Fique atento ao calendário de pagamentoÍcone de fechar Fechar

IPVA 2020

Fique atento ao calendário de pagamento

Calendário de pagamento do imposto que deve ser cumprido por quem tem veículo começa quinta-feira, 9; à vista tem 3% de desconto e desde o ano passado é possível pagar com cartão de crédito


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O analista fiscal Giliard de Andrade Mendes tem uma tática muito interessante para pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) que pode, inclusive, ser uma ideia para muita gente que já quer se preparar para essa despesa no ano que vem e não ter apertos no orçamento familiar. Ele tem um planejamento anual em que vai poupando, mensalmente, o valor do imposto. "Eu pego o valor total do ano anterior, divido por 12 meses, e vou guardando", explica.

Dessa forma, quando chega a data do vencimento do imposto, ele já tem os recursos necessários e não sofre para pagar. Segundo Giliard, a opção, em geral, é pelo pagamento à vista, em função dos 3% de desconto dado pelo governo estadual. Ele tem um carro Cobalt 2014/2015, cujo IPVA custou R$ 1.376,43 no ano passado. Neste ano vai pagar um pouco menos, R$ 1.317,14 à vista. Por mês, aplica cerca de R$ 115 em um CDB de liquidez diária. Ele opta por essa modalidade por ter um melhor rendimento que a poupança e por poder sacar a qualquer momento. "Ao organizar as despesas anuais fixas, o orçamento fica mais leve."

O calendário de pagamento do IPVA 2020 começa no próximo dia 9, quinta-feira, de acordo com o final da placa do veículo - a partir do 1 até o zero. Os contribuintes podem fazer o pagamento integral do tributo, com desconto de 3%, ou pagar a primeira parcela - as duas outras vencem em fevereiro e março. Quem quiser pode ainda pagar integralmente em fevereiro, mas sem desconto.

Neste ano, a projeção é de que sejam recolhidos R$ 245,7 milhões com o tributo relativo a 259.439 veículos tributáveis em Rio Preto. Os números representam uma alta de 14,3% no volume financeiro e de 1,6% na frota tributável, de acordo com a Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo.

No Estado, a previsão é arrecadar R$ 16,9 bilhões com o IPVA em 2020. Deste total, descontadas as destinações constitucionais, o valor é repartido 50% para os municípios de registro dos veículos e os outros 50% para o Estado. Os recursos do imposto são investidos pelo governo estadual em obras de infraestrutura e melhoria na prestação de serviços públicos como os de saúde e educação.

Assim como o IPVA de Giliard, o de outros motoristas também vai ficar mais barato em função da depreciação dos veículos. De acordo com a Fazenda, a tabela de valores venais registra queda nominal de 3,54%, em média, nos preços de venda praticados no varejo, segundo levantamento apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

As alíquotas do imposto permanecem inalteradas. Os proprietários de veículos movidos à gasolina e os bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal. Veículos que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, têm alíquota de 3%. As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

O calendário de pagamento do licenciamento dos veículos começa apenas em abril e segue até dezembro para os automóveis, mas os motoristas que quiserem já podem adiantar o pagamento junto ao IPVA. A taxa é de R$ 93,87.

Pagamento

O pagamento do IPVA é bastante simples, basta o número do Renavam do veículo. Os contribuintes podem fazê-lo no sistema bancário: guichê de caixa, nos terminais de autoatendimento, pela internet ou débito agendado ou outros canais oferecidos pela instituição e lotéricas.

Desde o ano passado é possível pagar com cartão de crédito nas duas redes credenciadas à Fazenda. Em Rio Preto, há 19 escritórios que as representam. Para saber quais são, basta acessar o site da Fazenda (www.portal.fazenda.sp.gov.br).

Segundo o presidente da Associação dos Despachantes de Rio Preto, Ricardo Junge Tokoi, é fundamental que o contribuinte não deixe de pagar o tributo em função dos custos implícitos. O contribuinte que deixar de recolher fica sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, chega a 20% do valor do imposto. "Se for o caso, faça a opção pelo pagamento com o cartão de crédito porque mesmo com as taxas e juros ainda fica mais barato que a cobrança determinada em lei se não houver o pagamento", disse.

