Trânsito sem estresseÍcone de fechar Fechar

Comportamento

Trânsito sem estresse

Algumas ferramentas podem ajudar a manter a calma no meio do engarrafamento


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Você já deve ter percebido que trânsito engarrafado deixou de ser exclusividade de cidade grande há muito tempo. Com o aumento crescente da frota de veículos, muitos centros já enfrentam o problema. São ruas estreitas e muitos carros, ônibus e motos que disputam o espaço, principalmente nos horários de pico. O resultado é muito estresse por causa do trânsito parado. As horas que você passa no carro reduzem a qualidade de vida de quem precisa encarar o trânsito a semana toda, mas também como passageiros em carros ou mesmo no transporte público.

Dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) mostram que entre 13% e 17% dos motoristas brasileiros têm algum distúrbio comportamental no trânsito e o estresse é um fator que acaba desencadeando esses problemas. "A irritabilidade é o primeiro sintoma e é quase sempre uma resposta excessiva a esse estímulo de ansiedade no trânsito. É na realidade uma resposta dos sentimentos do indivíduo", explica Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor do departamento de medicina de tráfego ocupacional da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). Manifesta-se com maior ou menor intensidade dependendo da formação, caráter, personalidade e uma série de outros fatores.

A lentidão no engarrafamento do trânsito com estresse e desvitalização bioenergética faz perder o controle dos impulsos; ocorre queda da serotonina, que por sua vez reduz os neurotransmissores controladores do comportamento explosivo. Outros fatores psicológicos e psiquiátricos como compulsão, depressão, ansiedade, problemas afetivos, agressividade têm baixa produção da serotonina. "E é essa serotonina elevada que nos mantém alegres, bem humorados, tolerantes e em equilíbrio. É na realidade um dos mais importantes neurotransmissores", diz ainda Alves Júnior.

A perda do controle significa que o nível de serotonina está baixo, podemos aí reagir com distúrbios de comportamento dependendo daqueles fatores psicológicos e psiquiátricos e outros fatores pessoais. "Podemos chegar a impulsividade, agressividade e a violência verbal, gestual e física, o que, aliás, é hoje muito comum no nosso trânsito", diz ainda. O distúrbio de comportamento pode manifestar-se também com negligência e imprudência como produto da agressividade.

Mas muito mais fácil do que remediar é prevenir o estresse. Por isso, antes de sair de casa, medite. "A meditação traz um descanso profundo para a mente. E quando a mente está relaxada, podemos nos concentrar melhor e não nos incomodamos tanto com as situações, sejam elas desagradáveis ou não", explica Rajshree Patel, da ONG Arte de Viver. Para meditar, simplesmente sente-se confortavelmente com a coluna reta, feche os olhos por alguns minutos. Deixe os pensamentos fluírem. "Esses poucos minutos são como um banho para a sua mente, tornando-a revigorada e aguçada", complementa.

1. Respire lenta e profundamente. Inspire profundamente pelas narinas e expire lentamente pelas narinas. Coloque o foco da sua atenção na expiração;

2. Enquanto o carro estiver parado, faça pequenos movimentos com o corpo para aliviar a tensão:

  • Para os ombros: Inspire, eleve os ombros até as orelhas e expire deixando os ombros caírem (faça esses movimentos algumas vezes);
  • Para o pescoço: Leve a orelha em direção a um ombro e depois para o outro ombro (inspire para um lado e expire para o outro);

3. Ouça músicas leves e animadas, e cante junto. Ouvir mantras indianos acalma a mente e traz muito bem estar;

4. Sorria. Quando você sorri, você relaxa todos os músculos do seu rosto.

Fonte: Rajshree Patel