Vacilo inexplicável Ícone de fechar Fechar

Editorial

Vacilo inexplicável


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

"Complexidade do projeto" e "prazo exíguo para a sua execução". Com essas justificativas um tanto superficiais e discutíveis, a Prefeitura de Rio Preto tomou a inacreditável decisão de comunicar ao governo do Estado que estava abrindo mão de duas emendas orçamentárias, uma de R$ 265 mil e outra de R$ 235 mil destinadas ao município ainda em 2018 pelo hoje ex-deputado estadual Orlando Bolçone (PSB). Recursos para a compra de equipamentos para o Parque Tecnológico, o Partec, uma das bandeiras de Bolçone e de seu companheiro de partido, o ex-prefeito Valdomiro Lopes, possível adversário do prefeito Edinho Araújo (MDB) na disputa eleitoral deste ano.

Ao explicar a desistência da verba, o governo do prefeito Edinho Araújo afirmou que, ainda em 27 de novembro passado, foi informado pelo Estado que teria apenas mais dois dias para apresentar o projeto com todos os detalhes e o cronograma de gastos. "As verbas seriam destinadas para dotar o Partec de energia fotovoltaica, o que demandaria a execução de todo o projeto com planilhas, memoriais", diz a assessoria da Prefeitura. Contando o processo de licitação, segundo o município, seria necessário um prazo de ao menos seis meses.

É preciso ter certa dose de boa vontade e alguma pitada de ingenuidade para aceitar bovinamente que tenha faltado tempo para o governo municipal cuidar dos trâmites de uma emenda destinada há mais de um ano. Não parece muito plausível que, nos últimos meses, técnicos da Prefeitura acostumados a esse tipo de burocracia não tenham se atentado para a necessidade de ao menos consultar o andamento do processo. Ao mesmo tempo, parece incrível que Edinho e Bolçone, que chegaram a manter encontros nesse meio tempo, não tenham tratado do assunto.

Como Bolçone afirma agora, na melhor das hipóteses parece ter havido uma inaceitável falha de comunicação. Em outras palavras, um lance de amadorismo explícito, que por sua vez escancara um nível preocupante de despreparo. O ex-deputado aposta que até junho, antes do processo eleitoral, os recursos ainda podem ser liberados do orçamento, se houver "boa vontade" da Prefeitura e do governo, com o qual, aliás, o prefeito parece manter boa relação, por meio do vice-governador Rodrigo Garcia (DEM). Depois que o Diário revelou o vacilo de seu governo na edição de domingo, 5, Edinho enviou nota à Redação na segunda, 6, para dizer que já conversou com Rodrigo para recuperar o recurso. A ver se vai conseguir.