Câmara adia projeto que barra agressor de mulherÍcone de fechar Fechar

COLUNA DO DIÁRIO

Câmara adia projeto que barra agressor de mulher

Duas propostas sobre mesmo tema tiveram votação adiada na retomada das sessões nesta terça-feira


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Na primeira sessão do ano nesta terça-feira, 4, a Câmara de Rio Preto adiou votação do projeto de lei, de autoria do vereador Pedro Roberto (Patriota), que barra a concessão de auxílio-atleta a agressor de mulher. Jean Dornelas (sem partido) também desistiu de votar a proposta que proíbe a contratação de apadrinhados para cargos em comissão com condenação na Lei Maria da Penha.

Pedro admitiu que teme possível veto pelo prefeito Edinho Araújo (MDB), já que o impedimento para receber o benefício é a partir de condenação em primeira instância na Justiça. "Há risco do projeto ser vetado e derrubado por uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade). Quero fazer uma emenda e conversar com o governo para que a proposta não seja vetada", afirmou o vereador Pedro.

O vereador Renato Pupo (PSD) disse que não haveria risco de o governo vetar a sua proposta, já que a administração pode criar critérios para efetuar as nomeações para os cargos. "Acho que não tem perigo do veto", afirmou.

Pedro e Dornelas pretendem se reunir com o secretário de Governo, Jair Moretti, para pedir apoio da gestão para os dois projetos. Dornelas disse que o objetivo é conseguir "consenso" antes da votação das propostas no plenário.

Durante a sessão, os vereadores debateram sobre a intervenção da Guarda Municipal no trânsito em ruas e avenidas que passam por obra durante o horário de pico. Jean Charles (MDB) se posicionou contra. Já Dornelas defendeu a aprovação da proposta.

Mudança no CPI-5

O coronel Luis Henrique Di Jacintho Santos (foto), que estava no Comando de Policiamento do Interior (CPI-5), anunciou a aposentadoria publicada no Diário Oficial desta terça, 4. O coronel estava no comando em Rio Preto desde abril de 2019. O coronel Fábio Rogério Candido, ex-comandante do 17º Batalhão de Polícia Militar, deverá ser nomeado para a função.

Sob tensão

Após cortar árvores e instalar contêiner em frente ao Mercadão no domingo, 2, o prefeito Edinho Araújo (MDB) vai assinar nesta quarta, 5, a ordem de serviço para o início da reforma, orçada em R$ 4,3 milhões. Comerciantes temem que o mercado seja fechado.

Na espera

O governo estadual informou que espera notificação da Justiça para avaliar a abrangência da decisão que impede a Constroeste, condenada por improbidade administrativa, de assinar contratos com o poder público.

Hora errada - Aliado do prefeito Edinho Araújo (MDB), o presidente da Câmara, Paulo Pauléra (PP), está em rota de colisão com o governo. A questão principal é envio do projeto de revisão do Plano Diretor, que mexe em todas as esferas do município, desde zoneamento até horário de funcionamento do comércio. "É um projeto complicado para votar neste momento. Acho que a hora é errada para isso", disse. Pauléra afirma que a votação pode ser "contaminada" pelo período eleitoral.

Herói do Doria - Na segunda, 3, durante a reabertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa, o governador João Doria fez agrado ao deputado federal Geninho Zuliani (DEM). Afirmou que, como relator do marco do saneamento, Geninho foi um "herói" e que seu trabalho ficará para gerações futuras. O discurso mostra como o PSDB de Doria e o DEM, de Geninho, e do vice-governador Rodrigo Garcia, seguem alinhados.