Tenista Bia Haddad comprova contaminação e leva suspensãoÍcone de fechar Fechar
    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Tenista número 1 do Brasil, Beatriz Haddad Maia foi suspensa por 10 meses nesta segunda-feira, 10, em decisão divulgada pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês). A atleta sofreu a punição, considerada leve, por conseguir comprovar que ingeriu substâncias proibidas de forma não intencional. Ela poderá voltar a competir no dia 22 de maio.

Bia Haddad estava suspensa de forma provisória desde o final de julho, quando a ITF divulgou o caso. A punição temporária se devia ao teste positivo, nas amostras A e B, para metabólitos de SARM S-22 e SARM LGD-4033, substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). As amostras foram colhidas no dia 4 de junho, quando ela disputava o Torneio de Bol, na Croácia.

A atleta foi punida, mesmo provando o consumo acidental das substâncias, porque a ITF e a Wada consideram que cada esportista é responsável pelo que ingere ou consome diariamente. Portanto, a sanção tem caráter de advertência, por punir uma desatenção ou um descuido do atleta.

A tenista não competia desde julho, quando foi eliminada na segunda rodada de Wimbledon. Desde então, vinha aguardando a decisão final da ITF. A entidade acabou aceitando a argumentação da defesa, que apontava para contaminação dos suplementos multivitamínicos que a tenista ingeria para complementar a sua dieta. De acordo com o advogado da atleta, Bichara Neto, a contaminação ocorreu na elaboração do produto, em uma farmácia de manipulação.

Com a suspensão de 10 meses, retroativa ao início da punição provisória, Bia Haddad só poderá voltar a jogar no dia 22 de maio, véspera de Roland Garros. O ranking atualizado logo após o torneio parisiense definirá os classificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio.