Cidade perde emenda de R$ 500 mil de BolçoneÍcone de fechar Fechar

COLUNA DO DIÁRIO

Cidade perde emenda de R$ 500 mil de Bolçone


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

A gestão de João Doria (PSDB), que tem como vice-governador Rodrigo Garcia (DEM), cancelou pagamento de duas emendas do ex-deputado estadual Orlando Bolçone (PSB) que seriam destinadas à Prefeitura de Rio Preto, somando R$ 500 mil, uma de R$ 265 mil e outra de R$ 235 mil.

A decisão do governo paulista foi tomada a pedido da própria Prefeitura. A informação foi publicada no diário oficial do Estado desta sexta, 6. Segundo o governo do Estado, o município teria desistido das emendas. "A Municipalidade desistiu da proposta por conta da complexidade do projeto e do prazo exíguo de sua apresentação devido à "complexidade do projeto e [a]o prazo exíguo para sua execução"

Ambas as emendas eram destinadas a compra de equipamentos para o Parque Tecnológico, uma das principais bandeiras políticas de Bolçone, que é do mesmo partido do ex-prefeito Valdomiro Lopes, provável candidato neste ano, quando Edinho deve tentar a reeleição.

O anúncio da "desistência" da emenda causou surpresa entre aliados de Bolçone, que contemporizou a situação. "Eu não acredito que seja má vontade do Estado nem da Prefeitura", disse o ex-deputado.

A Prefeitura jogou a responsabilidade no governo estadual. Segundo a assessoria de Edinho, a Prefeitura foi informada em 27 de novembro pelo governo estadual de que teria prazo de dois dias para apresentar detalhes dos projetos, incluindo cronograma de gastos, para a liberação dos recursos. "Tudo isso para fazer em dois dias, não existindo tempo hábil para apresentação do material solicitado", disse a assessoria de Edinho.

"As verbas seriam destinadas para dotar o Partec de energia fotovoltaica, o que demandaria a execução de todo o projeto com planilhas, memoriais"

Ainda de acordo com a Prefeitura, "um projeto desse porte, considerando primeiramente a abertura do processo licitatório para contratação e posteriormente sua execução, demanda no mínimo seis meses de prazo".

Bolçone disse que, em dezembro, falou com Edinho sobre as emendas. "Creio que houve uma falha de comunicação entre o governo do Estado e a Prefeitura que pode ser superada. Se tiver boa vontade dos dois lados, os recursos poderão ser liberados do orçamento", afirmou o ex-deputado. "Tem até junho, antes do processo eleitoral".

Frase

'Nós temos que lembrar que a vaga do comércio não é o município que tem que garantir. O dono do comércio é que tem de fazer o estacionamento para os clientes'

Amaury Hernandes, secretário de Trânsito de Rio Preto, ao comentar sobre o início do funcionamento dos corredores exclusivos de ônibus nes-ta segunda-feira, 6, em que veículos não poderão estacionar em ruas e avenidas na cidade

Colaboração/Leitor

Cartas na mesa

A definição do reajuste na tarifa de transporte coletivo em Rio Preto, atualmente no valor de R$ 3,30 para usuários que pagam a passagem em dinheiro, ficou para a próxima semana. Um dos impasses no tema é sobre quantos ônibus terão ar-condicionado em 2020. O pedido de aumento de 4,3% das empresas estipulam 16 veículos assim. O governo de Edinho Araújo (MDB) quer mais. Se insistir no aumento, ao menos uma das empresas, Expresso Itamarati, deve contestar, argumentando que o contrato já tem desequilíbrio de R$ 82,5 milhões, segundo perícia determinada pela Justiça.

O quanto antes

Edinho delegou o assunto ao secretário de Trânsito, Amaury Hernandes. A cúpula do governo tem certa pressa. Afinal, trata-se de medida indigesta no ano que Edinho deverá tentar a reeleição. O quanto antes for resolvido, melhor.

Em debate

Enchentes registradas em pontos da cidade serão tema de debate no processo eleitoral deste ano. A avenida Murchid Homsi (foto) e rua Fenando Costa ficaram de fora das obras antienchente feitas durante os governos do ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) e do prefeito Edinho Araújo (MDB).

