou a aumentar nos últimos dias, mas ainda não havia registros de pessoas comprando em grande quantidade para fazer estoque e enfrentar a quarentena. A Associação Paulista de Supermercados (Apas) informou que o movimento nos supermercados paulistas cresceu 18% na última segunda-feira, 16.

De acordo com presidente da Apas, Ronaldo dos Santos, a associação está mapeando diariamente toda a cadeia produtiva, como indústria e logística de distribuição de produtos, e informando os associados supermercadistas e os consumidores que a cadeia produtiva está operando normalmente, sem falta de produtos. A única exceção, que tem maior procura, é o álcool em gel.

Em nota, Ronaldo dos Santos afirmou que não há necessidade de corrida aos supermercados e que os consumidores devem realizar um consumo consciente, pensando sempre na coletividade: "não há necessidade de estocar produtos. Pode haver ruptura pontual nas gôndolas, porém os supermercados têm se esforçado para disponibilizar os produtos o mais rápido possível", disse. A Apas informou que os supermercados estão preparados para atender à demanda e estão trabalhando para que os itens não faltem nas prateleiras e se mantenha equilíbrio de preço nos pontos de vendas.

Cenário

No supermercado Tonin, as equipes estão fazendo o abastecimento da loja durante a noite para que durante o dia a circulação dos clientes seja melhor e se evitem aglomeração. Segundo o gerente Ilton Soares, as vendas aumentaram muito da semana passada para esta. E, por enquanto, o único produto que está em falta é o álcool em gel, cuja demanda aumentou muito. "Em relação aos preços não houve nenhum aumento, mas no momento não vamos fazer promoções. A única coisa que pode ser feita é limitar o número de vendas em determinados produtos por cliente, por exemplo o álcool em gel, mas o preço continuará o mesmo".

O comprador do supermercado Tridico, Thiago Henrique Costa, afirma que as mercadorias estão sendo entregues normalmente e que não há produtos em falta, exceto o álcool em gel e o álcool líquido. "As vendas aumentaram nesta semana. Os itens mais procurados são papel higiênico, sabonete, água sanitária, detergente, arroz, óleo, sardinhas e atum".

No supermercado Proença, segundo o subgerente Lúcio Leite de Oliveira, houve aumento de cerca de 30% nas vendas nesta semana, mas os estoques estão sob controle. "No momento está tudo em ordem. Estamos com todos os produtos, exceto o álcool em gel. Nossos fornecedores estão entregando normalmente e as compras estão sendo feitas". A maior procura é por produtos de limpeza e alimentos básicos.

Em nota, o Grupo Muffato afirma que não existe nenhum sinalizador da indústria de que o mercado terá qualquer tipo de problema de abastecimento e que seu papel diante deste cenário é extremamente importante devido a sua oferta de produtos de necessidade básica como de higiene pessoal, alimentação e limpeza. "Nos últimos dias o Grupo Muffato vem reinventando seu sistema de logística, criando novos turnos em seus centros de distribuição e trabalhando 24 horas para atender à demanda de reposição nas lojas".

O gerente de compras do supermercado Porecatu, Eduardo Pinheiro da Silva, afirmou que no momento o abastecimento dos produtos está normal na rede. "As vendas aumentaram, mas não tanto. Os produtos mais procurados são os de higiene e alguns alimentos básicos", diz. Segundo ele, o único produto que teve aumento no preço foi o leite, por conta da suspensão do fornecimento por alguns fornecedores. Entretanto, ele teme que haja algum tipo de desabastecimento de produtos importados em função do fechamento das fronteiras.

O aposentado Antônio Carlos Gonçalves de Souza é um consumidor consciente e não comprou em grande quantidade para estocar. "Estou comprando para durar pelo menos para uma semana, para evitar vir mais de uma vez na semana no supermercado, mas não estou fazendo estoque de produtos."

Pesquisa

Na pesquisa desta quinta-feira, 19, o Diário cotou os preços de 119 produtos em 12 supermercados. A variação total foi de R$ 312,02.

Clique Clique aqui para ver tabela de preços de cesta básica

Clique Clique aqui para ver tabela de preços de produtos de supermercados e atacarejos

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.