Doria adia licitação de empresas para gerenciar Poupatempo Ícone de fechar Fechar

Concorrência de R$ 850 milhões

Doria adia licitação de empresas para gerenciar Poupatempo


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18
São Paulo

A gestão João Doria (PSDB) adiou uma licitação estimada em R$ 850 milhões para a escolha de sete empresas que iriam gerenciar as 75 unidades do Poupatempo do Estado. O adiamento foi decidido depois de a proposta receber impugnações que apontavam para facilidades de ação de cartéis no processo. A licitação é tocada pela Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), estatal que nega a possibilidade de ação de cartel. Segundo a empresa, o adiamento se deu "para evitar questionamentos sobre lisura e a idoneidade" do processo. Em duas semanas, foram nove impugnações apresentadas pelo mercado à licitação e mais de 60 questionamentos sobre pontos específicos do edital, que até esta segunda-feira, 6, não haviam sido respondidos. O Poupatempo, que agrega serviços de emissão de documentos, recursos de multas e uma série de outra atividades, é "vitrine" das gestões paulistas, liderando pesquisas de satisfação com serviço público.