Diário da Região

    • São José do Rio Preto
    • máx 30 min 22
05/01/2020 - 00h30min

RECORD TV

Sthefany Brito retorna à TV para viver prostituta apaixonada

Em 'Amor Sem Igual', novela da Record TV, atriz Sthefany Brito vive uma universitária que faz programa para poder pagar a faculdade de Enfermagem

Blad Meneghel/Record TV/Divulgação A atriz Sthefany Brito caracterizada como a personagem Donatella
A atriz Sthefany Brito caracterizada como a personagem Donatella

Depois de dois papéis em novelas bíblicas, Sthefany Brito está de volta às tramas contemporâneas em "Amor Sem Igual", novela das 20h30 da Record. Na história de Cristianne Fridman, a atriz é a prostituta Donatella, mais conhecida como Doutorzinha. A personagem trabalha no Mademoiselle Olympia Night Club para pagar a mensalidade da faculdade de Enfermagem. O maior medo da moça é que seu avô, Geovani (Paulo Figueiredo), descubra a sua vida dupla.

No entanto, esse não é o único problema dela, que ainda tem que lidar com o cliente abusivo Tobias (Thiago Rodrigues). "O tema da prostituição é colocado o tempo inteiro. Tem situações desse meio que são cruéis para a mulher. Ela, por exemplo, se envolve com o Tobias, que pensa ser o dono dela. Donatella não é garota de programa por opção, mas para ter condição de pagar a faculdade", observa a atriz.

Em sua jornada na trama, Donatella passará por sérios embates quando o avô descobrir que a neta se prostitui. Além disso, a garota de programa viverá um romance com José Antônio (Cesár Cardadeiro) e o rapaz também não aceitará a forma como a amada resolve seus problemas financeiros.

Para sua intérprete, Donatella terá um grande amadurecimento ao ver suas mentiras caírem por terra e também ao lidar com situações tóxicas no meio da prostituição. "Ela é uma mocinha também, mas se envolve em situações pesadas. Donatella vai se descobrindo como mulher durante a história. Ela começou nesse mundo de prostituição por necessidade, como o caminho mais rápido para bancar a faculdade e o avô na casa de idosos. A personagem se descobre forte e se faz respeitar. Não é porque é uma garota de programa que podem fazer o que quiserem com ela", afirma.

Apesar de a prostituição estar em evidência na história, Cristianne Fridman tenta amenizar a parte mais sombria do tema. Por isso, Sthefany Brito resolveu não conversar com nenhuma garota de programa real, mas focar no texto recebido. Mesmo assim, a atriz procurou relatos online para conhecer alguns aspectos das relações das prostitutas com seus clientes.

"Fui atrás de saber o que essas meninas passam. Os homens pensam que podem fazer o que quiserem porque estão pagando. Elas se apaixonam por um cliente e acham que algum dia aquilo vai dar em alguma coisa, mas o cara nunca assume um relacionamento. Tentei me aprofundar em relação ao sentimento do lugar delas na sociedade e não em como é a vida dupla", resume.

Parte da preparação da atriz é ter aulas de tecido acrobático para as cenas de Donatella em sua vida dupla como Doutorzinha. No clube noturno onde trabalha, a personagem se exibe para os clientes pendurada no tecido. Então, sua intérprete precisou lembrar como fazer os movimentos, apesar de já ter tido aulas dessa modalidade na infância.

"Há dois meses estou fazendo aula. Já tinha feito antes, mas era criança e pesava 40 quilos. Subia e descia como se não tivesse peso, mas agora é diferente. Está muito legal. A gente vai ganhando mais segurança, entendendo melhor...", revela.

Vida reservada

Sthefany Brito está sob os holofotes desde 1999, quando estreou como atriz em "Chiquititas", no SBT. São 20 anos de carreira e a intérprete de Donatella confessa que aprendeu com o tempo a não se incomodar com os comentários sobre sua vida. Para ela, a curiosidade do público é natural assim como as críticas. No entanto, o mais importante é que o respeito seja mantido.

"Já me incomodou muito a superexposição. Mas, de uns anos pra cá, eu entendi que faz parte. Da mesma maneira que você ganha um elogio e sente um carinho enorme do público, pode receber o julgamento de pessoas que acham que sabem de certas situações, mas não sabem nada. O nosso trabalho é exposto para o bem e o mal", conforma-se.

Diário da Região

Esperamos que você tenha aproveitado as matérias gratuitas!
Você atingiu o limite de reportagens neste mês.

Continue muito bem informado, seja nosso assinante e tenha acesso ilimitado a todo conteúdo produzido pelo Diário da Região

Assinatura Digital por apenas R$ 1,00*

Nos três primeiros meses. Após o período R$ 19,00
Diário da Região
Continue lendo nosso conteúdo gratuitamente Preencha os campos abaixo e
ganhe + matérias!
Tenha acesso ilimitado para todos os produtos do Diário da Região
Diário da Região Digital
por apenas R$ 1,00*
*Nos tr�s primeiros meses. Após o período R$ 19,00

Já é Assinante?

LOGAR
Faça Seu Login
Informe o e-mail e senha para acessar o Diário da Região.

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por Você para acessar o Diário da Região.