Eleição de vereadorÍcone de fechar Fechar

ARTIGO

Eleição de vereador

A ordem é analisar minuciosamente a sua qualificação, profissão, conduta e propostas


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O ano de 2020 está agendado para as eleições municipais, e é chegado o momento para o povo rio-pretense mostrar as suas armas e escolher o seus vereadores, mesmo com a constante hegemonia dos donos de partidos políticos que atualmente se comportam como reais mandatários da política brasileira. De qualquer maneira, há indícios de melhora, graças a extinção da desastrada coligação inter-partidária, votada pelo Congresso Nacional.

Assim, finalmente os eleitores rio-pretenses poderão votar nos seus reais candidatos com a certeza de que votaram neles e não foram enganados. Em outras palavras, eleições de vereadores agora serão majoritárias, e os eleitos serão os mais votados mesmo com siglas partidárias diferentes. Não haverá mais a ocorrência nefasta, quando um candidato não é eleito, mesmo com boa votação, porque seu partido não fez coligação partidária.

A ordem agora é analisar minuciosamente a qualificação dos candidatos, sua profissão, comportamento civil, projetos de realizações na campanha, conhecimento geral da Constituição Federal, para poderem representar com responsabilidade a sociedade e público rio-pretense na administração pública, e também fiscalizar, debater e melhorar sempre os projetos do futuro prefeito. É sabido que eleger vereador ideal é até utópico, porém é o grande desafio do rio-pretense nas urnas.

Daqui pra frente é preciso se despir de qualquer tipo de ideologia política, quer esquerda, direita ou central. São teses filosóficas do passado que já demonstraram as suas inconveniências em administração pública. Hoje está em pleno vigor a ideologia do trabalho, incentivo às empresas e aumento do emprego, controle de receita e despesa para que possa uma nação evoluir.

Para quem assistiu a reunião magistral dos 400 dias do governo Bolsonaro, poderá ser testemunha desta tese referida, pois está sendo implantada e divulgada pelo governo federal e para tanto precisa sempre receber o apoio dos Estados e Municípios, principalmente entre os vereadores.

Patrão e empregados precisam viver em harmonia. As reformas necessárias estão sendo elaboradas na pauta do Congresso Nacional culminando com um choque de ética em nosso país, além de aparar as arestas de gastos inúteis. São 17 vereadores que precisam ter a índole sensata de somente somar com o Governo Federal.

Como tudo começa nas urnas, as eleições de vereadores qualificados e analisados, estarão potencialmente avaliados para serem futuros deputados ou senadores, e portanto é chegada a hora de saber fazer essa escolha, lembrando sempre que os trabalhadores durante suas funções não terá tempo para exercer a delinquência, nem tão pouco tempo para assaltar ou matar seus semelhantes. A família desta maneira será mais coesa e responsável, seus filhos orientados para conseguirem empregos.

A democracia autêntica pede para não ser mais lesada nas suas prerrogativas reais. Exercer sempre liberdade sem libertinagem. Oposicionistas e esquerdopatas e artistas intelectuais socialistas ateus que pululam no mundo da fantasia: com o tempo somente as urnas poderão dar um basta nesta farsa. Quem viver, verá!

Nelson Nagib Gabriel, Médico e bacharel em Direito; Rio Preto