BolsonaroÍcone de fechar Fechar

Cartas do leitor

Bolsonaro


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Sou inocente, o culpado é.... Já se tornou marca do Bolsonaro a facilidade com que ele acha um culpado pelas bobagens que fala todas as manhãs na porta do Palácio do Planalto, onde um punhado de contratados se manifestam como acontece num circo com palhaços iniciantes.

Uma análise mais cuidadosa indica que ele pode ser mesmo um inocente útil, usado pelas forças ocultas que escolheram um cidadão pouco inteligente, o colocaram no poder através da artimanha de citar problemas óbvios e se apresentar como o mito onipotente com prerrogativas maiores do que as que tem um presidente da República, porém com poderes divinos capazes diferenciar o "certo" do "errado", o "culpado" do "inocente" e o "bom" do "ruim".

Desde a idade média um demônio e um mito salvador sempre foram usados para dar um sentido às crenças do povo simples que está ansioso para ouvir bravatas (populismo). Quanto menos informado, maior a crendice; e nosso presidente foi quem mais acreditou nesses superpoderes que disseram que ele teria se eleito presidente.

Assumiu, mandou embora o fiscal do Ibama que o multou por pescar em local proibido. Essa valente atitude aumentou sua autoestima e ele proibiu radares nas estada, disse que Moro tem carta branca, mas quem nomeia e exonera "sou eu", e mais uma centena de idas e vindas que justificou culpando a imprensa.

Bolsonaro acredita tanto no que lhe disseram que se acha no direito de criticar a ONU, a Greta, a beleza da primeira-dama da França, e gastar uma fortuna para procurar e procurar novamente a caixa-preta do BNDES, em estudo que concluiu que Lula foi absolutamente correto.

Norberto Carlos Dieguez, Rio Preto.

Corredores

Um projeto milionário justamente para ficar ocioso, causar confusão, transtornos e arrecadar com multas. Não consigo ver outra coisa a não ser oportunismo. Vivemos em uma das melhores cidades do Brasil, desenvolvemos um projeto milionário (corredores de ônibus) para tentar desafogar o trânsito e será que não temos a capacidade de usar as tecnologias existentes em favor da sociedade?

Hoje temos câmeras que fazem leitura de placas, dispositivos que fazem leitura de velocidade e tantas outras tecnologias, e continuamos insistindo em meios arcaicos e obsoletos. Com um pouco de boa vontade e mais um pouquinho de criatividade estaremos a um passo da eficácia.

Erasmo Dantas, Rio Preto.

Felicidade

Não é qualquer caminho que leva à verdadeira felicidade. É trajeto de busca constante fundamentado em exigências necessárias e indispensáveis. Entre elas podemos citar a dignidade, a liberdade, o compromisso com Deus e com o próximo. A fonte motivadora da felicidade é a vida, quando tratada no seu real sentido. Só é feliz quem consegue agregar à sua vida verdadeiros valores.

A felicidade é fruto de uma escolha no itinerário da vida. A opção pode ser voltada para a prática do mal ou do bem. Existe uma liberdade existencial em cada pessoa, mas conta também com as exigências necessárias para o cumprimento do ideal perseguido. A construção do verdadeiro bem, que é fonte de felicidade, agrega valores, e depende de princípios relacionados com a vida de fé.

Nos ensinamentos bíblicos está contida a necessidade de observância dos mandamentos e das bem-aventuranças propostas por Jesus Cristo. Pode-se entender então que a felicidade coincide com a instauração do Reino de Deus no mundo e a afinidade com a prática de vida que a pessoa precisa ter em relação a ele. Os bens do mundo não são suficientes para preencher as necessidades humanas.

Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba, ex-bispo de Rio Preto.

Big Bang

Ainda respondendo aos artigos do senhor Salvatore, acredito que é tão absurdo questionar o que havia antes do Big Bang quanto postular um universo sem causa - eterno. A teoria do universo inflacionário não está livre de falhas e não explica tudo, mas, pelo menos, mostra que é ridículo apelar para o infinito para explicar o presente, empurrando o problema para mais longe, sem resolvê-lo.

A matéria, o tempo e o espaço, só passam a existir com o início do universo. A radiação de fundo mostra que o universo está expandindo. Teoricamente, se pudéssemos ir até lá, no final do universo, veríamos que além dali não há nada. Passado, presente e futuro só existem aqui dentro. Foi algo fora do tempo, fora do espaço e fora da matéria que trouxe tudo isso à existência.

Dizer que cosmólogos cogitam várias explosões da matéria antes e depois do Big Bang é jogar com meias verdades. Certamente há centenas de modelos científicos criados atualmente para rivalizar com o Big Bang, cada um de acordo com a fértil imaginação do cientista, mas esses modelos nem viraram teorias ainda, não passam de especulações.

Agora, o xeque-mate no evolucionismo é a lei da biogênese - vida só procede de vida. Quanto a isso, Darwin foi esperto o bastante em não se meter. A teoria darwinista é post factum, ela não explica como a vida começou, pudera: tentar argumentar na base de que a vida nasceria da matéria bruta por um simples acaso é ir longe demais. Nem Darwin teve tal coragem! A verdade é que a ciência devidamente estabelecida e a Bíblia, corretamente interpretada, não entrarão em contradição.

Paulo Cristiano da Silva, Rio Preto.