Vacina pentavalente chega aos postinhosÍcone de fechar Fechar

PROTEÇÃO

Vacina pentavalente chega aos postinhos

Pais e responsáveis podem procurar as unidades básicas de saúde


    • São José do Rio Preto
    • máx 32 min 18

Pais de crianças que estiverem aguardando a vacina pentavalente podem procurar as unidades básicas de saúde de Rio Preto a partir desta terça-feira, 14, pois a Secretaria de Saúde recebeu doses do composto que protege contra cinco doenças. No total, foram recebidas 3,5 mil unidades, suficientes para a demanda mensal. Cidades da região também receberam as doses - na semana passada, a Secretaria de Estado da Saúde informou que estavam destinadas 20 mil unidades para os municípios ao redor de Rio Preto.

A pentavalente deve ser aplicada em bebês aos dois, quatro e seis meses de vida. Ela protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e bactéria Haemophilus influenzae tipo B, responsável por infecções no nariz, garganta e meninge.

De acordo com o Departamento de Informática do SUS (Datasus), de novembro de 2014 a outubro de 2019 (cinco anos) foram registradas 6.364 internações de crianças e adolescentes de até 14 anos por pneumonia (o sistema não informa o agente causador), uma das doenças causadas pela bactéria Haemophilus, 61 internações por coqueluche e 84 internações por meningite bacteriana (o sistema também não informa qual era o agente causador). Os dados correspondem apenas à rede pública.

Yasmin Cruz da Silva Alonso, estudante de 29 anos, estava preocupada com a saúde de Gael, que completa 7 meses no próximo sábado, dia 18. "Ele não tomou ainda a última dose e tomou todas em atraso. Com quatro meses consegui dar a primeira e com cinco a segunda. A gente não tem condição de pagar R$ 400 e o SUS sempre deu, meu primeiro filho tomou todas as vacinas na rede pública", conta ela, que também é mãe de João Marcos, de 2 anos e 7 meses.

De acordo com a Secretaria de Saúde, nenhuma outra vacina prevista no calendário nacional de imunização está em falta. Segundo o Ministério da Saúde, responsável pela aquisição das doses, houve desabastecimento da pentavalente entre junho e dezembro de 2019 porque a oferta esteve irregular devido a problemas com o fornecedor.

"O Brasil compra a vacina via Fundo Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), pois não existe laboratório produtor no País. Em julho de 2019, lotes do laboratório pré-qualificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foram reprovados no teste de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em agosto, o Ministério da Saúde solicitou reposição do produto, mas, naquele momento, não havia disponibilidade imediata no mundo", informou a pasta em seu site.

As salas de vacina de Rio Preto funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h30. As unidades Parque Industrial, Santo Antônio, Solo Sagrado, Vetorazzo, Vila Toninho, Jaguaré, Rio Preto 1, São Deocleciano e Eldorado possuem salas de vacinação com horário ampliado. Já as salas de vacina das unidades Vila Elvira e Jardim Americano estão fechadas por conta das obras de reforma.

A vacina pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais em uma. O objetivo é proteger as pessoas contra múltiplas doenças ao mesmo tempo

Desde 2012, o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, oferta a vacina pentavalente na rotina do Calendário Nacional de Vacinação

As crianças devem tomar três doses da vacina: aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida

Protege contra:

  • difteria
  • tétano
  • coqueluche
  • hepatite B
  • bactéria haemophilus influenza tipo B, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta

A vacina pode provocar algumas reações, geralmente entre as primeiras 48 a 72 horas após a aplicação. Na maioria das vezes são reações leves, que passam rápido e não deixam sequelas. As principais reações são febre, irritabilidade e dores locais