Homem é detido por venda de álcool em gelÍcone de fechar Fechar

Irregularidades

Homem é detido por venda de álcool em gel


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Um vendedor de 27 anos foi detido pela Polícia Militar em uma chácara, no final da tarde de domingo, 22, suspeito de comercialização irregular de álcool em gel. Ele foi surpreendido quando colocava o produto em frascos, sem ter autorização legal para sua manipulação.

Segundo a porta-voz do CPI-5, tenente Amália Paci, o vendedor foi detido em uma chácara no condomínio São Judas, na estrada que liga Mirassol ao distrito de Ruilândia. A PM chegou ao local depois de denúncia anônima de que homens faziam embalagem clandestina de álcool em gel.

Dentro da chácara, os policiais encontraram quatro tambores de plásticos, cada um com capacidade de armazenamento de 200 litros de álcool em gel, mas apenas um deles estava cheio, o que é indício de que ele estivesse já fazendo o envazamento do produto há muito tempo.

Ao lado dos tambores foram encontrados 2.911 frascos, com capacidade para 100 ml, 250 ml e 500 ml. Havia um rolo de rótulo de uma marca de produto, com número de CNPJ.

Durante depoimento na delegacia de Mirassol, o vendedor declarou ter produto para fazer o envazamento de 800 litros de álcool em gel que tinha comprado por R$ 10,5 mil e pretendia revender.

Consultada pelo Diário, a Prefeitura de Mirassol informou por meio de nota que o vendedor não tinha autorização da Vigilância Sanitária para a fabricação de álcool em gel ou outro produto químico na chácara indicada como local de possível fabricação ou envasamento do produto citado.

O engenheiro sanitarista José Mário Ferreira de Andrade acredita que o vendedor possa ter cometido uma série de irregularidades ambientais no envazamento. "Não há garantia de que ele fazia o envazamento sem risco de contaminação. Aparentemente, ele não tem capacitação técnica para fazer a manipulação do produto. E o pior: o álcool em gel é altamente inflamável, ele poderia causar um incêndio que poderia até matá-lo".

Amostra do produto envazado será submetida a análise do Instituto de Criminalística que vai checar sua composição e verificar se a quantidade colocada em cada frasco está dentro do estabelecido pelo Inmetro, o que pode configurar crime contra a economia.

O advogado de defesa do vendedor, Clodoaldo Ferreira, afirma que o cliente tem empresa aberta para fazer a comercialização, mas não soube dizer se ele tinha autorização para manipulação.

"Vamos reunir essa documentação e apresentá-la dentro do inquérito. Meu cliente acredita que não fazia nada de irregular", defende o advogado.

O suspeito vai responder ao inquérito em liberdade. Ele não atendeu às ligações do Diário.

O Procon Rio Preto apura sete denúncias de venda de álcool em gel com preço abusivo. Os comerciantes poderão ser multados em até 10% do faturamento mensal.

Segundo o coordenador do órgão, Arnaldo Vieira, as denúncias foram feitas por consumidor por meio da página no Facebook da Fundação Procon São Paulo. Cópias das reclamações são remetidas a Rio Preto.

Quem quiser fazer denúncia de abuso pode enviar ao Procon de Rio Preto por meio do WhatsApp, pelo 17 99627-0528, por e-mail ([email protected]) e pela página do Facebook (Procon Rio Preto).(MAS)