Fazer lista de compras ajuda economizar no supermercadoÍcone de fechar Fechar

ECONOMIZE

Fazer lista de compras ajuda economizar no supermercado

Confira os preços de 118 produtos em 13 supermercados


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

O consumidor costuma buscar muitas alternativas de conseguir economizar nas compras, uma delas é sair de casa com uma lista pronta. Além de ajudar a não comprar mais produtos do que deve, a lista faz com que o consumidor ganhe tempo.

Para o consultor financeiro Moisés Dias, é muito importante o consumidor ir ao supermercado com os itens que necessita anotados. E, mesmo assim, o recomendável é ter cuidado. "Sempre que fizer a lista, é importante não deixar nada de fora e tomar cuidado com as promoções, pois pode acontecer de aquirir produtos que não estavam previstos", disse.

O engenheiro aposentado Valdeci Antônio Espósito conta que aproveita os anúncios de supermercados pelo WhatsApp para pesquisar em diversos lugares e assim economizar. "Minha esposa sempre faz uma lista do que está faltando em casa e não costumo passar muito do que está anotado", diz.

Pesquisa

Na pesquisa realizada nesta quinta-feira, 16, o Diário cotou os preços de 118 produtos em 13 supermercados de Rio Preto (confira). A variação total de preços chegou a R$ 312,81.

 Clique Clique aqui para ver a tabela de preços de cesta básica

 Clique Clique aqui para ver a tabela de preços de produtos de supermercado

A promessa de crédito rápido, fácil e sem burocracia chama atenção dos consumidores que estão com o orçamento financeiro apertado. 125 panfletos e postagens de empresas em redes sociais foram analisados pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), 47% foram identificadas como abusivas. E para não cair nas armadilhas de crédito fácil estampadas nas propagandas, o Idec dá dicas.

Ainda de acordo com o estudo do Idec, as propagandas mais agressivas são de financeiras. Mas, apesar de adotarem um discurso alternativo, as fintechs também lançam mão de letras miúdas. De forma geral, as publicidades trazem a mensagem subliminar de que não há risco. 47% das peças publicitárias têm irregularidades, como letra miúda e informação incompleta.

O levantamento do Idec se concentrou na oferta de linhas de empréstimo via cartão de crédito, consignado e crédito pessoal, além daquelas direcionadas a negativados e à renegociação de dívidas. E aponta que em apenas um terço das ofertas em que há simulação de crédito, nas quais é obrigatória a informação do custo total da operação, esse dado aparece.

Confira as orientações de especialistas:

Sem pressa: Não contrate empréstimo por telefone, nem por impulso. Desconfie de quem fizer pressão para que tome a decisão rápida ou para que antecipe o pagamento;

Não se iluda: As ofertas de crédito para negativados, sem comprovação de renda, sempre embutem juros mais altos, bem acima da média praticada pelo mercado;

Linhas de crédito: Verifique as condições de diferentes linhas de crédito para achar a mais adequada a sua necessidade;

Compare: Não feche o contrato sem comparar a oferta com a de outras instituições. Não olhe só para o valor da mensalidade, mas o custo total da operação de empréstimo;

Contrato: Antes de assinar, leia o contrato, verifique a taxa de juros, a soma do total de parcelas e o CET (custo efetivo total). Essa taxa engloba todos os encargos e despesas que incidem sobre a operação. Nunca contrate empréstimo sem entender todas as cláusulas. Exija a cópia do contrato;

Renda: Antes de contratar um novo crédito, calcule o valor da soma dos empréstimos que já possui. Sempre tenha em mente que a soma das parcelas de todos os financiamentos não deve ultrapassar 30% da renda mensal;

Dúvida: Se estiver inseguro, consulte um órgão de defesa do consumidor.