Cao Laru faz show em CatanduvaÍcone de fechar Fechar

SESC

Cao Laru faz show em Catanduva

Banda sobe ao palco do Quiosque A a partir das 20h15, em show gratuito


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Banda viajante formada por cinco brasileiros, uma francesa e um argentino, o Cao Laru apresenta o trabalho do seu último álbum de estúdio "Fronteiras" em show nesta quinta-feira, dia 13, no Sesc Catanduva.

O Cao Laru foi formado por músicos do Brasil e da França que se conheceram em 2015, durante o mestrado em Pedagogia Musical, em Rennes, na França. Desde então, eles já passaram por mais de 20 países. Nesse processo de desbravamento, com o auxílio de uma Kombi, outros integrantes passaram a fazer parte do projeto.

O grupo também tem no currículo o disco "Kombiphonie" (2018), além de um EP chamado "Cao Laru", lançado em 2016. No ano passado, a turnê de "Fronteiras" rendeu mais de 150 shows que passaram por 21 estados brasileiros e cinco países na Europa.

"A fronteira geográfica é apenas uma das fronteiras que nós abordamos no disco. Nós tentamos falar também sobre fronteiras entre o mundo real e mundo o virtual, pobreza e riqueza. São fronteiras criadas pelo próprio homem e que servem de prisões, em vez de libertações", explica Pedro Destro, responsável pelo baixo elétrico e que passou a integrar o grupo no início de 2019.

Destro sobe ao palco acompanhado dos integrantes Noubar Sarkissan (cavaquinho, violão, acordeom, pandeiro e voz), Nicolle Bello (voz), Manuel Tirso (bateria), Fábio Pádua (flauta, clarinete, violão e bandolim), Joel Rocha (rabeca, cavaquinho português, guitarra e pife) e Léa-Katharina Duez (voz, flauta e saxofone).

A sonoridade da banda é uma mescla de canções francesas, polifonias leste-europeias e ritmos brasileiros, apresentando composições e arranjos de músicas tradicionais, colhidas pelas estradas por onde o grupo passa. "Não nos limitamos a um estilo ou gênero musical. Temos um som plural, tocamos o que nos atrai e o que gostamos de ouvir", destaca.

As influências pessoais de cada integrante são o que justificam essa singularidade do som da Cao Laru, que reúne brasileiros de diferentes regiões do País, além dos músicos estrangeiros.

No final de 2019, a banda lançou o single "Quero Falar", que aborda a indignação sobre o dano ambiental causado no planeta pelo ser humano, colocando em risco a vida das pessoas, além de animais e vegetais. Composta por Nicolle Bello, a canção foi criada antes dos crimes ambientais ocorridos em Mariana e Brumadinho e do derramamento de óleo no litoral brasileiro.

"Essa canção representa muito o pensamento do nosso grupo. Não foi feita de uma maneira forçada. Assim como as canções de 'Fronteira', são coisas com as quais a gente se preocupa, queremos e precisamos falar sobre", pontua o baixista.

Destro antecipa que o novo disco da banda está em processo de produção e deve ser lançado no segundo semestre deste ano. Mas o público já vai poder conferir algumas novidades. "Quem ainda não conhece nosso trabalho pode esperar um show bem alegre e, quem já conhece, vai poder conferir canções e ideias novas", finaliza.

Serviço

  • Show Cao Laru. Hoje, às 20h15. Quiosque A, do Sesc Catanduva. Entrada gratuita