O diretor de arrecadação e cobrança da Secretaria da Fazenda e Planejamento, Carlos Augusto Gomes Neto, lembra que em tempos de Selic baixa o ideal é aproveitar o desconto. Isso porque existe uma lenda - mais para cilada - de deixar para pagar o IPVA junto ao licenciamento. "Os juros acabam ficando muito altos e não compensa. Um valor de R$ 2 mil pode passar a R$ 2,4 mil. Além do mais, quem não paga o IPVA não consegue fazer o licenciamento e pode ter o carro apreendido", disse.

Para a consultora financeira Juliana Batista, se possível, o melhor é fazer o pagamento do IPVA à vista, já que o desconto de 3% é superior a rendimentos de algumas aplicações, como a poupança, por exemplo. "Estude bem suas finanças antes de fazer o pagamento à vista pois se não houver uma reserva para isso não compensa, nesse caso é melhor parcelar", disse.

No Estado

Maior valor automóvel

  • Marca/Modelo: Mclaren Senna Coupe
  • Ano de fabricação: 2019
  • Frota: 2
  • Valor: R$ 7.206.500,00
  • Valor de IPVA: R$ 288.259,03

Maior valor utilitário

  • Marca/Modelo: Rolls Royce Cullinan
  • Ano de fabricação: 2018
  • Frota: 1
  • Valor: R$ 2.979.856,00
  • Valor de IPVA: R$ 119.193,84

Maior valor para moto

  • Marca/Modelo: Ducati 1299 Superlegge
  • Ano de fabricação: 2017
  • Frota: 1
  • Valor: R$ 374.796,00
  • Valor de IPVA: R$ 7.495,92

Menor valor para automóvel

  • Marca/Modelo: Antonio Carlos/Fabricação própria
  • Ano de fabricação: 2004
  • Frota: 1
  • Valor: R$ 1.510,00
  • Valor de IPVA: R$ 60,40

Menor valor para utilitário

  • Marca/Modelo: Tokuji/Fabricação própria
  • Ano de fabricação: 2004
  • Frota: 1
  • Valor: R$ 3.702,00
  • Valor de IPVA: R$ 148,08

Menor valor para moto

  • Marca/Modelo: Hero Puch 50
  • Ano de fabricação: 2000
  • Frota: 22
  • Valor: R$ 584,00
  • Valor de IPVA: R$ 11,68

Fonte - Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado

O seguro obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) continua dando o que falar. O presidente Jair Bolsonaro chegou a anunciar que ele seria extinto, mas a medida provisória foi suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Na última sexta-feira, 3, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que deve recorrer de decisão do presidente do STF, Dias Toffoli, que suspendeu redução da cobrança do DPVAT. Ainda segundo a AGU, o governo não questionará a decisão do plenário virtual da Corte que suspendeu a medida provisória que terminava com o mesmo seguro, como já havia sido dito pelo ministro André Mendonça.

A diminuição da cobrança foi determinada pelo Conselho Nacional de Seguros Privados. No caso dos carros e das motos, a redução seria de 68% e 86%, respectivamente, em relação a 2019. Para Toffoli, no entanto, a redução da cobrança foi um subterfúgio da administração para não cumprir decisão anterior do Supremo de suspender a medida que terminava com o seguro.

Na quinta-feira, 2, a seguradora Líder, que administra o DPVAT, havia anunciado que a cobrança estava em vigor com os mesmos valores do ano passado. Os valores variam de R$ 16,21 para automóveis a R$ 84,58 para motocicletas.

"Esse é o seguro pago em caso de acidente com morte e também em casos de invalidez e assistência médica", explica o presidente da Associação dos Despachantes de Rio Preto, Ricardo Junge Tokoi.

(Com Agência Brasil)