Morre o maestro brasileiro Martinho Lutero Galati de Oliveira Diário da Região - Música

Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 31 min 16
26/03/2020 - 16h30min

LUTO NA MÚSICA

Morre o maestro brasileiro Martinho Lutero Galati de Oliveira

Ele estava internado em São Paulo e sofreu uma parada cardíaca

Reprodução Martinho Lutero Galati durante um concerto
Martinho Lutero Galati durante um concerto

Morreu na madrugada desta quinta-feira, dia 26, aos 67 anos, o maestro brasileiro Martinho Lutero Galati de Oliveira, uma das principais autoridades do País em música coral, criador da Rede Cultural Luther King e da Camerata Sé. Ele estava internado em São Paulo e sofreu uma parada cardíaca.

Nas redes sociais, a família do maestro informou que ele será cremado na tarde desta quinta-feira e pediu que homenagens sejam deixadas para um momento futuro em função dos cuidados com o novo coronavírus. "Sugerimos que todos permaneçam em casa e deixemos a tão necessária confraternização e homenagem para um futuro próximo dada a gravidade da crise pela qual passamos e aos riscos de contaminação", diz o texto publicado no Facebook pela Rede.

Martinho Lutero dedicou sua trajetória à música coral - acreditando que por meio dela era possível estabelecer diálogos entre culturas. O Coro Luther King foi criado em São Paulo em 1970 e recebeu prêmios como o da Associação Paulista de Críticos de Arte, tendo se apresentado em países como a Itália, Portugal, França, Alemanha, Cuba, Angola e Tunísia. Sua meta é "colaborar para a construção do canto coral, formando e preparando milhares de pessoas para a vida musical, artística e cidadã, realizando música do passado e do presente, promovendo externamente o desenvolvimento, a difusão da literatura coral brasileira e a reflexão e o crescimentos das pessoas".

Em 2020, a Rede Cultural Luther King completa 50 anos. Além do coro, faz parte do projeto a Camerata Sé, que vinha se apresentando na Catedral da Sé, em São Paulo, além de propor projetos originais, como a apresentação da ópera Treemonisha, de Scott Joplin com os artistas da Ocupação Cultural Jeholu, que se dedica a pensar coletivamente a identidade negra e seu protagonismo a partir dos terreiros.

Lutero também desenvolvia trabalho na Itália, onde criou o coro Cantosospeso e era professor no Instituto di Musicologia di Milano e na Libera Università di Lingue e Comunicazione. Nos anos 1980, trabalhou na África, onde criou a Associação Cultural Tchova Xita Duma, em Maputo, Moçambique.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos 3 primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.