famílias criam atividades para divertir e ensinar criançasÍcone de fechar Fechar

NOVA ROTINA

famílias criam atividades para divertir e ensinar crianças

Isolamento social leva famílias a criar atividades para, ao mesmo tempo, divertir e ensinar crianças


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Não sair de casa é a maneira mais garantida de se prevenir contra o coronavírus, que transformou a rotina da população, inclusive das crianças. Para evitar a disseminação da doença, o governo determinou que as escolas encerrassem suas atividades por período indeterminado. Agora, muitos pais estão com dúvidas sobre o que fazer para que os pequenos aproveitem esse período e não fiquem entediados.

Para todo problema existe uma solução. Mas, para este, segundo a psicopedagoga Samira Camargo, não existe receita ou fórmula secreta. São muitas as atividades que podem ser desenvolvidas com as crianças durante a nova rotina, e a especialista traz algumas dicas.

Simples exercícios podem se transformar em um grande aprendizado. A arte de escrever, ler e desenhar é fundamental nesse momento, afinal, a maioria das casas não possui todos os recursos e estrutura de uma instituição de ensino. Para começar, a dica é separar um caderno ou folhas de papel que serão o diário da criança, com o objetivo de estimular a escrita sobre o que foi feito no dia. Produzir uma lista de compras para o final da quarentena pode ser uma boa oportunidade para pedir a ajuda dos pequenos.

Também é importante falar sobre o passado, o que facilita o início de debates em família sobre temas que vão aprender, mais tarde, com os professores de história e geografia. Se a criança estiver com os livros didáticos em casa, é melhor ainda, os responsáveis podem utilizá-los.

Para aqueles que ainda não sabem ler e escrever, uma dica é fazer todas as letras do alfabeto em quadradinhos de cartolina e brincar como se fosse um quebra-cabeça, juntando diversão e ensino.

Brincadeiras

Natália Cristina de Oliveira Frutuoso, 34 anos, é mãe de duas meninas: Manuela, de 7, e Rafaela, de 3. Ela conta que para explicar para as filhas o que estava acontecendo e como se prevenir, colocou orégano em um prato e pediu que colocassem o dedo. O tempero grudou nos dedinhos das pequenas e, assim, Natália explicou a forma como o vírus age. Conforme lavaram as mãos, todo o orégano que estava grudado foi saindo. Com isso, ela demonstrou a importância da higiene nesse momento, de forma prática para que elas entendessem claramente.

De acordo com a psicóloga Cíntia Canato, a atitude de Natália é a ideal para ser adotada com crianças, sendo a melhor forma de compreenderem o assunto. "É necessário conscientizar os pequenos e mantê-los informados sobre o que está acontecendo porque as perguntas vão aparecer. Tudo isso deve ser feito de forma lúdica", afirma.

A família de Natália também está se adaptando à nova rotina. Ela conta que está trabalhando em casa no período da manhã e que, então, coloca as meninas para brincar sozinhas ou assistir a desenhos e filmes, visto que não tem tempo para acompanhá-las. No período da tarde ela desenvolve algumas atividades pedagógicas, com pintura, leitura e coordenação motora. Depois, ainda sobra tempo para outras brincadeiras, como massinhas, bonecas, slimes e casinha. "Precisamos 'nos virar' com o que temos em nossa casa, já que é para evitar a saída. Estou buscando referências na internet, em grupos do WhatsApp formados por mães, e tentando reproduzir."

Para Samira Camargo, é essencial que os responsáveis utilizem esse tempo para explorar o mundo da imaginação com os pequenos e aproveitem para perceber as maiores dificuldades que cada criança tem, para depois dar uma atenção maior à essa problemática.

(Colaborou Ingrid Bicker)

Reprodução

Filmes

Viva - A vida é uma festa

O filme "Viva - a vida é uma festa" conta a história de Miguel, um menino de 12 anos que tem o sonho de ser músico, mas não tem a aprovação da família. Com isso, ele desencadeia um mistério de seus ancestrais. A aventura é inspirada no feriado mexicano do Dia dos Mortos.

Divertida Mente

No filme Divertida Mente, é possível entrar na cabeça e nos sentimentos de uma menina que tem apenas 11 anos. A história mostra de forma divertida a transformação emocional vivenciada pela criança que muda de cidade e de rotina, e como é afetada por isso.

Zootopia

Em Zootopia, os pequenos podem se divertir com a história da coelhinha do interior que decide se mudar para uma cidade grande para realizar o sonho de ser policial. Chegando lá, ela percebe que não será tão fácil assim vencer todos os obstáculos, mas demonstra que tudo é possível quando se tem persistência e objetivos.

Aplicativos

Histórias Infantis para Ler

O aplicativo "Histórias Infantis para Ler" oferece gratuitamente uma coleção de contos, fábulas e clássicos da literatura infantil para ler quando quiser. Além disso, tem quatro histórias em formato de áudio, que podem ser escutadas mesmo sem conexão com a internet.

Jogos Educativos para Crianças

Um conjunto de oito jogos educativos que ensinam os pequenos sobre formas, números, letras, cores e sons de maneira divertida está disponível gratuitamente para smartphones e tablets. É uma boa opção para a criançada aprender brincando enquanto aguarda o retorno escolar em suas casas, de forma segura.

Plataforma Matific

A plataforma de jogos matemáticos da Matific, que é utilizada como metodologia de ensino em diversas escolas do País, está aberta gratuitamente com cerca de 1,6 mil atividades, desafios e exercícios. O

acesso está disponível no link: https://lnkd.in/eN5dvSP.

Livros

180 histórias para ler e sonhar

Com o livro "180 histórias para ler e sonhar", as crianças podem aproveitar o tempo livre para treinar a leitura e se divertir com uma variedade de histórias que proporcionam lições de respeito, amor, amizade e cooperação.

Emília no País da Gramática

O livro "Emília no País da Gramática" conta a viagem que os personagens de Monteiro Lobato fazem até o País da Gramática, onde aprendem a língua portuguesa de um jeito muito divertido.

Meu primeiro livro de contos de fadas

A escritora Mary Hoffman reconta 14 contos de fadas clássicos no livro "Meu primeiro livro de contos de fadas" com uma linguagem simples e poética, fácil para a criançada.

Dinheiro

Um garoto começa a chorar por ter perdido dez reais.

Sua mãe, então, entrega outra nota do mesmo valor,

mas ele continua chorando.

A mãe, sem entender, pergunta:

- O que foi agora?

E o menino responde:

- Se eu não tivesse perdido os outros dez,

agora eu teria vinte reais.

 

Álbum de Família

Ler e colorir

A pequena Isabela Smarsi, de 7 anos, está aproveitando esse período para colorir todas as atividades de seu caderno. "Continuo aprendendo todos os dias. Além de me divertir bastante com meus brinquedos, estou pesquisando livros novos para ler enquanto não vou à escola. E ainda sobra tempo para fazer o que eu mais gosto: pintar."