Grupo Diário da Região   | sexta-feira, 14 de fevereiro
IMG-LOGO
Home Cultura
Cultura

Theatro Municipal de São Paulo recebe concerto em homenagem a Irmã Dulce

Obras são do maestro e compositor baiano Roberto Laborda, atual diretor da Orquestra Metropolitana de Barcelona

Da Redação - 14/02/2020 09:46

O Theatro Municipal de São Paulo recebe, no dia 19 de fevereiro, às 20h, o concerto Senzalas Brasileiras, do regente e compositor baiano Roberto Laborda. O programa reúne o conjunto de composições homônimas e fragmentos da ópera Irmã Dulce, uma homenagem à primeira santa brasileira. Apresentadas pela primeira vez no Brasil, com a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM), as obras foram compostas para diferentes formações instrumentais.

Nascido em uma família de músicos espanhóis, Laborda, 39 anos, começou a tocar piano de forma espontânea ainda aos seis anos de idade. Radicado na Europa há quase duas décadas, é o atual diretor da Orquestra Metropolitana de Barcelona (Espanha). Com ótimas críticas recebidas na Europa e Rússia por suas composições, Laborda afirma que a apresentação no Brasil é especial. “Tenho uma carreira consolidada na Europa. Mas o sonho de todo brasileiro é mostrar seu trabalho no seu país. Estrear no Brasil, no Theatro Municipal, regendo a Orquestra Sinfônica de São Paulo, em um concerto apenas com obras minhas é muito gratificante”, diz o maestro.

Executada pela primeira vez em Roma (Itália), em outubro do ano passado, durante a canonização da religiosa brasileira, as composições da ópera Irmã Dulce revelam a influência da baianidade no estilo de Laborda. Nas entrelinhas das obras sinfônicas, o maestro deixa latente a influência do folclore brasileiro.

Inspiradas nas dificuldades da religiosa, responsável pela construção de um hospital no terreno onde havia um galinheiro, as peças também passeiam pela Salvador natal do regente, e têm como pano de fundo o romance entre a jovem pobre Gabriela do Rio Vermelho e o aristocrata Barão de Lanat. As personagens serão representadas, respectivamente, pela soprano Elayne Caser e pelo tenor Rubens Medina, ambos do Coro Lírico Municipal de São Paulo, corpo artístico do Theatro Municipal.

Dando continuidade ao programa, as composições batizadas de Senzalas fazem alusão à palavra em seu sentido literal. “Eram lugar de dor e sofrimento, mas também abrigavam a esperança da liberdade. Esse paradoxo me inspirou a compor uma série de obras sobre o sofrimento, as dores e a incessante busca humana por liberdade e felicidade”, contextualiza Laborda.

Serviço

Senzalas Brasileiras e Homenagem a Irmã Dulce, de Roberto Laborda, dia 19 de fevereiro, às 20h, no Theatro Municipal de São Paulo. Informações sobre ingressos: theatromunicipal.org.br

Editorias:
Cultura
Compartilhe: