Witzel exalta polícia em ação que matou capitãoÍcone de fechar Fechar

'OBTEVE O QUE SE ESPERAVA'

Witzel exalta polícia em ação que matou capitão


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Ao falar nesta segunda, 10, sobre a morte de Adriano Magalhães da Nóbrega, o capitão Adriano, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), afirmou que a operação "obteve o resultado que se esperava". Ele lamentou, contudo, a morte do miliciano, que foi encontrado por agentes da Bahia e do Rio em Esplanada, a 160 quilômetros de Salvador. Adriano é apontado pelo Ministério Público como o chefe do grupo Escritório do Crime, citado na investigação da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL).

"(A polícia) chegou ao local para prender, mas, infelizmente, o bandido que ali estava não quis se entregar, trocou tiros com a polícia e infelizmente faleceu. A polícia do Rio mostrou que está em outro patamar", disse Witzel durante a inauguração das unidades Queimados e Belford Roxo, na Baixada Fluminense, do programa Segurança Presente.

No domingo, quando Adriano foi morto, o Estado revelou que o miliciano vinha relatando que tinha "certeza" de que não queriam prendê-lo, e sim matá-lo. Temia "queima de arquivo". A investigação que tem Adriano como foco principal é a do Ministério Público sobre o Escritório do Crime. Com atuação na zona oeste, a milícia é citada no caso Marielle.