Educação sem traumasÍcone de fechar Fechar

Pets

Educação sem traumas

Você pode adestrar seu cão sem prejudicar o bem-estar animal


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Você tem um cão e gostaria de educá-lo? Os donos de pets não raro sentem a necessidade de adestrar de forma básica os seus animais de estimação, mas acabam deixando a ideia de lado por acreditar que os treinamentos são muito complicados, levam muito tempo e só podem ser realizados por adestradores profissionais.

O erro pode estar acontecendo na forma de educar esse animal. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade do Porto, em Portugal, avaliou 92 cães em escolas de adestramento. Desse total, 42 eram treinados com o recurso da recompensa, com brincadeiras e petiscos. Os outros 50 recebiam broncas.

Depois de dois anos, os pesquisadores encontraram sinais de nervosismo e pessimismo e nível elevado de cortisol, o hormônio do estresse, apenas no grupo que fazia parte do adestramento aversivo. "Esse comportamento só fará com que ele tenha medo de você. Agressividade e nervosismo só irão prejudicar seu companheiro, podendo desencadear problemas psicológicos", explica o veterinário Marcello Machado. "Estabeleça limites ao cão, sem agressão ou correção. O manejo errado poderá despertar a agressividade", diz o veterinário Aldo Macellaro.

"Não é recomendado adestrar um cão sem antes recorrer a um especialista que possa diagnosticar o perfil e o comportamento do animal para definir o tipo e a intensidade do treinamento", explica Cleber Santos, adestrador e especialista em comportamento animal, da Comport Pet.

É possível e indicado que os donos de pets treinem em casa os exercícios ensinados pelo adestrador durante as aulas. "Isso porque treinar um cão depende da repetição dos exercícios e do comprometimento do dono. De nada adianta o animal obedecer somente ao adestrador e em casa ter mau comportamento. Cerca de 30 minutos diários são suficientes para ajudar o cão a fixar o que aprendeu durante a aula", afirma.

  • Liderança: Mostre ao cão que o líder é você, assumindo uma postura de liderança e ganhando o respeito e confiança do pet. Ande sempre à frente do cachorro e seja sempre o primeiro a entrar em casa ou passar por portas e portões. Se ele pedir algo (como comida, petisco, passeio), peça que execute algum comando antes. Dessa forma, ficará claro para o pet que é você quem está no comando;
  • Reforço positivo: O adestramento inteligente envolve a técnica do reforço positivo, muita repetição e nenhuma violência física. Através da repetição dos exercícios e do reforço positivo oferecido toda vez que o seu cachorro fizer corretamente algo que se espera dele, ele pode aprender muito mais rápido do que se imagina. Para o reforço, você pode utilizar brinquedos, petiscos ou até mesmo um carinho no pet toda vez que ele obedecer um comando ou mudar um comportamento inadequado;
  • Recompensa imediata: A recompensa deve ser oferecida imediatamente, caso contrário, o cachorro não irá associá-la à resposta correta a um comando. Se você pediu para o seu cão se sentar e ele o atendeu, a recompensa deve ser oferecida logo em seguida. Nunca ofereça a recompensa antes de o pet completar o comando, é bom evitar inclusive que ele veja a recompensa enquanto não responder adequadamente ao comando;
  • Use comandos curtos: Utilize sempre comandos curtos, como "senta", "deita" ou "fica". Eles funcionam melhor, pois são mais fáceis de o cachorro memorizar e associar com a ação correspondente. É mais fácil que o cão memorize uma única palavra do que frases inteiras. Seja objetivo e repita sempre os mesmos comandos;
  • Integre o adestramento à rotina: Integre os comandos no dia a dia com o seu cão e os exercite ao longo do dia. Sempre que você for fazer um carinho, peça para ele sentar, deitar, dar a pata.

Fonte: Cleber Santos, adestrador