Pare de se sabotarÍcone de fechar Fechar

Saúde Emocional

Pare de se sabotar

Está na hora de repensar suas atitudes e interromper esse ciclo


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Quem nunca passou por uma dessas situações? Estava preparado para a realização de uma tarefa, mas não obteve o resultado necessário ou esperado, chegou no momento derradeiro, titubeou e errou? Ficou literalmente paralisado pelo medo e não colocou em prática algo incessantemente treinando e ensaiado? A grande maioria das pessoas já passou por algumas delas pelo menos uma vez na vida. É como se estivéssemos atuando contra nós mesmos, impedindo de nos realizar, de sermos felizes.

Trata-se de um fenômeno chamado autossabotagem. São atitudes forjadas por uma parte de nós que não nos vê como merecedoras do sucesso ou que subestima nossa capacidade de lidar com a vitória. Assim, deixamos muitas vezes o barco navegar sem nosso controle. "Muitos desses comportamentos destrutivos estão quase fora do domínio da consciência", afirma o psicólogo americano Stanley Rosner, no livro "O Ciclo da Autossabotagem - Por que repetimos atitudes que destroem nossos relacionamentos e Nos Fazem Sofrer" (ed. BestSeller).

A autossabotagem é um processo que coloca as pessoas contra os próprios pensamentos. "Há muitas forma de se autossabotar, mas uma das que mais limitam o crescimento das pessoas são as desculpas. Elas servem apenas para justificar por que você está onde está. Enquanto estiver fixado nelas, continuará no mesmo lugar", diz o palestrante Fábio Teruel, autor do livro "Livre Para Voar" (ed. Sextante). "É uma combinação de sentimentos, pensamentos e ações autodestrutivas", explica a orientadora e psicóloga transpessoal Wanessa Moreira.

Para o escritor Robson Hamuche, terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar e autor do livro "Um compromisso por dia - Pequenas ações diárias que podem mudar a sua vida", em outras palavras, a autossabotagem é querer ter o desejo intenso de ser bem-sucedido e feliz e, ao mesmo tempo, comportar-se de uma maneira que impede de obter êxito em sua intenção.

Baixa autoestima

A autossabotagem pode ter como causa a falta de autoestima e a falta de autoconfiança do indivíduo. Em razão dessas características, a pessoa apresenta dificuldades em gerenciar suas experiências emocionais cotidianas, reagindo a eventos, circunstâncias e pessoas de um jeito que impossibilita o alcance do sucesso pessoal e profissional.

"A falta de autoestima e a falta de confiança levam a pessoa a ter mais chances de fracassar quando colocada em situações de estresse ou expectativa elevada. Perante tarefas consideradas como de grande importância, ela acaba por prejudicar a si mesma", explica Robson Hamuche. A pessoa se sente incapaz de realizar tal atividade e na iminência do fracasso se entrega ao comportamento de autossabotagem como meio de lidar com a situação.

Tenha um projeto de vida: É importante planejar as ações para que saiam do campo das ideias e se concretizem de maneira bem-sucedida. Você já tem um plano de vida claro e definido? Não? Então, coloque no papel seu desejo de alma e permita que seu corpo o realize;

Tome ciência de suas limitações e responsabilize-se por seus atos: Apenas dessa maneira é possível ir além, substituindo crenças limitantes por crenças possibilitadoras. Um modo de trazer à tona bloqueios mentais inconscientes, que geram o medo de situações novas e desafiadoras, é através de ações que promovam a conexão da pessoa com seu ser: meditação, limpeza de pensamentos e emoções negativas, afirmações positivas;

Seja resiliente: Muito importante para que a mudança se torne possível é a resiliência psicológica, entendida como a capacidade do indivíduo de adaptar-se a mudanças, superar, resistir a situações adversas. Além de pensar positivamente, acreditar que conseguirá ser bem-sucedido naquilo que se propõe, é preciso agir de maneira perseverante nas circunstâncias mais delicadas. Ser resiliente é resistir a frustrações, fortalecer-se mentalmente, para evitar a autossabotagem diante de cenários desafiadores;

Aprenda a dizer "sim" a si mesmo: Ao tornar mais vigorosa a autoconfiança, a pessoa deve simultaneamente aprender a dizer "não" às pessoas que desejam semear dúvidas, influenciando negativamente a sua missão. A vaidade, ou seja, a preocupação em agradar o outro, é um grande empecilho em momentos de decisão, pois afasta o indivíduo daquilo que ele acredita ser o mais correto a fazer a fim de alcançar o objetivo proposto;

Coloque-se em primeiro lugar: Diante da indecisão, existe uma tendência de sermos consumidos pelos diversos questionamentos sobre o que os outros vão pensar; identifique as pessoas tóxicas ao redor e tente encontrar maneiras de neutralizar o efeito causado por elas. Exclua pensamentos nocivos;

Identifique seus medos: Quais são seus maiores medos? Tente dar uma nota para cada um deles e veja se, conforme você faz o exercício, eles tendem a ficar cada vez menores. Olhe para um medo seu. De onde ele vem? O que você pode fazer para superá-lo?

Fonte:  Robson Hamuche, terapeuta transpessoal