Dise apreende carga de R$ 1 milhão em drogaÍcone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Um carregamento de 33 tijolos de pasta base de cocaína foi apreendido na rodovia Euclides da Cunha, em Mirassol, durante uma operação da Divisão Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Rio Preto. A carga de drogas é avaliada em R$ 1 milhão e seria usada para abastecer traficantes da região.

O carregamento de entorpecente era transportado escondido no para-choque de um Fiat Uno, que foi interceptado por policiais rodoviários estaduais, próximo de Mirassol. O motorista do veículo, um motorista de 34 anos, de Mirassol, foi preso em flagrante por tráfico de drogas. O dono da droga, um estudante de 25 anos, foi preso, na mesma operação, dirigindo um Palio, que acompanhava o outro veículo. Os dois não tiveram os nomes divulgados.

Toda droga seria batizada na residência do motorista do Fiat Uno, no bairro Vale do Sol, em Mirassol. Lá, os policiais encontraram três prensas hidráulicas usadas para prensar o entorpecente, vários quilos de produtos químicos para batizar a cocaína, apetrechos usados para embalar o entorpecente.

O coordenador da operação policial foi o delegado da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Rio Preto, Lincoln Oliveira. Ele afirma que foram necessários três meses de monitoramento do estudante. "Tivemos de acompanhar o deslocamento do suspeito até termos a certeza de que ele fazia o tráfico de drogas", explica o delegado.

Segundo Oliveira, o estudante teria buscado o carregamento de pasta base de cocaína no Mato Grosso, onde deve ter ocorrido a alocação dos 33 tijolos de cocaína em um compartimento secreto, atrás do para-choque do veículo. Também foi apreendido com os dois suspeitos uma pistola alemã HK calibre 380, com munições e um silenciador.

O delegado Lincoln suspeita que a arma e o silenciador tenham sido trazidos para Mirassol sob encomenda de outra pessoa. "Pela pistola automática, ele vai ser indiciado por posse ilegal de arma, mas o caso é mais agravado pelo fato de ter sido pego com um silenciador de uso restrito dos órgãos oficiais de segurança pública", explica.

Após audiência de custódia, a prisão em flagrante dos dois suspeitos foi convertida em prisão temporária e a transferência dos homens da carceragem da Deic para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto.