Felício e Isabel enfrentam a sociedade para ficarem juntosÍcone de fechar Fechar

'ÉRAMOS SEIS'

Felício e Isabel enfrentam a sociedade para ficarem juntos

Romance do casal vivido por Paulo Rocha e Giullia Buscacio não é aceito pela sociedade na novela 'Éramos Seis'


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Felício (Paulo Rocha) arrebatou o coração de Isabel (Giullia Buscacio) em "Éramos Seis", novela das 18h da Globo. Apesar de a filha de Lola (Gloria Pires) ter insistido por um tempo no namoro com o amigo de infância Lúcio (Jhona Burjack), ao conhecer o tio de Marcelo (Guilherme Ferraz), ela se viu apaixonada e terminou o relacionamento.

No entanto, o romance com o advogado não será bem aceito pela sociedade. Como o homem é desquitado, a jovem passará pelo mesmo dilema de sua tia Clotilde (Simone Spoladore) quando se encantou por Almeida (Ricardo Pereira). Mas, diferentemente da parente, ela optará, desde o início, por viver essa história. "Embora o primeiro impacto de Felício em relação a Isabel seja por sua beleza, logo ele percebe que, além disso, ela é uma mulher profundamente decidida, com muita vontade de viver e que não deixa que os preconceitos da época a moldem. E grande parte disso se deve à referência que ela tem do sofrimento que sua tia Clotilde passou. Então, Isabel vai lutar por esse amor", conta Rocha.

Na história, Lola também não será a favor do romance da filha caçula com Felício. Mesmo assim, Isabel enfrentará a mãe e assumirá o relacionamento. De acordo com  Rocha, seu personagem reconhece os motivos da mãe da jovem ser contra a união deles. Todavia tem esperança de que, conversando com ela, consiga provar seus sentimentos pela irmã de Carlos (Danilo Mesquita), Alfredo (Nicolas Prattes) e Julinho (André Luiz Frambach).

"Ele reage com compreensão à reação de Lola. Apesar de não concordar com esse código social e não enxergar impedimento no relacionamento deles devido à idade, ele consegue entender que isso é uma questão. Não é cego, nem surdo para o que a sociedade convenciona como o melhor", ressalta.

Como atualmente existe o divórcio, Felício e Isabel não passariam pelo mesmo julgamento das pessoas. Mesmo assim, é possível que houvesse discriminação ao casal por conta da diferença de idade. "Eu prefiro acreditar que hoje não seríamos vítimas desse preconceito. Ou ao menos, se fôssemos, seríamos em escala muito menor", acredita.

Bonde andando

Paulo entrou em "Éramos Seis" no meio da trama, mas conta que não se preparou de uma forma particular por esta razão. Para o ator, chegar desse jeito à novela também têm suas vantagens. Ele diz que seu primeiro contato com a obra que inspira o folhetim foi através da leitura do livro homônimo de Maria José Dupré e não de suas versões para a TV. Aliás, Paulo procurou não se envolver com as referências anteriores.

De acordo com o intérprete de Felício, a história possui uma profundidade humana que o toca muito. "Acompanhei 'Éramos Seis', que está incrível, e fui percebendo como meus colegas construíram seus personagens. Entrar na novela já iniciada é bom porque você vê o caminho que os outros atores trilharam. E, neste caso em particular, é um folhetim que está indo tão bem, todos estão felizes trabalhando. Então, está sendo suave e divertido", relata.