Hospital de BaseÍcone de fechar Fechar

Cartas do leitor

Hospital de Base


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Excelência é o termo correto para definir o Hospital de Base. Que orgulho para São José do Rio Preto contar com essa joia preciosa que atende a região e o Brasil inteiro. Eu já conhecia a capacidade dos profissionais da medicina e professores por intermédio da voz do povo. Hoje, infelizmente, por internação do meu filho, pude comprovar todo esse potencial médico que temos a felicidade de usufruir.

Doutor Jorge Fares e doutora Amália Tieco estão de parabéns pelo profissionalismo e pela eficiente administração ,carinho, atenção e ,acima de tudo o acolhimento e a humildade deles perante os doentes. Referencia em todo pais em termos médicos, graças a honestidade de seus administradores e suas equipes. Os médicos,a enfermagem e os serviços em geral são de primeiro mundo, se é que existe igual. Não precisamos procurar um melhor porque o melhor está aqui.

Cidinha Cury Antonio, Rio Preto

Demorou

Venho me manifestar em relação à excelente reportagem do Diário, na edição do dia 09/01, "Licitação põe à venda 40 áreas em distritos". Desde 2018 venho tentando junto à Prefeitura apresentar Projetos de Lei com a mesmíssima proposta. Duas vezes inclusive.

Em 26/4/2018 apresentei o primeiro PL, que dava a possibilidade de empresários pagarem as áreas em até 120 parcelas, apresentando plano de atividades, projeção de empregos gerados, etc. A pedido do Governo, em 26/09/2018 arquivei o Projeto com o acordo de que a Prefeitura apresentaria uma proposta imediatamente. O tempo passou, a Prefeitura não cumpriu sua parte e em 01/07/2019, reapresentei o PL, diminuindo dessa vez a quantidade de parcelas em 70 meses. O projeto tramitou e novamente o governo me solicitou o arquivamento, o que fiz em 06/11/2019. Agora, a Prefeitura abre essa licitação e igualmente dá o prazo de 70 meses como eu já havia proposto. A diferença é que, se minha proposta tivesse sido ouvida lá em 2018, a cidade já teria esses valores em caixa, podendo ser utilizado em diversos serviços públicos.

Em que pese a iniciativa da municipalidade ser louvável em promover essas licitações e atrair empresários e investidores na geração de negócios, empregos e renda para a cidade, fica a minha crítica por isso estar sendo feito agora, sendo que já podíamos estar colhendo os frutos há tempos! A função do vereador é justamente essa, propor ações ao município mediante o que ele vê e sente da cidade, da população. Esse foi o meu intento, ainda em 2018. Mas que bom que a Prefeitura tomou a iniciativa e deu andamento na ideia. Já me prontifico para lutar junto e atrair empresas e empreendedores com vontade de comprar essas áreas e gerar empregos na cidade.

Jean Dornelas - vereador, Rio Preto

Reciprocidade

Iniciando um novo ano, nos propomos viver de maneira nova, com sentido mais profundo. Como? O ser humano é dotado de sensibilidade, devendo lutar, portanto, por sua dignidade, felicidade e paz, auxiliando o outro, seu próximo, para que descubra e viva esse mesmo sentimento. Falamos, pois, do amor fraterno que, sob a perspectiva cristã, consiste no amar o próximo como o próprio Deus nos ama, testemunhando seu amor em Cristo (cf. Jo 15,12).

Qual é o motivo para vivermos esse amor ao próximo? Basta contemplarmos a vida espiritual de Jesus Cristo, Verbo Divino encarnado. Ele, nascido no seio de uma família humana, viveu em tudo a experiência humana, menos do pecado, que esvazia o ser humano. Sua experiência mais significativa foi o amor fraterno. Isto podemos provar observando os resultados deste amor. Cumprindo-se o que a Escritura prescrevia (cf. Jo 19,28), ele amou até o fim (Jo 13,1), até a morte na cruz. Do alto do madeiro, Cristo Jesus deu o seu último suspiro para que a humanidade pudesse "respirar" vida nova.

Mais de 2.000 anos já se passaram e o ser humano ainda não compreendeu o valor do amor fraterno e mais que isso, não compreendeu o valor da reciprocidade. Quando falamos em reciprocidade devemos entender que é algo que parte do "eu" para o "outro", de forma livre. "Gentiliza gera gentileza", reciprocidade gera reciprocidade, pautada na lei do amor.

Compreende-se "amor" como um sentimento profundo entre pessoas, traduzido na forma de cuidado e zelo que gera vida, a exemplo do amor divino. "Deus amou tanto o mundo, que deu seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna" (Jo 3,16). No entanto, a experiência da infelicidade, é a desvalorização do amor, desvalorizando-se, igualmente, a reciprocidade.

A reciprocidade gera mudança de vida, sustenta o crescimento do homem e da mulher, acima de tudo em direção a Cristo, agindo como Ele mesmo agia, segundo a famosa canção de nosso querido Padre Zezinho: "amar como Jesus amou; sonhar como Jesus sonhou; pensar como Jesus pensou; viver como Jesus viveu; sentir o que Jesus sentia; sorrir como Jesus sorria; E ao chegar ao fim do dia eu sei que eu dormiria muito mais feliz".

Vivamos, pois, com intensidade os exemplos de Nosso Senhor Jesus Cristo, atualizando seus gestos e palavras na busca de um ideal: a construção do Seu Reino, motivados por um amor profundo e sincero. Cristo se doou totalmente a nós por amor. Doemo-nos, também, uns aos outros, vivendo com generosidade e reciprocidade.

Vitor Rafael da Silva Aguiar - estudante de Teologia e seminarista da Diocese de Jales

Represa

Sobre a informação de que "Vertedouro da Represa volta a encher após chuva intensa" (conforme noticiado pelo Diário da Região), uma coisa é certa, choveu muito mesmo, mas não podemos esquecer que a Represa está rasa por causa do assoreamento. Se o Semae empreendesse no desassoreamento poderia chover 150 milímetros que as águas não transbordariam no vertedouro.

Ou seja, a solução está no tamanho da calha. Com a palavra os engenheiros e os ambientalistas de plantão.

Jorge Geronimo Hipolito, Rio Preto