Em Rio Preto, motorista não dá seta e fica impuneÍcone de fechar Fechar

FOLGADOS NA PISTA

Em Rio Preto, motorista não dá seta e fica impune

Não é difícil flagrar motoristas que não dão seta em Rio Preto - em 10 minutos, a reportagem flagrou 55 em um único cruzamento. Apesar disso, só 59 foram multados em todo o ano passado


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Não é difícil flagrar motoristas que viram a esquina em Rio Preto sem dar seta. Até parece uma mania. Na tarde da última quarta-feira, dia 11, a equipe do Diário flagrou em dez minutos, na rotatória das avenidas Arthur Nonato e Clóvis Oger, 55 motoristas mudando de direção sem indicar. Apesar da prática ser comum, o ato é uma infração de trânsito que tem ficado impune na cidade.

Dados da Secretaria de Trânsito de Rio Preto mostram que, em todo o ano passado, foram 59 infrações aplicadas contra motoristas que não dão seta - nem usam outra forma de indicar mudança de direção. Infração corriqueira e que parece "invisível" aos olhos dos agentes de trânsito, mas que muitas vezes acarreta em acidentes de trânsito. É o que revela a primeira reportagem da série especial "Folgados na Pista", que vai mostrar nas próximas semanas barbeiragens cometidas pelos motoristas em Rio Preto.

Segundo o porta-voz da Guarda Civil Municipal (GCM) de Rio Preto, Roger Assis, não existe uma fiscalização da guarda direcionada ao não uso da seta. "O que existe é o patrulhamento de rotina. É durante o patrulhamento pelas vias que o agente visualiza e aplica a infração", explicou.

Nas autuações por não dar seta a aplicação é feita apenas com o veículo em movimento. "Geralmente, quando o condutor do veículo vê a viatura, ele dá seta, pois sabe que poderá ser autuado", disse, sobre o baixo número de multas.

Para o professor e diretor do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), Francisco Garonce, uma das únicas formas de reverter o quadro é através da fiscalização. "O que funciona efetivamente é a fiscalização, porque ela está ali para fazer com que o indivíduo cumpra a lei. Só a fiscalização pode mudar o comportamento de quem sabe o que é certo e errado, mas mesmo assim decide fazer o errado", destacou.

Opinião parecida com a do presidente da Associação Preventiva de Acidente e Assistência às Vítimas de Trânsito (Apatru) de Rio Preto, Alex da Silva Cardoso. Segundo ele, diferentemente da educação para o trânsito, que tem maior impacto com os novos condutores, quem comete a prática há anos precisa ser punido para entender. "O brasileiro tem o costume de só atender e começar a seguir regras quando dói no bolso. Eu não sou a favor só da punição, mas existe uma situação em que é necessária".

Atualmente, o condutor que deixa de indicar com antecedência uma mudança de direção pode levar uma multa grave de R$ 195,23 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). "Embora seja um ato simples, dar seta é importante até para evitar acidentes. Muitos dos acidentes em Rio Preto acontecem por isso", completou Assis. Na cidade, além da GCM, a Polícia Militar também aplica multas contra os imprudentes.

"Todo condutor, antes de realizar qualquer tipo de deslocamento lateral, mudança de faixa, deve de forma antecipada sinalizar sua intenção, e em caso de não funcionamento, deve ser utilizado o sinal de braço. O que não se pode é deixar de utilizar", explicou o especialista em trânsito Renato Campestrini.

Contudo, para Francisco falta conscientização por parte da população sobre os riscos do trânsito. "O trânsito mata muito mais que o coronavírus e as pessoas continuam a agir como se o coronavírus fosse o mal maior", finalizou.

Artigo 196 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

  • Deixar de indicar com antecedência, mediante gesto de braço/luz indicadora, o início da marcha, a realização da manobra de parar o veículo, a mudança de direção ou de faixa de circulação
  • Infração grave, com cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação e multa de R$ 195,23

Multas pela infração em Rio Preto

  • 2018: 125
  • 2019: 59
  • 2020 (janeiro): 8

Quando usar:

Para sinalizar ultrapassagens, conversões, retornos, mudanças de faixa, desviar de um obstáculo, parar ou demais intenções

Quem multa:

Guarda Civil Municipal e Polícia Militar

Uma pesquisa realizada pela concessionária de rodovias Arteris em 2018, com aproximadamente 82 mil veículos, mostrou que 57% dos motoristas não utilizam seta para mudar de faixa no País. "Alguns acham que quando não há um agente de trânsito no local as regras não precisam ser cumpridas, pensam que é só uma seta não dada, uma conversa rápida no celular. Só que o cometimento dessa 'simples' infração de trânsito pode levar a um acidente e até a morte de pessoas", pontuou o guarda municipal Roger Assis.

O coordenador de educação para o trânsito de Rio Preto, Pedro Romeiro, diz que a Secretaria tem desenvolvido diversos projetos de conscientização sobre a luz de indicação. "Trabalhamos o ano inteiro com campanhas, fazemos blitze. Vamos nas escolas. Tudo para diminuir o número de acidentes".

A maioria não respeita, mesmo com as campanhas. "O condutor precisa aprender a respeitar o espaço do outro, seguindo as regras de trânsito", afirmou Alex Cardoso, da Apatru. (RC)