Sua alma de voltaÍcone de fechar Fechar

Saúde Emocional

Sua alma de volta

É possível se livrar da sensação de desânimo que surge em alguns momentos


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Todo mundo, vez ou outra, fica sem vontade de fazer alguma coisa, de investir suas forças em algo. Quem nunca teve um sentimento negativo, aquele pensamento de não ser capaz de realizar algo, aquele medo de arriscar? O desânimo, às vezes, é normal. É comum e até recorrente, e as causas são as mais variadas: seja por um plano que não se concretizou, o dinheiro que acabou antes do fim do mês, problemas corriqueiros de quase todas as pessoas. "Sem vontade, parece que nos falta coragem até mesmo para realizar as atividades mais simples de nosso dia a dia. Nesses momentos é comum nos jogarmos no sofá de casa ou ficarmos o dia todo na cama, o que na verdade só faz aumentar nosso desânimo", explica a psicóloga Loriane Heide.

Desânimo é um estado de quem se mostra desestimulado e sem motivação. Tem como sinônimos nos dicionários o desalento e o esmorecimento. É esse o significado dessa palavra tão carregada de motivos e sentimentos. Se buscarmos o equilíbrio interior, estaremos preparados para os contratempos. A palavra desânimo tem origem no latim "anima" que significa alma. Isso é o mesmo que dizer que uma pessoa desanimada perdeu a alma.

Todas essas angústias e desapontamentos causam decepção, e o resultado é o desânimo, que nada mais é do que falta de ânimo, palavra que vem do latim "animus", que significa alma. "Metaforicamente, o desanimado está sem alma, sem vida, sem estímulo ou motivação para prosseguir", explica o psiquiatra especializado em medicina psicossomática, hipnose dinâmica e médico do trabalho, Leonard Verea.

Esse desalento pode acontecer em alguns momentos da vida do ser humano, mas, para a orientadora e psicóloga transpessoal Wanessa Moreira, quando ocorre com certa frequência, pode ser o sinal da autossabotagem, uma combinação de sentimentos, pensamentos e ações autodestrutivas. Entretanto, é preciso estar atento para que essa sensação não ultrapasse os limites da normalidade e deixe de ser algo passageiro para se transformar em melancolia ou depressão profunda.

O corpo humano responde emocionalmente a tudo que acontece no dia a dia. A frustração e a sensação de incapacidade tomam conta quando se aposta em uma determinada situação que não tem o desfecho esperado. O medo e a ansiedade são parceiros na espera pelo resultado que não chega. A insegurança fala mais alto na incerteza de tomar a iniciativa e enviar uma mensagem em situações de espera.

A sensação, muitas vezes, é natural em momentos de muita dificuldade e tentativas frustradas. "É algo comum, inerente ao ser humano. Não há mal algum em estar assim por alguns momentos, principalmente quando não se alcança algo muito desejado", diz ainda Verea. A rotina também pode ser desanimadora também. A falta de coragem para procurar um novo trabalho, por exemplo, pode fazer com que a pessoa seja um profissional sem energia criativa. "Entretanto, é preciso estar atento para que essa sensação não ultrapasse os limites da normalidade e deixe de ser algo passageiro para se transformar em depressão", afirma o psiquiatra.

Por mais difícil que seja sentir-se animado e disposto, é preciso ter atitude frente as dificuldades. A iniciativa de agir para mudar a própria realidade é algo individual, que depende unicamente de cada um. Nessa hora, surge a necessidade de conhecer-se bem. É preciso questionar o quanto você acredita em sua capacidade.

"Caso você não tenha segurança do que pode realizar, seja por perfeccionismo ou por não se sentir pronto, você pode tirar essa realização de você mesmo, se distraindo ao olhar para outras pessoas, ajudando elas a viverem a vida delas e esquecendo de você mesmo, e de fazer por você, e isso não é bom", explica Wanessa Moreira. Observe no seu cotidiano o que te impede de se desenvolver, de fazer o seu melhor.

E para superar situações complicadas e dar adeus ao desânimo - mesmo aquela cuja causa é desconhecida -, junte forças a uma boa dose de determinação para colocar em prática as ações que, apesar de simples, farão toda diferença em sua vida.

Faça planos: A falta de objetivos de vida é, muitas vezes, o principal causador do desânimo. Cada um tem de procurar um motivo para fazer com que se levante da cama, arregaçar as mangas e seguir o roteiro traçado. Procure algo que o motive e vá em frente;

Tenha uma vida mais saudável: Tenha uma alimentação mais natural, pratique atividades físicas e tenha uma boa noite de sono. A alimentação saudável é um dos primeiros passos para uma vida equilibrada. A serotonina, por exemplo, é a responsável pela sensação de bem-estar. A produção dessa substância pode ser estimulada pelo consumo de alimentos como carne, peixe, ovos, chocolate escuro, abacaxi, banana, entre outros. Durante o sono, descansamos do estresse e de tudo o que drena energia. A prática de alguma atividade física vai estimular outras substâncias que deixam uma sensação boa. A dopamina e endorfina estão entre elas;

Compre um presente para você: De vez em quando, compre algo que te agrade; pode ser uma roupa ou um acessório. Cuide da aparência, faça uma limpeza de pele ou uma massagem relaxante. Isso tudo pode ajudar a ver a vida com lentes mais coloridas;

Abandone relações tóxicas: Não importa se é com o parceiro, com os colegas ou com a própria família. Pessoas tóxicas sugam energia e provocam sentimentos negativos. Deixe que essas pessoas sigam o caminho delas, longe de você;

Procure se conhecer melhor: Descubra mais sobre você. O autoconhecimento trará a sensação de confiança e mais segurança diante dos desafios da vida. É preciso identificar o gatilho para poder "atacá-los".

Fonte: Leonard Verea, psiquiatra