Fazendo contas - As alterações no sistema de Previdência municipal, que devem ser adotadas pela Riopretoprev até julho, esquentam as discussões da cúpula do governo de Edinho Araújo (MDB). Fato inconteste, a contribuição dos servidores terá de passar de 11% para 14%. Isso pode impactar até no percentual que o governo irá dar de reajuste para os funcionários, tema que costuma ser definido pelo município no início do ano.

Agora é lei - O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), publicou a lei que prevê a divulgação da lista separada com os nomes dos apadrinhados que estão ocupando cargos em comissão na Prefeitura. A nova norma, de autoria do vereador Marco Rillo (foto), do PT, foi publicada neste sábado no diário oficial do município. Um dos objetivos do petista é identificar indicados de vereadores para expor o toma-lá-dá-cá entre Executivo e Legislativo.

Tá proibido - Outra lei que entra em vigor é aquela que regulamenta a publicidade em veículos de transporte escolar em Rio Preto. Anúncios na área externa dos veículos não poderão fazer propaganda de cigarros, bebidas alcoólicas e remédios. De autoria do vereador Anderson Branco (PL), a lei que entra em vigor em 60 dias prevê ainda que a publicidade não pode atrapalhar na identificação do carro.

Não é bem assim - No evento na Prefeitura, no final de 2019, quando anunciou devolução de R$ 1,3 milhão, o presidente da Câmara de Rio Preto, Paulo Pauléra (PP), destacou implementação de pregão eletrônico do Legislativo. Disse que não se compra "uma agulha" na Câmara sem pregão. Não é bem assim. A Câmara ainda tem contratos com dispensa de licitação, como locação de duas máquinas copiadoras.

'Conto com você'

O ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) começa aos poucos a se soltar nas redes sociais sobre a sua participação como candidato à Prefeitura de Rio Preto na eleição de outubro. Ao responder a um internauta que disse esperar por ele na campanha deste ano novamente, Valdomiro (foto) respondeu: "obrigado pelo apoio Durval. Estamos juntos. Conto sempre com você".

Inundação

Vereador Renato Pupo (PSD) iniciou campanha no Facebook para ajudar família que teve casa invadida pela água da chuva nesta sexta-feira, no Jardim Primavera. Ele pediu móveis para doação.

Sem impeachment

O senador Alvaro Dias (Podemos) vai opinar sobre o possível veto do presidente Jair Bolsonaro ao fundão eleitoral no valor de R$ 2 bilhões previsto no Orçamento deste ano. "Presidente não corre o risco de sofrer impeachment caso vete o fundão eleitoral. Qualquer alegação sobre essa possibilidade de impeachment é falsa", afirmou o senador em vídeo no Facebook.

Opinião

A deputada estadual Janaina Pachoal (PSL) também afirmou nas redes sociais que é contra o fundo eleitoral. "A meu ver, sequer diante da Lei de Responsabilidade Fiscal, que pode complementar a assim chamada lei do impeachment, teria sentido o veto constituir crime, dado que implicaria poupar o dinheiro público. Não adianta brigar na internet a esse respeito", escreveu Janaina.

Alta médica

A primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu alta neste sábado, 4, do hospital em Brasília em que estava internada após a realização de cirurgias estéticas. Ela retornou ao Palácio da Alvorada. Michelle passou por três procedimentos estéticos, sendo dois na região do abdome e uma troca das próteses de silicone nos seios.

 

O Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae) deve anunciar nesta segunda-feira, 6, a quantidade de inscritos em concurso público para o preenchimento de 50 vagas. A autarquia vai divulgar a relação candidato/vaga para os seguintes cargos: agente administrativo, técnico em contabilidade, agente de saneamento, técnico em edificações, técnico em mecânica, técnico em química ou microbiologia, agente de saneamento I, II e III, analista administrativo, técnico em eletrotécnica, arquivista, assistente social e gestor de saneamento. As inscrições foram feitas até o dia 19 de dezembro, exclusivamente pela internet, no site da Fundação Vunesp.