Trânsito: juntos pela vidaÍcone de fechar Fechar

ARTIGO

Trânsito: juntos pela vida

A complexidade do tema demanda por ações estratégicas envolvendo diversos atores


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Em 2019, foram 5,4 mil vidas perdidas nas ruas e estradas de nosso estado e 29% das vítimas tinham menos de 29 anos. Histórias interrompidas de maneira trágica e precoce, mas que poderiam ser salvas por atitudes mais responsáveis. Dados do Infosiga SP nos mostram que 94% dos acidentes fatais são causados por falha humana.

Os últimos dados colocam luz a um imenso desafio de toda a sociedade brasileira: evitar acidentes e fatalidades. São Paulo tem os menores índices da história recente, mas ainda há um longo caminho a percorrer e que certamente passa por educação, fiscalização, parcerias e inovação.

Os números de 2019 mostram o menor índice de vítimas fatais no trânsito desde 2015, início da série histórica do Infosiga SP. A diferença ultrapassa as mil mortes, fato considerável em um estado que concentra um terço da frota e dos condutores habilitados do país. Na proporção de óbitos por 100 mil habitantes, São Paulo tem o terceiro menor índice do Brasil.

A complexidade do tema demanda por ações estratégicas envolvendo diversos atores. O programa Respeito à Vida, lançado pelo governador João Doria, promove iniciativas com foco na prevenção de acidentes. A maior parte das mortes ocorre em ruas e avenidas das nossas cidades.

Por isso, o Governo do Estado destina R$ 200 milhões em recursos para municípios que integram o Sistema Nacional de Trânsito. A verba vem das multas aplicadas pelo Detran-SP e está disponível para 304 cidades realizarem obras de recuperação de pavimento, construção de ciclovias e melhorias de sinalização, além de ações de fiscalização e educação para o trânsito.

Em 2019, implantamos uma novidade nos dados: a identificação dos locais e características de ocorrências fatais e não fatais. São mais de 143 mil ocorrências catalogadas em um ano. São Paulo é o primeiro estado a fornecer essas estatísticas com atualização mensal.

Elas já estão em uso pelos nossos órgãos. O DER (Departamento de Estradas e Rodagens) mapeou uma série de pontos com alta concentração de acidentes para a realização de intervenções.

Para a concessão de rodovias, como foi o caso da Piracicaba-Panorama, os pontos críticos dos 1.273 quilômetros foram dissecados pelo sistema e inclusos nas obras para tornar as 12 rodovias, que passam por 62 municípios, mais seguras.

A parceria com a iniciativa privada também é importante para a construção de um trânsito mais amigo. Investir na educação e na promoção da cidadania junto com organizações sociais é alvo do próximo passo do Respeito à Vida. Gerar soluções e articular a sociedade na luta por uma causa que vale vidas.

Rodrigo Garcia, Vice-governador do Estado de São Paulo e Secretário de Governo; coordenador do Programa Respeito à Vida