cartas do leitorÍcone de fechar Fechar

cartas do leitor


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Cidade planejada

Uma cidade só cresce de forma que beneficie seus moradores quando é bem planejada e, por mais que digam que Rio Preto é bem planejada, não concordo! As grandes (e bem planejadas) cidades do Brasil e principalmente do mundo possuem um sistema viário que atenda a demanda dos veículos no momento e no futuro. Ribeirão Preto possui um anel viário decente e que mudou a cidade. Grandes cidades do mundo também possuem um anel viário (São Paulo é um exemplo).

Anel viário não é uma avenida que circula a cidade, muito menos um igual ao de Rio Preto que vai incluir lugares que não se interligam (Represa e região do São Francisco). Um anel viário é construído por rodovia de pista dupla (no mínimo). Nos primeiros mandatos do prefeito Edinho constava no plano diretor o anel viário de Rio Preto, que interligava a BR-153 à rodovia Washington Luís e depois à BR novamente. O desinformado do ex-prefeito Valdomiro construiu bairros por onde passaria o traçado original. Foram construídos condomínios entre Rio preto e Mirassol.

Não sei se ainda é possível, mas é um assunto que o prefeito de Rio Preto deveria se interessar e lutar para que saísse do papel. Os veículos das periferias não precisariam atravessar a cidade para acessar as rodovias e sair de Rio Preto. Haveria um enorme crescimento da cidade no entorno das pistas desse anel viário e os munícipes ganhariam em muito com isso. Só não sei o porquê não vão atrás disso. Uma obra dessa, sim, beneficiaria a cidade agora e no futuro.

Luciano de Souza Lacerda,

Rio Preto

Gestão complicada

Nas empresas privadas, o foco dos gestores é conseguir lucros e, se não estão conseguindo obter lucros, diminuem as despesas, demitem os funcionários e outros gastos porque os prejuízos são pagos pelos próprios bolsos. No Brasil, os governos não demitem os "funcionários" pouco ou nada produtivos, mesmo com deficit nas contas. Tudo para não descontentar os poderosos que lhes conseguiram os postos, pois quem vai pagar são os contribuintes. E como o deficit não é pago pelos próprio bolso, nem a Presidência nem os outros poderes se preocupam. Por isso há 12 milhões de desempregados privados e zero nos públicos.

Há outro assunto muito importante: o salário mínimo, que só existe na iniciativa privada. Quando vai começar a demissão na área pública?

Mário A. Dente,

São Paulo

Criacionismo

Antes da criação do universo, onde Deus estava? Indagação feita pelo senhor José Ruiz Talhari em carta publicada na edição desta terça-feira, 4, a qual, respeitosamente me proponho a responder. Tal pergunta traz em si mesma a indistinção entre Criador/criatura, espírito/matéria, numa sistemática relativização conceitual, num processo de coisificação, no qual, Deus, seria um mero objeto, portanto, Ele estava ou está. Todavia, Deus é espírito, e como tal, não é um ser 'lugarizável'; a palavra existir não cabe Deus dentro dela. Ele não resolveu existir, sempre existiu.

O homem e tudo mais, foi criado, está, e se move na dimensão espaço/tempo e um dia deixará de existir. Toda a criação, portanto, pertence à 'fenomenilização' universal e 'transvérsico' do que existe, do que foi criado. Todavia, Deus é e jamais deixará de ser.

Carlos Roberto Nogueira,

Rio Preto

Resposta

Respondendo às perguntas de José Ruiz Talhari (Coluna do Leitor, Diário, 4/2), explico que eu, evolucionista convicto, não acredito em nenhuma forma de Criação, no Sobrenatural, na existência de espíritos fora dos corpos, no Tempo, pois tudo é eterno, as espécies de vida evoluindo umas das outras por causalidade ou casualidade.

Caberia ao amigo articulista Cristiano da Silva, que é criacionista e me contesta, dirimir as dúvidas apresentadas pelo leitor do Diário e outras possíveis: Deus criou os homens brancos ou negros, milhares de animais de uma vez ou aos poucos, para que servem pernilongos, baratas, bactérias e vírus, por que Deus teria esperado bilhões de anos para criar o Universo e Jesus Cristo, nosso Salvador do pecado original, só apareceu vinte séculos atrás?

Se fosse simplesmente para acreditar, sem pensar, por quer teria dotado o homem de inteligência?

Salvatore D'Onofrio,

Rio Preto

Descaso

Caminhando pelo lago 2 da Represa Municipal há umas 3 semanas percebi e até fiquei surpreso com a retirada dos equipamentos de ginástica (barras paralelas, barra fixa, prancha de abdominal, etc.), na quais há 30 anos aproximadamente, entre uma caminhada ou outra, sempre parei para fazer alguns exercícios de fortalecimento.

Pensei: legal, acho que irão trocar por novos equipamentos, afinal dependendo do dia e da hora até congestiona com o pessoal que ali pratica calistenia. Às vezes tem até que pedir licença. Isso é ótimo. Qual foi a minha surpresa? Colocaram equipamentos totalmente inadequados, sem atender padrões de medidas, ficou impossível fazer uma flexão de braço. Uma barra mais alta que outra e a distância de uma para a outra e ainda suscetíveis a ocasionar lesões.

É incrível o amadorismo, como se já não bastasse a tinta vermelha que usaram para pintar a pista de caminhada de 2.600 metros, que quando chove fica um sabão. Por que essas coisas só acontecem com a coisa pública? Se ao menos tivessem consultado os esportistas ou atletas que as utilizam, tenho certeza que o resultado seria bem melhor e satisfatório.

Parabéns, vocês conseguiram deixar pior do que estava o que já não é mais surpresa também. Sugiro ao secretário da pasta fazer uma série comigo lá às 18h30 numa tarde dessas qualquer.

André Luis Silveira Longo,

Rio Preto